Historic Endurance celebra a décima edição dos 250 km Estoril este fim-de-semana

Competição 18 Nov 2022

Historic Endurance celebra a décima edição dos 250 km Estoril este fim-de-semana

Depois das passagens por grandes palcos do automobilismo mundial, como os circuito de Pau-Ville ou Spa-Francorchamps, por renomados festivais de clássicos internacionais, como o Estoril Classics ou o Espíritu de Montjuïc, e eventos de referência nacionais, como o Algarve Summer Party (Portimão) ou o Festival de la Velocidad (Navarra), o Iberian Historic Endurance despede-se da sua décima temporada com a sua prova icástica – os 250km Estoril. 

Com o mote “Relaxed Historic Racing” e o objectivo de proporcionar corridas animadas de clássicos para Gentlemen Drivers nos melhores eventos e circuitos do sul da Europa, a Race Ready vai manter uma tradição dos 250km do Estoril, a partida “estilo Le Mans”. Numa evocação aos gloriosos anos 1960s, voltaremos a assistir na tarde de Sábado à espectacular imagem de cinco dezenas de viaturas alinhadas em 45º do lado exterior do muro das boxes e os pilotos do lado oposto. 

Mais de setenta pilotos de nove diferentes nacionalidades, divididos por cinco categorias, vão disputar uma imprevisível corrida em que a estratégia e a resistência assumem um papel tão importante quanto a velocidade e a habilidade de condução dos intervenientes. 



Para Diogo Ferrão, CEO da Race Ready, “esta corrida é já um ponto alto do calendário. O facto de ser disputada ao final da tarde, terminar já com os automóveis com os faróis ligados, a componente de resistência, a partida ‘estilo Le Mans’, tudo isto faz desta prova uma corrida uma daquelas que os nossos pilotos, nacionais ou estrangeiros, não querem faltar. O Autódromo do Estoril é o palco perfeito para dizermos adeus a uma temporada que acabou por ser muito positiva e que marcou o regresso à normalidade do Iberian Historic Endurance.”


Antevisão

A categoria Gentleman Driver Spirit (GDS) que engloba todas as viaturas equipadas com motores até 1300cc e todos os automóveis de Turismo até 2000cc volta a apresentar um número leque interessante de viaturas e grande parte dos pilotos que escreveram as histórias desta temporada, incluindo Luís Sousa Ribeiro, no seu Ford Lotus Cortina, que dominou os acontecimentos na prova de Navarra, ou Michel Mora, cujo o Porsche 911 SWB tão bem andou nas ruas de Pau. Mais uma vez a categoria é marcada pela sua diversidade de viaturas, desde os Porsche 911 SWB de Vincent Tourneur, ao MG B Roadster dos ingleses Paul Rayment/James Wheeler, passando pelo BMW 1800 TiSA da dupla Alberto e Tomaz Velez-Grilo, ao Lotus Elite de Robin Ellis/Paul O’Really. De destacar também a presença de viaturas até 1300 que têm possibilidades ganhar esta categoria como o Datsun 1200 e ao FIAT 128 ST.

A categoria H-1965 volta a apresentar um equilíbrio perfeito entre elegância e velocidade. Automóveis como o Porsche 904/6 de Thorkild Stamp/Michael Holden ou o Ginetta G4R de Palle Pedersen/Nicolai Kjaergaard não passam despercebidos no pelotão, o mesmo acontecendo com o Lotus Elan 26R de Carlos Barbot, o favorito ao triunfo entre os H-1965, automóvel que é presença habitual nos lugares da frente. 

Na categoria H-1971 espera-se uma corrida altamente disputada. O Ford Mustang que será dividido por Bruno Lima/Paulo Lima/José Paradela esteve em destaque na prova de Navarra, mas o Ford Escort RS1600 do duo Francisco Carvalho/Miguel Ferreira é sempre um favorito indiscutível. A oposição virá dos diversos Alfa Romeo, onde se realça a estreia de Rafael Cerveira Pinto e Carlos Dias Pedro com um GTAm.  

Foi nos H-1976 que saiu o primeiro a ver a bandeira de xadrez nesta mesma corrida no ano transacto. Presença habitual nas provas internacionais de clássicos e vencedor da corrida disputada no Estoril Classics, o dinamarquês Lars Rolner vai tentar repetir o triunfo na prova com o mesmo Porsche 911 3.0 RS, enquanto a sua esposa Annete Rolner, num modelo igual, já provou ser capaz de terminar num lugar do pódio. A armada lusitana dos Porsche 911 3.0 RS da Aurora Motorsport terá que ser levada a sério, pois Mário Meireles/Vasco Nina, Bruno Duarte/Filipe Jesus, Bruno Santos/Eduardo Santos, Miguel Vaz/Fernando Soares, e obviamente Pedro Bastos Rezende. 

Na categoria GTP & Sports Car estão dois automóveis candidatos a rodar na frente do pelotão. João Mira Gomes/Nuno Afoito vão alinhar no seu habitual Lotus Seven, automóvel que em 2014 venceu esta mesma corrida no final mais disputado de sempre, onde os dois primeiros cortaram a linha de meta separados por 50 milésimas. Já os espanhóis Carlos de Miguel e Javier Macias vão partilhar a condução de um ágil e atractivo Elva MK7, um protótipo construído nos anos 1960s para as competições com motorizações inferiores a dois litros.  


Ainda no campo das novidades há que destacar a presença no pelotão do Lotus Elan Racing ex-Team Palma, que nos seus tempos áureos chegou a ser conduzido por Ernesto Neves e Mário Araújo Cabral, e que será este fim de semana guiado por Manuel Ferrão e Tiago Marques.

Classificação que oferece um Cuervo Y Sobrinos

Parceiro de longa data do Iberian Historic Endurance, o prestigiado relojoeiro suíço Cuervo Y Sobrinos voltará a premiar o vencedor do Index de Performance nos 250 km do Estoril com um dos seus exclusivos exemplares. O vencedor desta classificação, que não é o primeiro a cortar a linha de meta, mas sim aquele que executar em pista a melhor prestação em função da idade, cilindrada e tipo de carroceria da viatura em que compete, frequentemente sai do leque de viaturas de menor cilindrada. Os elegantes Porsche 356 partem como favoritos, a par com os Datsun 1200, os Lotus Elan e Cortina, mas até uma surpresa do Fiat 128 SF é plausível. Os vencedores das quatro últimas edições do Index de Performance nos 250km do Estoril estão à partida.


TAGS: Autódromo do Estoril Estoril Historic Endurance


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment