Fórmula 1 Clássicos regressam ao Autódromo do Estoril

Eventos 08 Out 2021

Fórmula 1 Clássicos regressam ao Autódromo do Estoril

Os Fórmula 1 Clássicos regressam para a quinta edição do Estoril Classics, no Autódromo do Estoril, com máquinas únicas que fazem parte da história da modalidade. Estarão presentes obras-primas com potências invejáveis, decorações da época e uma sonoridade que recorda uma era de ouro da competição automóvel. Um cocktail de ingredientes explosivos que fazem subir a pulsação a qualquer petrolhead.

Com uma variedade de veículos ímpar, entre 1971 e 1983, que no passado foram pilotados por grandes nomes do automobilismo mundial, como Keke Rosberg, Didier Pironi ou Jacky Ickx.

No programa, os corajosos pilotos terão o primeiro contacto com a pista, com uma sessão de qualificação de 20 minutos, agendada para Sexta-feira deixando a primeira corrida para Sábado às 14h35, com a derradeira prova no Domingo às 13h25.



Com 14 exemplares históricos na modalidade rainha do automobilismo, a encabeçar a lista de inscritos surge a primeira entrada da família Lyons, referimo-nos a Judy Lyons, a única senhora, que trará até ao circuito do município de Cascais o seu Surtees TS9, um automóvel de 1971 que na época foi conduzido por John Surtees.


Avançando 3 anos, surgem 3 formulas que partilharam a grelha no ano de 1974. Marc Devis e Chris Perkins brindam-nos com os seus Surtees TS16. O piloto belga, Marc Devis correrá com o monolugar britânico com a clássica decoração da Bang & Olufsen, por sua vez Chris Perkins bridará os adeptos presentes com o seu monolugar com a decoração da Matchbox.

Num Trojan T103, Philippe Bonny munido com um poderoso motor Ford-Cosworth V8, um chassis único desta equipa com que o Tim Schenten disputou oito Grandes Prémios no mundial de F1 de 1974.

Pai e filho juntam-se à matriarca da família Lyons. Frank e Michael Lyons confirmam uma vez mais a presença em peso da família britânica. Frank Lyons estará ao volante de nada mais, nada menos do que um Mclaren M26 com as famosas cores da Marlboro que em 1976 foi conduzido por Jochen Mass. O mais novo membro da família Lyons presente, estará ao volante do veículo com que no ano de 2020 dominou as corridas da Classic GP, um Hesketh 308E. O piloto britânico terá agora a hipótese de mostrar toda a sua destreza ao volante na frente de todo o público presente no Estoril Classics.


A terminar a lista de inscritos da classe A, categoria dedicada a veículos que antecedem a época dos monolugares munidos de efeito de solo, surge Frederic Lajoux. O piloto monegasco estará presente com um Arrows A1B, modelo utilizado durante o campeonato do mundo de 1979 por Ricardo Patrese e Jochen Mass.

Mister John of B trará até ao traçado português dois históricos Fórmula 1. O Matra MS120C, o último monolugar desenhado pela equipa francesa e equipado com um sonoro motor V12. O piloto francês, trará também o veículo mais antigo munido de Efeito de Solo nesta requintada lista de inscritos, o Ligier JS 11/15-04 com a intemporal decoração da Gitanes, que foi conduzido por Jaques Laffite durante o campeonato do mundo de 1979.

Os automóveis inscritos da década de 80, quando se deu o culminar do Efeito de Solo nos monolugares da Fórmula 1 e com a introdução dos fundos planos. De 1981, chega-nos o March 811 pilotado pelo francês Vincent Rivet com a célebre decoração negra da cerveja irlandesa Guiness, na época foi pilotado pelo irlandês Derek Daly.

Neil Glover marcará presença neste plantel de luxo com o seu Arrows A5 que em 1982 disputou as últimas três provas do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 com os pilotos Marc Surer e Mauro Baldi. Os monolugares farão a sua estreia nas 12 curvas do traçado do Estoril nos próximos dias 8, 9 e 10 de Outubro.


Nas mãos de outro britânico chega-nos o Lotus 91 com a mítica decoração da John Player Special. O monolugar negro e dourado chega-nos pelas mãos de Steve Brooks, experiente piloto britânico que no ano passado terminou o campeonato FIA Masters dedicado a Fórmula 1 históricos no terceiro posto.

A terminar o luxuoso plantel de Fórmula 1 chega-nos de terra de sua majestade aquele que a maioria reconhecerá. Trata-se de um Williams FW08C que em 1982 quem o fez dançar curva após curva nos 8 Grandes Prémios em que participou foi nada mais nada menos do que Keke Rosberg.

Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube