O Chevrolet Corvette que Don Yenko foi buscar ao concessionário para competir

Mercado 23 Nov 2021

O Chevrolet Corvette que Don Yenko foi buscar ao concessionário para competir

A Yenko Chevrolet era um concessionário da marca americana, com uma história que remonta a 1929, quando Frank Yenko abriu um concessionário para vender automóveis da marca Durant. Quando essa marca acabou a produção, em 1932, Frank abriu um novo concessionário na Pensilvânia, desta vez a representar a marca Chevrolet.

Em 1957, Frank passa a gestão da empresa para o seu filho, Don Yenko. Esta foi a altura em que o rumo da empresa muda. Passou a ser conhecida pelas suas alterações nos modelos Chevrolet, tanto para estrada como para pista. Os primeiros automóveis modificados foram os Chevrolet Corvair, seguido dos Camaro e Chevelle. Estes eram equipados com os melhoramentos COPO, ou seja, Central Office Production Order da Chevrolet. Os últimos modelos modificados pela Yenko seriam o Chevrolet Nova e Vega.

Apesar de pouco pronunciado, quando comparado com os restantes modelos, a Yenko também alterou os modelos Corvette, principalmente para serem utilizados nas competições da SCCA (Sports Car Club of America) e de resistência pelo próprio Don Yenko.


A equipa Sunray-DX contactou Yenko para preparar os Corvette para competir nas 24h de Daytona de 1968, de modo a demonstrar os produtos da Sunray-DX Petroleum. Don Yenko encomendou um Corvette L-88 para ingressar na equipa, mas foi informado que o seu Corvette não chegaria a tempo da prova. Don não baixou os braços e foi ao seu concessionário onde se encontrava um Corvette L-71 na cor Rally Red, transformando-o em tempo recorde, para a competição. Este automóvel acabaria por ganhar a alcunha de Yenko Corvette “Showroom”, por ter sido retirado do stand para as pistas, competindo pela equipa Sunray-DX.

O primeiro passo foi a conversão do Corvette L-71 para as especificações L-88, que inclui um novo motor V8 427, de 7,0 litros de cilindrada, equipado com um carburador Holley 850, que desenvolve cerca de 560cv. Acoplado ao motor está uma caixa Muncie M-22 de quatro velocidades manuais. Outras alterações incluíram a travagem de discos nas quatro rodas e o melhoramento da suspensão.

O interior não foi despido como num tradicional automóvel de competição, com todas as quartelas e tecidos, somente o banco do condutor foi alterado para uma backet de competição e foi adicionada uma célula de combustível e uma rollbar.

Após as 24h de Daytona e nas 12h de Sebring, onde a equipa ficou nos três primeiros lugares da classe, Yenko fez equipa com o piloto da Ferrari Pedro Rodriguez, batendo o recorde de tempo na classe. No entanto o automóvel teve de abandonar na volta 43, com problemas na suspensão traseira. O plano era para este modelo também participar nas 24h de Le Mans mas, devido à mudança na data da prova, isso não foi possível.

Este Corvette competiu nas mais variadas provas do SCCA, com Don Yenko a vencer o título da SCCA Midwest, em 1968. Nas últimas provas do campeonato, este Corvette seria ingressado na equipa da Sunoco. Posteriormente, seria vendido, mas continuou a competir em provas do SCCA até aos anos 2000, altura em que seria vendido novamente. Em 2008 foi submetido a um profundo restauro, sendo terminado com a decoração utilizada em Sebring em 1968, com o número #2.

Agora, este Corvette com uma história, no mínimo interessante, está disponível para venda pela GT Motor Cars, de Wallingford, Connecticut, nos EUA. O preço de venda continua a ser desconhecido, mas junto com o automóvel seguem vários documentos, assim como um certificado de autenticidade elaborado pela National Corvette Restorers Society.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Chevrolet Corvette GT Motor Cars Yenko


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment