A minha arte e a paixão pelas corridas

Automobilia 08 Fev 2024

A minha arte e a paixão pelas corridas

Por João Saldanha

Desde muito cedo (8 – 10 anos) que comecei a cultivar o gosto e a técnica do desenho de observação e o tema dos automóveis de competição foi dos que mais me cativou, ao mesmo tempo que acompanhava pela televisão as provas de Fórmula 1, e sobretudo pela mão do meu pai fui assistir aos Grandes Prémios de Portugal no Autódromo do Estoril.

Mas havia uma marca em especial que despertou a minha atenção, tanto pelo seu sucesso nas corridas, como pela beleza daquelas formas (e porque também passei a conhecer os modelos de estrada): a Ferrari.

Havia algo de inexplicável naquelas linhas que tão precocemente me marcaram, mas afinal uns anos mais tarde compreendi que aqueles carros tinham sido “esculpidos”, as carrocerias eram concebidas por desenhadores e trabalhadas à mão por artistas de bater chapa. A prática da ilustração de automóveis acabou por alimentar um sonho que era o de ser designer industrial precisamente para o sector automóvel e foi assim que cursei Design de Equipamento na antiga ESBAL, em Lisboa. Mas nesses anos tão marcantes a presença das artes plásticas nunca deixou de fazer parte da prática académica. Agradavam-me mais os desenhos preparatórios para um projeto do que o processo de execução do mesmo.


Quase por acaso, foi há cerca de 11 anos (e depois de algumas experiências em design e ensino) que decidi “voltar ao local onde fora feliz” e recomecei a ilustrar. A bagagem que trazia dos anos 90 permitiu-me logo alcançar resultados que me motivaram a não parar de ilustrar e acabei mesmo por considerar viver profissionalmente do que até então era um hobby.

Hoje participo em eventos nacionais e internacionais relacionados com os automóveis clássicos e trabalho como ilustrador profissional para clientes de todo o mundo através de encomenda, com destaque para Hong Kong e Macau, a primeira por ser onde reside a maior série de pinturas de grande formato feitas para um único cliente e, na antiga colónia portuguesa, por se encontrarem expostas em permanência, no Museu do Grande Prémio de Macau, 12 pinturas adquiridas pelo Macau Government Tourism Office, feitas entre 2015 e 2018 e que resumem a história desta competição iniciada em 1954.

Paralelamente ao trabalho regular por encomenda, recentemente iniciei um projecto de retratos das grandes lendas do automobilismo, uma forma de aliar o desenho da forma humana aos automóveis. Como no caso do Ayrton Senna, que está na tela que retrata a sua primeira vitória no Autódromo do Estoril, em 1985. Nesse dia chovia a cântaros, e eu estava com o meu Pai, por baixo da bancada, com os sapatos cheios de lama e a sensação de estar a assistir a qualquer coisa que me iria marcar para sempre.




Este artigo foi publicado na seção Leading Cars da edição de inverno da revista Líder, que tem como tema The Touch of the Future.


Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube