Este Ferrari 412 P pode ser o automóvel mais caro vendido este ano

Clássicos 14 Ago 2023

Este Ferrari 412 P pode ser o automóvel mais caro vendido este ano

O Ferrari 412P era a versão “cliente” do 330 P3, ou seja, destinada às equipas privadas com apoio da equipa oficial, nomeadamente, a NART, a Scuderia Filipinetti, a Ecurie Francorchamps e a Maranello Concessionaires. Quatro automóveis foram construídos no total, para cada uma das equipas atrás mencionadas, mas apenas dois automóveis foram construídos de raiz como 412P, que são os chassis 0850 e 0854. Os restantes foram transformados a partir de chassis do 330 P3, construídos em 1966 mas não chegaram a ser terminados. As carroçarias foram produzidas também na Fantuzzi com desenho de Edmondo Casoli.


Uma das grandes diferenças do 412P para os 330 P3 residia no facto do motor ter alimentação através de carburador, ao invés da injecção Lucas. O motor esse é o mesmo V12 de 4,0L de cilindrada, com 24 válvulas e duas árvores de cames em cada cabeça, mas aqui com seis carburadores Weber 40DCN/15, debitando 420cv às 8.000rpm. Acoplado ao motor está uma caixa manual de cinco velocidades.


Presente neste artigo está o chassis 0854 destinado à equipa britânica Maranello Concessionaires. Logo na sua corrida de estreia, os 1000km de Spa, terminou em terceiro, com os pilotos Lucien Bianchi e Richard Attwood. Nas 24h de Le Mans foi conduzido por Attwood e Piers Courage, no entanto, acabaram por desistir por problemas mecânicos. Na última corrida do campeonato, as 6h de Brand Hatch, terminou em sexto, com os pilotos Attwood e David Piper, ajudando a Ferrari a vencer o título do Campeonato Mundial de Resistência.


Com a mudança dos regulamentos para 1968, a equipa vendeu o 412P a David Piper, que o pintou de verde e competiu com ele na Europa e África do Sul tendo como segundo piloto, em muitas ocasiões, Jo Siffert.


Saiu de fábrica com carroçaria fechada Berlinetta, no entanto após um grande acidente, (seguido de incêndio que destruiu por completo o automóvel), este foi reconstruído como Spyder e legalizado para circular na via pública. Após ser sujeito a um restauro de nove anos, quando adquirido em 2005 pelo actual proprietário, voltou à sua configuração original de carroçaria fechada Berlinetta.


No próximo dia 18 de Agosto irá a leilão, através de um evento organizado pela Bonhams, aquando do Monterey Car Week, sendo este o “cabeça de cartaz”. Apesar de não haver uma estimativa do valor da venda, se for vendido no leilão, este poderá ser o automóvel mais caro vendido num leilão em 2023, uma vez que se trata de um automóvel raro e piloto pelos melhores pilotos da época.


Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube