Ferruccio Lamborghini: Um empreendedor com personalidade de touro

Arquivos 29 Mai 2022

Ferruccio Lamborghini: Um empreendedor com personalidade de touro

Por Abílio Santos

Considerado um génio por uns e um touro por outros, Ferruccio Lamborghini trilhou um caminho de sucesso improvável para as suas origens. Mas quem era este homem?
 
Ferruccio Elio Arturo Lamborghini nasceu a 28 de Abril de 1916, numa zona rural de Renazzo di Centro, perto de Modena em Itália. Começou a trabalhar com 14 anos como aprendiz de mecânico na Casa Righi. Estudou engenharia na Universidade Técnica de Bolonha.
 
Após a Segunda Guerra Mundial havia falta de maquinaria agrícola em Itália, e para colmatá-la Ferruccio resolveu abrir uma oficina onde construía tractores aproveitando os componentes dos veículos militares, vendidos a peso. Já no ano de 1949, a sua oficina passou a produzir os seus próprios tractores formando uma empresa sob o nome de “Lamborghini Tractori”, atingindo uma produção mensal de quatrocentos veículos nos anos 60, assumindo-se desta forma como uma das maiores produtoras de máquinas agrícolas no país transalpino.
 
Em 1960 fundou uma nova empresa “Bruciatori ” que se dedicava ao fabrico de equipamentos de ar condicionado e de aquecimento a óleo, cujo negócio se desenvolveu com bastante sucesso tornando-se Lamborghini um dos mais ricos empresários em Itália.
 
Ferruccio sendo um apaixonado por automóveis desportivos velozes foi adquirindo modelos das marcas Jaguar, Mercedes-Benz e naturalmente da Maserati, Ferrari e Alfa Romeo mas nenhum dos modelos completava o seu ideal de desportivo automóvel.
 
A génese da Lamborghini
 
Após adquirir o Ferrari 250 GT solicita um reunião com o fundador da marca de Maranello, Enzo Ferrari para lhe transmitir as suas propostas para melhorar o modelo, relativamente às falhas com a embraiagem. Como Enzo não reagiu bem à sua proposta, originando uma discussão pouco cordial, de acordo com a versão de Tonino, filho de Ferruccio. Em consequência deste episódio ordenou aos seus engenheiros que desmontassem o Ferrari 250 GT e verificar como poderia melhorar a performance do desportivo.
 
Reuniu uma equipa composta por Giotto Bizarrinni, Gian Paolo Dalara e Franco Scaglione.Em Maio do ano de 1963 fundou a ” Automobili Ferruccio Lamborghini “, em Sant’ Agata Bolognese próximo da sua fábrica de tractores e inserida na ” Terra di Motori “, zona das fábricas de Ferrari, Maserati e Ducati, e com uma determinação ímpar apresenta em Novembro desse ano o primeiro modelo no Salão Automóvel de Turim – o 350 GTV. Este modelo tinha um motor de 3,5 litros, com 360 cv e um V12. Dado que as linhas da carroçaria não foram bem aceites solicitou à Carrozzeria Touring para a redesenhar. Daqui nascia o 350 GT, do qual produziram 135 unidades, dando posteriormente origem ao 400 GT com motor de 4 litros e estreando a primeira caixa de velocidades desenhada pela própria marca.
Sendo Ferruccio do signo zodíaco Touro, esse passou a ser o logótipo do seu primeiro modelo simbolizando o seu carácter forte e impetuoso.
 
No Salão Automóvel de Turim de 1965 o designer Nuccio Bertoni admirado com o chassis apresentado por Lamborghini propõe a este a criação de uma carroçaria com linhas únicas extraordinárias e originais resultando desta parceria o irrepreensível Miura – nome de uma raça de touros bravos espanhola. Logo no Salão de Genebra de 1966 o Miura foi o centro das atenções tendo um enorme impacto mundial. Em 1968 apresenta no Salão de Bruxelas o Miura Roadster e de seguida modelos como o Islero, o Espada.
 
ferrucciolamborghini14
Em 1970 surge o Miura S e o Espada ll. Como Ferruccio pretendia um modelo 2+2 que se situasse entre o Miura e o Espada, surgia o Jarama. No mesmo ano apresenta o Urraco ( designação de mais uma raça de touros ), e apresenta uma versão de corrida do Miura a que deu o nome de Jota que atingia os 100 km/h, nuns surpreendentes 3,6 segundos. Em 1971 apresenta a lendária versão do Miura o SV, no Salão de Genebra, a versão da gama de maior sucesso. Nesse mesmo Salão apresentou o inovador e sensacional Countach, resultado de uma obra de arte genial e revolucionária de Bertone.
 
O declínio
 
A partir de 1972/73 o seu negócio entrou em crise e Ferruccio acabou por vender 51% das acções da companhia automóvel ao suíço Georges Henri Rosseti, e no ano seguinte vendeu a René Leimer os restantes 49%.
Pouco depois vendeu a sua empresa de tractores ao grupo italiano “Same” que se mantém até aos dias de hoje.
Apesar disso Lamborghini juntamente com a Bertone apresentou o Silhouette em 1976 mas a sua produção foi reduzida a que não foi alheio o seu preço elevado. Por esta altura o mundo vivia a crise do petróleo com consequências negativas para os carros superdesportivos e a empresa foi declarada falida em 1980.
 
O regresso às origens
 
Depois disso passou a dedicar-se à produção vitivinícola numa quinta que já possuía desde 1971, obtendo vários prémios onde se destacou o seu vinho tinto com a designação “Colli di Trasimeno” que com naturalidade passou a ser conhecido por “Sangue de Miura”.
 
A Ferruccio Lamborghini foi atribuído o título de “Commendatore” e “Cavaliere Del Lavoro” em Junho de 1969 premiando o seu trabalho.
 

ferrucciolamborghini1
ferrucciolamborghini2
ferrucciolamborghini3
ferrucciolamborghini4
ferrucciolamborghini5
ferrucciolamborghini6
ferrucciolamborghini7
ferrucciolamborghini8
ferrucciolamborghini9
ferrucciolamborghini10
ferrucciolamborghini11
ferrucciolamborghini12
ferrucciolamborghini13
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
ferrucciolamborghini1
ferrucciolamborghini2
ferrucciolamborghini3
ferrucciolamborghini4
ferrucciolamborghini5
ferrucciolamborghini6
ferrucciolamborghini7
ferrucciolamborghini8
ferrucciolamborghini9
ferrucciolamborghini10
ferrucciolamborghini11
ferrucciolamborghini12
ferrucciolamborghini13
previous arrow
next arrow


TAGS: Lamborghini


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment