O derradeiro encontro do Super Seven by Toyo Tires no Circuito do Estoril

Competição 23 Nov 2021

O derradeiro encontro do Super Seven by Toyo Tires no Circuito do Estoril

O derradeiro encontro da temporada 2021 reservada à aliança luso-britânica entre a CRM Motosport e a McMillan Motorsport foi a melhor forma de assinalar o excelente ambiente que se vive entre os pilotos e equipas do Super Seven by Toyo Tires e da 7 Race Series.

No palco emblemático do Circuito do Estoril, os intervenientes das duas séries viveram um fim-de-semana distinto do habitual, com seis corridas independentes com 20, 25 e 30 minutos de duração, mas em que apenas a derradeira contenda de cada categoria (420R e 275R) atribuiria vencedores e os pódios correspondentes.

Emoção e suspense com carga máxima em todos os momentos do fim-de-semana, com Jon Mitchell a garantir a pole-position para a terceira contenda nos 420R e Ben Winrow a fazer o mesmo nos 275R. Já J. J. Magalhães (420R) e Pedro Lacerda (275R), os melhores portugueses, saiam ambos do segundo lugar e mantinham intactas as suas hipóteses de chegarem ao triunfo.


Fora da pista, os laços de amizade reforçaram-se, com muitos momentos de convívio e boa-disposição no Hospitality conjunto do Super Seven by Toyo Tires e da 7 Race Series.


A primeira final recaiu sobre a classe 275R. Na partida, assistiu-se a um arranque fulminante de Jay McCormack, que rapidamente deixou para trás o quinto lugar da grelha para se colar no primeiro posto. Apesar de ter demonstrado muita rapidez durante todo o fim-de-semana, Pedro Lacerda ficou arredado desta luta logo à segunda volta, desistindo da prova após um incidente de corrida com outro piloto na parabólica interior.

A batalha pelo triunfo ficou entregue a McCormack e Ben Winrow, enquanto John Shiveral fazia de tudo para suster um comboio, de sete pilotos, muito interessante. Nele encontravam-se Tim Child, Oliver Gibson, Mark Roberts, Geoff Newman, Michael O’Reilly, John Shiverall e o regressado Pedro Falé. Todos a rodarem no mesmo segundo, a luta entre estes ases do volante foi um dos grandes destaques desta final, tal como a evolução do novato Paulo Santos e o confronto particular entre Dominic Geary e Luís Seguro, dois pilotos em clara evolução desde o início da temporada.

Após mais uma sucessiva troca de posições entre Gibson, Child e O’Reilly, os pilotos receberam a bandeirada de xadrez com Jay McCormarck a confirmar o triunfo, Ben Winrow em segundo lugar e Tim Child no derradeiro lugar do pódio. Destaca-se Pedro Falé, o melhor português à frente de Paulo Santos e de Dominic Geary.


Quando tudo indicava que o Domingo iria manter-se minimamente solarengo, eis que a chuva surge de rompante, abatendo-se sobre o Circuito do Estoril no preciso momento em que os Caterham se alinhavam para a pré-grelha. Esta pressões de pneus e afinações completamente viradas do avesso, e uma grande dose de valentia para os pilotos, que tiveram de suportar 30 minutos de corrida nestas condições. Apesar do bom arranque de Mitchell, foi Gonçalo Lobo do Vale, que largou do terceiro lugar, a surpreender tudo e todos ao assumir o comando na travagem para a Curva 1.

Perante uma primeira volta imaculada, a luta pelo triunfo prometia. Mas as condições do piso estavam a tornar-se cada vez mais difíceis, ao ponto de obrigarem por três vezes a entrada do safety-car em pista.

Primeiro, para retirar o veículo de Nélson Gomes, preso na gravilha na zona dos “Esses” e depois, para fazer o mesmo com Neil Hinson e finalmente para repetir a dose com Nuno Afonso, indefeso depois de o automóvel entrar em aquaplaning antes da Curva do Tanque.

Se é preciso tirar o chapéu à Direção de Prova e aos comissários do Motor Clube do Estoril pelas decisões tomadas e a pronta resposta, o mesmo pode ser dito dos pilotos, que nos deram uma grande corrida e uma lição de condução perante as difíceis condições do piso. Talvez por isso ambos se tenham juntado à hora de almoço, numa bonita homenagem aos voluntários e comissários que, em todos os fins-de-semana, nos mais variados circuitos do mundo, garantem a segurança de praticantes e adeptos do automobilismo.

A coroar o fim-de-semana, o pódio final da categoria 420R, que teve como vencedor Jon Mitchell e a secundá-lo Gonçalo Lobo do Vale e Diogo Tavares. Mas sobretudo os restantes pilotos e equipas presentes nesta celebração do icónico Caterham Seven.

Muito perto dos lugares da frente, José Carlos Pires foi o quarto classificado e Bernardo Bello, o quinto. No regresso à competição e ao Super Seven by Toyo Tires, Tiago Raposo Magalhães terminou em oitavo lugar, enquanto Luís Calheiros Ferreira fechou o top dez. Ainda entre os portugueses que terminaram esta corrida J. J. Magalhães, que foi forçado a entrar nas boxes quando rodava no lote da frente, e Nélson Gomes, vítima do percalço já referido e que condicionou a sua classificação final.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider


TAGS: 250 Km do Estoril Circuito do Estoril CRM Motorsport Estoril Motorsport Super Seven by Toyo Tires


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment