Eagle Mk1, o primeiro Fórmula 1 construído pela AAR de Dan Gurney

Mercado 20 Fev 2023

Eagle Mk1, o primeiro Fórmula 1 construído pela AAR de Dan Gurney

A AAR (All American Racers) foi fundada em 1964 por Dan Gurney e Carroll Shelby para competir tanto nos campeonatos americanos de velocidade como na Fórmula 1. Para competirem nesta última disciplina construíram automóveis com a submarca Eagle e o nome da equipa mudou para Anglo American Racing, pois a sua base estava no Reino Unido. Após sair da Fórmula 1 em 1968, a Eagle focou-se no campeonato de resistência e, nos anos 80, desenvolveu automóveis, como Eagle Mk1, em parceria com a Toyota e foi a responsável pela construção do DeltaWing que competiu nas 24 Horas de Le Mans em 2012.

O primeiro automóvel de Fórmula 1 da AAR foi o Eagle Mk1, também conhecido por Eagle T1G, desenhado por Len Terry e deu origem a um dos automóveis mais bonitos do pelotão, apresentado no Grande Prémio da Bélgica de 1966. Os três primeiros chassis foram construídos utilizando alumínio, enquanto que o quarto utilizou uma liga mais exótica com base em titânio e painéis da carroçaria em magnésio.

Este automóvel utilizava o já antigo motor Coventry-Climax FPF de quatro cilindros em linha, duas árvores de cames à cabeça, dois carburadores duplos Weber 58 DCO3 e 2,7 litros de cilindrada, desenvolvendo cerca de 250cv às 6750rpm. Posteriormente, estes motores seriam substituídos pelos V12 da Weslake com 3,0 litros de cilindrada. Acoplado aos motores estava uma caixa manual de cinco velocidades Hewland DG300. A travagem é assegurada por travões de disco nas quatro rodas da Girling.



O primeiro chassis construído, com o número 101, foi o automóvel utilizado por Dan Gurney para a apresentação e corrida no Grande Prémio da Bélgica de 1966, pintado numa cor que causou bastante impacto, a Imperial Blue. No Grande Prémio de Itália, Gurney conduziu o segundo chassis equipado já com o novo motor Weslake V12, enquanto que o chassis 101 foi conduzido por Phil Hill. Nos últimos Grande Prémios, o chassis 101 foi conduzido por Bob Bondurant.

Em 1967, o chassis 101 foi vendido ao piloto canadiano Al Pease, sendo o último automóvel da AAR a competir na Fórmula 1, no Grande Prémio do Canadá de 1969, corrida em que foi desqualificado por ser muito lento, algo inédito até hoje na história da Fórmula 1.

Posteriormente, este Eagle Mk1 seria vendido ao coleccionador de Fórmula 1, Tom Wheatcroft, que o manteve durante 38 anos na colecção da Donington Grand Prix Collection, até ser vendido ao actual proprietário que o adquiriu em 2009. Foi na posse do actual proprietário que recebeu um ligeiro restauro, pela J & L Fabrication, onde foi retirado o motor original, com o número 1254, e no seu lugar passou a estar uma reprodução igual ao motor original, para assim preservar intacto o motor único.

Presente neste artigo está esse mesmo chassis 101 o único equipado com o motor Coventry-Climax. Irá a leilão no evento da Gooding & Company em Pebble Beach que decorre nos próximos dias 2 e 3 de Março. O valor estimado de venda situa-se entre os 2,8 e os 3,7 milhões de euros. O valor inclui o motor original que acompanha o automóvel na venda.

1
2
3
4
5
6
7
8
1966_AAR_Gurney_Eagle_Mk_1_29_tpx9zq
9
1966_AAR_Gurney_Eagle_Mk_1_18_dnpq1g
10
11
478_FL23_66AAR_Archive_1_vfkkez
previous arrow
next arrow
1
2
3
4
5
6
7
8
1966_AAR_Gurney_Eagle_Mk_1_29_tpx9zq
9
1966_AAR_Gurney_Eagle_Mk_1_18_dnpq1g
10
11
478_FL23_66AAR_Archive_1_vfkkez
previous arrow
next arrow
Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube