Três Porsche 962C vão marcar presença no Estoril Classics

Eventos 19 Set 2022

Três Porsche 962C vão marcar presença no Estoril Classics

A edição deste ano do Estoril Classics contará com três exemplares de um dos mais icónicos e bem-sucedidos automóveis de endurance – o Porsche 962C; uma máquina que venceu por três vezes as 24 Horas de Le Mans.

São muitos os protagonistas que contam a história do automobilismo mundial, desde pilotos a personalidades que mudaram o cenário competitivo, mas o automóvel que a Porsche construiu especificamente para as corridas americanas é incontornável na narrativa das corridas de endurance.

Esta é a oportunidade que todos os adeptos do automobilismo têm, durante o evento que se assume como um dos mais importantes do mundo dedicado a corridas de clássicos, para ver de perto um ícone do automobilismo evoluir em pista, nos dias 7, 8 e 9 de Outubro.



O Porsche 962 nasceu a partir do 956, um modelo que a marca alemã concebeu para o novo regulamento da FIA, Grupo C, tendo a criação do mítico Norbert Singer estreado em Silverstone em 1982.


Com um chassis de alumínio animado por um motor 2,65 de litros ‘Flat-6’ turbo e um fundo ‘venturi’ o novo Porsche para as corridas de endurance rapidamente se assumiu como a bitola a partir do qual todos os outros modelos eram medidos, monopolizando o degrau mais alto do pódio das 24 Horas de Le Mans de 1982 a 1985, inclusive.

No entanto, existia uma contrariedade no 956 e que obrigou a Porsche a construir o 962 para a temporada de 1985 – os pés dos pilotos ficavam à frente do eixo dianteiro, o que impedia que o modelo pudesse competir nos Estados Unidos da América, no IMSA GTP.

Norbert Singer voltou ao estirador e alongou a distância entre eixos, mas não ficou por aí. Com a concorrência a subir de intensidade, o mago alemão montou uma evolução do motor original, com a sua capacidade aumentada para 3,2 litros, mantendo a sobrealimentação.

Claro que o automóvel foi um sucesso e foi também introduzido no Campeonato do Mundo de Carros de Desporto, prosseguindo a hegemonia que a Porsche já apresentava em pista frente à Lancia, Sauber Mercedes, Jaguar, Nissan e Toyota.

No campo desportivo, o 962C, como era conhecido a versão que corria no ‘Mundial’, marcou de forma contundente Le Mans e o campeonato.

Na prova de La Sarthe, o modelo alemão venceu as edições de 1986 e 1987. No Campeonato do Mundo de Marcas desde 1985 a 1987, em vinte e nove corridas, o 962C venceu treze, o que demonstra bem a capacidade competitiva do autmóvel concebido por Norbert Singer.


O 962 teria ainda um último suspiro em Le Mans.

O ACO reintroduziu em 1993 a possibilidade de automóveis de GT poderem competir na sua prova e Jochen Dauer tinha apresentado no mesmo ano uma versão de estrada do 962, que com os novos regulamentos não era competitivo na corrida francesa, devido a peso excessivo e a restritores muito pequenos.

A Porsche, percebendo a oportunidade, teve apenas de utilizar o automóvel de Dauer e colocar-lhe uns pneus mais estreitos e um restritor, que ainda seria maior que usado pelo 962C de competição, para voltar a La Sarthe.

Com o apoio da Joest Racing, uma equipa próxima da marca alemã, a Porsche colocou em pista para as 24 Horas de Le Mans de 1994 dois Dauer 962.

O ‘GT da Porsche’ não era o mais rápido em pista, mas, com um depósito maior que os então LMP1, ganhava muito tempo nas boxes, vencendo a grande clássica francesa. O modelo criado por Norbert Singer garantia assim o seu derradeiro triunfo na mais importante prova de endurance do mundo, nove anos depois de se ter estreado em pista.


Na sua época, o 962C nunca correu no Autódromo do Estoril, apesar da pista portuguesa ter feito parte do calendário provisório do mundial de resistência em 1986, como prova de abertura, algo que na altura não se concretizou.

O Estoril Classics é a oportunidade para todos os adeptos vislumbrarem um dos automóveis mais icónicos da história de Le Mans e da Porsche com Nicolas d’Ieteren, Hans-Jörg Hübner e Lars Erik Nielsen inscritos com um 962C para cada um na prova do Grupo C Racing.

O sucesso do veículo de Zuffenhausen foi para além das pistas, tendo sido um sucesso comercial retumbante, uma vez que se estima que foram construídos 91 chassis, tendo 75 sido vendidos a equipas privadas.

Algumas delas fizeram alterações profundas no 962C, como foi o caso da Kremer, que utilizou um chassis de carbono para substituir o de alumínio. Dois dos automóveis que irão marcar presença de 7 a 9 de Outubro são modelos alterados pela Kremer, e que defenderam as suas cores em Le Mans em 1990 e 1991, ostentando o mais recente uma monocoque em carbono vestido de preto e vermelho que simbolizam a parceria com a Yokohama. O terceiro exemplar trata-se de um automóvel em configuração de fábrica, tendo sido um dos últimos construídos pela Porsche.

Como tem sido habitual, os bilhetes podem ser adquiridos através do website oficial do Estoril Classics, e também fisicamente na FNAC, Worten, El Corte Inglês e CTT Correios, sendo que, como é do conhecimento público, o número de ingressos está limitado ao espaço físico do paddock do Autódromo do Estoril.


TAGS: Autódromo do Estoril Estoril Classics


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment