Os dez automóveis mais caros vendidos em leilão em 2021

Mercado 27 Dez 2021

Os dez automóveis mais caros vendidos em leilão em 2021

O ano de 2021 está a terminar e foi um ano repleto de incertezas, relativamente à pandemia que vivemos, esperando que o próximo seja muito melhor, em todos os aspectos. Ainda assim, foi um ano no qual realizaram diversos leilões, dos quais resultaram vários recordes de vendas. Vamos recordar aqui os dez automóveis mais caros vendidos nos leilões que decorreram em 2021 e, mais uma vez, a Ferrari é a marca com mais exemplares na lista. Podemos ainda constatar que as vendas de seis dos dez exemplares aqui descritos ocorreram no evento em Monterey, em Agosto, o primeiro grande evento do ano em formato presencial.


1 – McLaren F1 de 1995 (18.065.376€)



Este McLaren F1, com o número de produção 029, foi o automóvel mais caro vendido num leilão público, em 2021. Se um McLaren F1 já é raro, já que apenas 106 foram produzidos, este foi o único pintado na cor Creighton Brown. A juntar a isso, percorreu apenas percorreu 390 quilómetros em toda a sua vida. Ficou também com o recorde do McLaren mais caro vendido num leilão público.


2 – Ferrari 250 GT LWB California Spider Competizione by Scaglietti de 1959 (9.568.468€)



Este exemplar, com o número de chassis 1235GT, é um dos apenas 50 Ferrari 250 GT LWB California Spider produzidos e um dos cerca de dez encomendados nas especificações Competizione, tendo competido na época, e conquistado um quinto lugar em Monza de 1959. Tem também os faróis cobertos por acrílico e conta ainda com o motor e caixa de velocidades originais.


3 – Aston Martin DB4 GT Zagato de 1962 (8.399.734€)



Este Aston Martin DB4 GT Zagato, com o número de chassis DB4GT/0190/L, era a estrela do leilão da Paul Andrews Collection. É um de apenas 19 DB4 GT que foram carroçados na época pela Zagato e um dos apenas seis com o volante do lado esquerdo, além de ter vários elementos encomendados especificamente pelo primeiro proprietário, como a grelha frontal.


4 – Matra MS 670 de 1972 (6.907.200€)



Este Matra MS 670, com o número de chassis 607-01, foi o vencedor das 24 Horas de Le Mans de 1972 e nunca deixou o museu da marca até 2002, altura em que foi submetido a um restauro. Como a Matra entrou em falência em 2003, o automóvel voltou para o museu inacabado, sendo terminado apenas em 2008. Acabaria por ser vendido a um coleccionador para a empresa conseguir pagar algumas dívidas.


5 – Ferrari 268 SP by Fantuzzi de 1962 (6.832.177€)



Este Ferrari 268 SP foi carroçado pela Fantuzzi e foi o único utilizado pela equipa oficial da Ferrari na competição. Apenas foram produzidos seis exemplares, todos equipados com motor V8, e este foi utilizado como automóvel de desenvolvimento sendo o único que se mantém no seu estado original. Este exemplar, com o número de chassis 0798, teve apenas dois proprietários privados antes deste leilão.


6 – Ferrari 275 GTB Competizione Alloy by Scaglietti de 1966 (6.832.177€)



Este Ferrari 275 GTB Competizione, com o número de chassis 09079, competiu pela Scuderia Filipinetti, uma das quatro equipas apoiadas pela fábrica, e participou nas 24 Horas de Le Mans por três vezes consecutivas, de 1967 a 1969. Venceu a classe em 1967, além dos 1000 quilómetros de Spa-Francorchamps de 1969 e os 500 quilómetros de Imola de 1969. Foi o décimo primeiros de doze exemplares construídos com o motor V12 Tipo 213 idêntico ao do 250 LM, com lubrificação por cárter seco, além de uma carroçaria construída em alumínio com baixa espessura e outros materiais leves.


7 – Ferrari 250 GT Berlinetta Competizione by Pinin Farina de 1955 (6.192.500€)



Este Ferrari 250 GT, com o número de chassis 0385GT, pertence ao pequeno grupo de apenas seis protótipos produzidos do modelo Berlinetta Competizione, e aos apenas três exemplares com carroçaria da Pinin Farina, na época ainda com o nome em separado. Este exemplar esteve em exposição no Salão de Turim de 1955. Após um grande acidente na Grécia, em 1965, permaneceria dez anos intocado, até ser restaurado pela Ferrari.


8 – McLaren-Mercedes MP4-25 de 2010 (5.749.700€)



Este foi o primeiro automóvel de Fórmula 1 de Lewis Hamilton e o primeiro vencedor de um Grand Prémio a ser vendido num leilão público. Foi com este exemplar, com o número de chassis 25A-01, que Hamilton venceu o Grande Prémio da Turquia em 2010. Além disso, este MP4-25 representa um dos Fórmula 1 da era moderna mais caros vendidos em leilão.


9 – Jaguar D-Type de 1955 (5.322.240€)



O Jaguar D-Type é dos modelos clássicos mais icónicos da marca britânica, pois venceu as 24 Horas de Le Mans três anos consecutivos, de 1955 a 1957. Este exemplar, foi vendido um pouco abaixo do valor estimado, mesmo considerando que em 2018 foi vendido por um valor superior. Com o número de chassis XKD 518, este D-Type tem uma história de competição bastante documentada, mantendo todas as peças originais, como a carroçaria, motor e cabeça do motor, além de manter a rara combinação de cores vermelho com interior vermelho, tal como quando saiu de fábrica. Foi adquirido novo por Bernie Ecclestone a Peter Blond.


10 – Ferrari 250 GT LWB Berlinetta Tour de France by Scaglietti de 1958 (5.322.240€)



A Ferrari foi uma marca com imenso sucesso desportivo nos anos 50, principalmente na prova Tour de France Automobile, nascendo assim os modelos Tour de France. Este 250 GT LWB Berlinetta é o 52º dos 72 exemplares produzidos do Berlinetta Tour de France. Com o número de chassis 1031GT, foi encomendado pelo industrial francês Jacques Peron, na cor Giulietta Blue e risca vermelha, com vários pormenores únicos, como o motor com especificações do 250 TestaRossa. Foi vendido pouco depois ao casal David e Mary Love, que o mantiveram durante quatro décadas sendo, posteriormente, restaurado com as cores originais.


TAGS: Artcurial Aston Martin DB4 GT Zagato Ferrari 250 GT Ferrari 250 GT Berlinetta Ferrari 250 GT California Spider Ferrari 268 SP Ferrari 275 GTB Gooding & Company Jaguar D-Type Matra MS670 McLaren F1 McLaren MP4-25 RM Sotheby's


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment