“A Arte Automóvel”: A obra de Ricardo Veloza em livro

LifeStyle 05 Mai 2022

“A Arte Automóvel”: A obra de Ricardo Veloza em livro

“A Arte Automóvel de Ricardo Veloza” que foi apresentado publicamente no Funchal, em Fevereiro é o mais recente livro de Eduardo Jesus, Secretário Regional de Turismo e Cultura.

Estamos perante um livro único na esfera internacional. Isto porque nas livrarias de qualquer parte do mundo, no âmbito da arte automóvel, o mais natural é encontrar obras dedicadas sobretudo à pintura ou ao desenho. Este é abrangente. Mostra que, na carreira de Ricardo Veloza, essa intervenção artística vai muito além dessas duas disciplinas.

Assim, o autor refere que “A Arte Automóvel foi a forma encontrada para dar corpo a uma homenagem ao escultor Ricardo Veloza, artista que tem um percurso conhecido por todos na ilha da Madeira, cuja obra, em si, encerra uma singularidade que merece reflexão e, acima de tudo, uma divulgação ampla para que se constitua como referência para muitos artistas, assim como para a população em geral”.


Além disso, Eduardo Jesus sublinha, “Este tem sido um exemplo na dedicação não só no âmbito da criação, mas também na transmissão de conhecimentos às novas gerações, sendo, aliás, nessa vertente que gosta de ser conhecido: como professor e não tanto como escultor”.

Na realidade o livro, que conta com 363 páginas, revela a obra do escultor considerando várias intervenções no âmbito da chamada “arte automóvel”. Mostra um conjunto singular de uma diversidade de intervenção artística que o artista criou ao longo de várias décadas ao nível de medalhas, troféus, desenhos, desenho gráfico, emblemas, cartazes, merchandising, logotipos para empresas ligadas ao setor automóvel, esculturas e do design automóvel com a sua última criação a resultar num automóvel que é único no mundo. 

“Esta diversidade de intervenção e capacidade de produzir e de criar em cada uma destas disciplinas, que são todas diferentes e com especificidades próprias, resulta numa apreciação que é também ela única”, explica Eduardo Jesus, complementando, “ É raro encontrar um artista dotado de habilidade e capacidade, ao ponto de intervir em áreas tão diversas como estas e produzindo, em cada uma delas, peças de altíssima qualidade e que são do agrado do público em geral”.

Daí acentuar o que se trata de, “Uma amplitude invulgar em relação a um só artista. Conhecemos bons artistas na medalhística, no desenho, na escultura, entre outros, mas é raro encontrar um com esta capacidade tão ampla de criar em várias disciplinas de intervenção e em todas elas deixar registos notáveis”.

O livro é bilingue, em português e inglês, e pode ser adquirido através do portal “Cultura Madeira”.

Recorda-se ainda que Eduardo Jesus lançou, em 2015, um outro livro com o nome “O primeiro automóvel na Madeira”. Este livro resultou de um grande trabalho de investigação que reuniu e partilhou na obra bilingue (português e inglês) e que conta com 240 páginas.

O primeiro automóvel que circulou na Madeira, em 1904, foi um Wolseley 10HP, do inglês Bernard Harvey Foster, que o conduziu naquela aventura.



PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment