RM Sotheby’s leva a leilão cinco automóveis da colecção de Nigel Mansell

Mercado 24 Mar 2022

RM Sotheby’s leva a leilão cinco automóveis da colecção de Nigel Mansell

Nigel Mansell é um antigo piloto britânico que venceu campeonatos tanto na Fórmula 1 como na Indycar. Ganhou o seu título na Fórmula 1 em 1992 e, no ano seguinte, mudou-se para a CART Indy Car World Series, vencendo o campeonato na sua estreia, fazendo dele o primeiro piloto a vencer a Indycar no seu ano de estreia e o único, até hoje, que venceu o título da Indycar ainda quando era campeão do mundo de Fórmula 1.

Competiu na Fórmula 1 durante 15 temporadas, iniciando a sua carreira nessa disciplina, em 1980, na Lotus. Permaneceu nessa equipa até 1984, quando se moveu para a Williams, em 1985. Teve uma pequena passagem pela Scuderia Ferrari entre 1989 e 1990 sendo que foi também o último piloto a receber as boas-vindas na Scuderia Ferrari pelo próprio Enzo Ferrari, até voltar novamente para a Williams, permanecendo aí até sair da Fórmula 1 com o título de campeão, em 1992. Voltou à Fórmula 1 para aparições esporádicas, em 1994 de novo para a Williams, para substituir o lugar deixado pela morte de Senna no GP de França e nos últimos três Grande Prémios da temporada. Em 1995, após perder o lugar na Williams, Mansell assina pela McLaren. No entanto, Mansell não cabia no MP4/10 e esteve ausente nas duas primeiras corridas, até o automóvel ser redesenhado. Apesar disso, Mansell acabaria por sair definitivamente após apenas dois Grande Prémios.

Como qualquer piloto, Mansell nutre uma grande paixão pelos automóveis e tem na sua posse uma colecção de automóveis clássicos e de competição impressionante. No dia 14 de Maio, num evento organizado pela RM Sotheby’s, no Mónaco durante o Grande Prémio Histórico, Mansell irá reduzir a sua colecção em cinco automóveis, quatro deles que já estão na posse do mesmo há mais de 30 anos


-Ferrari 640 de 1989


1989-Ferrari-640-_0
1989-Ferrari-640-_1
1989-Ferrari-640-_2
1989-Ferrari-640-_3
1989-Ferrari-640-_4
1989-Ferrari-640-_5
1989-Ferrari-640-_10
1989-Ferrari-640-_11
1989-Ferrari-640-_12
1989-Ferrari-640-_13
1989-Ferrari-640-_14
previous arrow
next arrow
1989-Ferrari-640-_0
1989-Ferrari-640-_1
1989-Ferrari-640-_2
1989-Ferrari-640-_3
1989-Ferrari-640-_4
1989-Ferrari-640-_5
1989-Ferrari-640-_10
1989-Ferrari-640-_11
1989-Ferrari-640-_12
1989-Ferrari-640-_13
1989-Ferrari-640-_14
previous arrow
next arrow



Este Ferrari 640 está exactamente como foi deixado após o Grande Prémio da Austrália, onde foi usado por Mansell. O piloto conseguiu duas vitórias com este automóvel, nos Grandes Prémios do Brasil e da Hungria. O 640 foi o primeiro carro de Fórmula 1 da Ferrari equipado com uma caixa semiautomática operada por patilhas. A apresentação à imprensa do Ferrari 640 foi feita com este mesmo automóvel, o chassis número #109, e pela primeira vez Enzo Ferrari não estava presente, tendo falecido seis meses antes. Logo após o Grande Prémio da Austrália, a Ferrari presenteou Mansell com este 640, tendo sido enviado para a sua colecção particular, onde permaneceu até agora. Durante estes 32 anos, o automóvel não andou, mas está completo, com mecânica incluída.

O seu valor de venda situa-se entre os 2,5 e os 5,0 milhões de euros.


-Williams FW14 de 1991


1991-Williams-FW14-_0
1991-Williams-FW14-_1
1991-Williams-FW14-_2
1991-Williams-FW14-_3
1991-Williams-FW14-_5
1991-Williams-FW14-_6
1991-Williams-FW14-_7
previous arrow
next arrow
1991-Williams-FW14-_0
1991-Williams-FW14-_1
1991-Williams-FW14-_2
1991-Williams-FW14-_3
1991-Williams-FW14-_5
1991-Williams-FW14-_6
1991-Williams-FW14-_7
previous arrow
next arrow



Este Williams FW14 é conhecido como Red 5, pois é o chassis número #5 e obteve cinco vitórias em Grande Prémios durante a temporada de 1991 com Mansell aos seus comandos. O FW14 era considerado o mais avançado automóvel de Fórmula 1 da época, com uma aerodinâmica soberba, desenho de Adrian Newey, suspensão activa e o primeiro automóvel com uma caixa sequencial semiautomática. Está equipado com o motor V10 de 3,5 litros da Renault. Este foi também o automóvel com que Mansell deu boleia a Senna, no Grande Prémio da Grã-Bretanha, quando Senna parou por falta de combustível. No final da temporada e apesar de Mansell ter ficado em segundo, atrás de Senna, a McLaren ofereceu este automóvel ao piloto britânico, mas sem mecânica, pois esta teve de voltar para a Renault.

O valor estimado deste automóvel é entre os 1,5 e os 3,0 milhões de euros.


-Reynard 2KI GP Masters de 2005




Após dez anos afastado dos monolugares, Mansell voltou, em 2005, para uma nova competição, destinada a antigos pilotos de Fórmula 1, designada por Grand Prix Masters. Mansell competiu nessa disciplina e, inclusivamente, deu algum apoio financeiro. Mansell venceu a única corrida da temporada de 2005, em Kyalami, na África do Sul, e na corrida inaugural da temporada de 2006, no Qatar, em ambas as ocasiões aos comandos deste Reynard 2KI.

O Reynard 2KI tem por base o Reynard Champ Car de 2000 e equipado com o motor V8 de 3,5 litros de cilindrada derivado do motor Cosworth XB. Não tem qualquer ajudas à condução, como ABS, direcção assistida, nem controlo de tracção. Este exemplar, com o chassis número #GPM 05-004, mantém a sua decoração desde 2006 e está completo.

O seu valor venda estima-se que seja entre os 100 mil e os 150 mil euros.


-Birkin 7 Sprint de 1991




Apesar de Mansell ter conduzido os automóveis mais avançados da época, ele também gostava do prazer de condução que era possível ter ao volante de automóveis o mais simples, como é o caso do Lotus Seven. É do conhecimento geral que o Lotus Seven é dos automóveis mais replicados da história, além da Caterham que detém os seus direitos de produção, vários outros pequenos construtores existem, como é o caso da empresa da África do Sul, Birkin fundada em 1982 por John Watson, descente directo de um dos “Bentley Boys”, Sir Henry “Tim” Birkin, daí o nome da empresa. Mansell adquiriu o seu Birkin 7 Sprint em 1991 directamente do fabricante.

O seu valor estimado de venda situa-se entre os 10 mil e os 15 mil euros.


-iC Modulo M89 de 1990




Este é um automóvel, ou triciclo, praticamente desconhecido, mas segundo consta, tem performances avassaladoras, pois conjuga o motor de três cilindros da mota BMW K75S com um peso de apenas 390 quilos. Foi desenvolvido pelo italiano Carlo Lamattina e posto em produção em 1989. A carroçaria é produzida em fibra reforçada com Kevlar, tem ainda suspensão independente nas duas rodas da frente e um depósito de 28 litros que dá uma autonomia de 560 quilómetros. Mansell adquiriu este M89 directamente a Lamattina, sendo o primeiro produzido com o chassis número “IC M89 001. Junto com o automóvel seguem várias fotografias dos dois e do pequeno M89. Percorreu apenas 3000km desde que foi construído.

O seu valor estimado de venda situa-se entre os 5000 e os 25 mil euros.


TAGS: Birkin 7 Sprint Ferrari 640 iC Modulo M89 Nigel Mansell Reynard 2KI RM Sotheby's Williams FW14


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment