Nove automóveis inspirados nos seus irmãos mais velhos

Clássicos 29 Nov 2022

Nove automóveis inspirados nos seus irmãos mais velhos

Fabricantes de automóveis estão sempre à procura de inspiração para novos automóveis. Actualmente o factor “revival” está muito na moda e não é incomum encontrarmos exemplos de automóveis que misturam elementos nostálgicos com tecnologia moderna.

As razões para regressar ao passado são muitas desde motivações funcionais e estéticas até ao desejo de celebrar um modelo icónico. Na lista que apresentamos em baixo mostramos alguns exemplos deste movimento.

 Ferrari Daytona SP3



O Daytona SP3 é o último membro da icónica série Icona, uma linha lançada exclusivamente para homenagear alguns dos modelos mais icónicos do “Cavallino Rampante”.

As linhas do Daytona SP3 foram influenciadas pelos carros de corrida da Ferrari, na década de 60, como é o caso do 330 P4, do 350 Can-Am e do 512 TS. Este facto é evidente através dos pára-lamas da frente, o posicionamento dos retrovisores externos e as lâminas horizontais na traseira. A Ferrari fabricou apenas 599 unidades do Daytona SP3 e todas as unidades já estão vendidas.

 Kimera EVO37


Um dos automóveis de rally mais famosos da Lancia é o the Lancia 037. E é este o modelo que serviu de inspiração para o EVO37, construído pela empresa italiana, a Kimera Automobili. Mas vamos menosprezar este automóvel como um restmod, pois é muito mais do que isso. O EVO37 tenho um desenho completamente novo e apenas duas partes são exactamente iguais.

Ambos os modelos partilham a mesma filosofia, criar uma máquina que oferece o máximo de interação do piloto durante todo o seu uso. Para o Kimera EVO37 esta intenção materializa-se numa tração traseira, uma caixa manual de seis marchas e uma unidade de motor turbo alimentado que pode gerar até 512 hp.


Touring Superleggera Aero 3


O primeiro automóvel a apresentar um estilo exclusivo de carroçadores independentes foi o Alfa 6C 2300 B de 1937, um automóvel desportivo elaborado especificamente para a famosa Mille Miglia. O Aero 3, com um design muito semelhante, procura conectar-se com as raízes de estilo utilizadas em antigos projectos de Touring.

Um exemplo dos exemplos subtis são as ópticas traseiras horizontais que nos faz lembrar os clássicos coupés de estilo Touring que adoramos.

MAT New Stratos


O MAT New Stratos é uma homenagem inabalável ao Lancia Stratos, embora tenha alguns componentes mecânicos do Ferrari F430. O automóvel apresenta um design em forma de cunha embora seja de fibra de carbono. A Manifattura Automobili Torino (MAT) queria reviver a simplicidade da direcção analógica, assim como acontceu no lançamento do Stratos nos anos 70.

O projecto que começou com um pedido de criar um interpretação do Stratos tornou-se numa produção limitada de 25 unidades, equipado com um motor V8 e uma caixa manual de seis velocidade.

 Alpine A110


Apresentado pela primeira vez em 1961, a primeira geração do Alpine A110, foi um dos automóveis franceses mais icónicos dos anos 60. O modelos cementou o seu “status” ao vencer o primeiro campeonato de rally em 1967 e o World Rally Championship, em 1973. Em 2017, a apoiar-se nesta herança, a Alpine introduziu um remake do original A110.

Não foi só o nome que permaneceu igual mas estes dois modelos partilham inúmeras semelhanças visuais com a primeira geração do A110. Podemos identificar as influências de design nos faróis dianteiros e no seu perfil. Como o original esta reinvenção deu um grande ênfase a uma construção leve, maioritariamente de alumínio e um peso total de 1103 quilos.

Segunda geração do Ford GT


A segunda geração do Ford GT é uma força da aerodinâmica. O seu design baixo visa reduzir o máximo possível o “arrasto” de maneira a maximizar o poder do seu motor V6. Desta perspectiva podemos ver uma conexão com o Ford GT40, um automóvel que tinha, no seu ponto máximo, 40 polegadas aproximadamente 152 centímetros do chão.

Mercedes-Benz SLS AMG


O SLS AMG tem sido descrito como a reincarnação do clássico Mercedes-Benz 300 SL, que foi apresentado, em 1954, no Salão Automóvel de Nova Iorque. As inspirações no design são evidentes com o uso das icónicas portas em “asas de gaivota”. Outros elementos que nos fazem relembrar o 300 SL incluem a ampla grade do radiador com a grande estrela da Mercedes-Benz e a asa cruzada no capo.

Mas não há nada de clássico sobre a motorização do SLS AMG. De baixo do capô o modelo vem equipado com um V8 de 6,2 litros naturalmente aspirado que gera 563cv no modelo básico e até 631cv no SLS AMG Black Series.

Nissan Z


Agora na sua sétima geração o Nissan Z apresenta um novo nome e um novo design. No entanto, existem alguns aspectos do novo modelo que prestam homenagem a alguns dos aspectos mais icónicos da linha “Z”. Por exemplo, o emblema, os faróis e a protuberância no capô foram influenciados pelo 240Z.

O novo Nissan Z apresenta várias actualizações tecnológicas em relação aos modelos anteriores. Ainda assim, a marca espera que essas referências de design evoquem uma sensação de nostalgia.

Lamborghini Countach LPI 800-4


O Countach foi um automóvel que marcou uma geração. A combinação entre a sua forma em cunha e o seu potente V12 colocaram o automóvel num pedestal e que conferiu um estatuto lendário, que permanece até aos dias de hoje.

Devido a esse motivo faz sentido a decisão da Lamborghini de ressuscitar o nome e dar uma interpretação moderna no 50º aniversário do modelo original. O Countach 2.0 ou Countach LPI 800-4 apresenta muitas dicas de estilo do original. O motor, no entanto, tem uma actualização significativa, a produzir 803cv, mais do que o dobro da produção da primeira geração do Countach.

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube