Snapshot: O duelo de gigantes nos 1000 km de Spa de 1970

Arquivos 04 Set 2021

Snapshot: O duelo de gigantes nos 1000 km de Spa de 1970

Por Ricardo Grilo

A sexta prova do Campeonato internacional de marcas anunciava o habitual duelo Porsche-Ferrari comum às provas anteriores. Mas aqui o desafio seria levado ao um extremo nunca antes visto.
 
Para começar, os dois Porsche da equipa Gulf de John Wyer surgiam pela primeira vez com os novos motores de 4,9 litros e perto de 600 cv de potência. Por seu turno, a Ferrari surgia com três 512 S entregues Jacky Ickx/John Surtees, a Ignazio Giunti e Nino Vacarella e a Peter Schetty/Arturio Merzario.
 
Logo nos treinos, um Pedro Rodriguez em grande forma iria rodar com o seu Porsche 917K #25 no tempo de 3:19.8, batendo por onze segundos o melhor tempo de um Fórmula 1 no mesmo circuito! Simplesmente, nunca ninguém tinha andado tão depressa num circuito convencional.
 
A corrida começou com chuva e com um duelo físico entre os dois Porsche Gulf de Siffert e Rodriguez que fizeram a difícil e perigosa sequência de Eau Rouge e do Radillon encostados, porta a porta.
 
Com a pista a secar, os dois pilotos mantiveram-se ao volante o tempo máximo permitido, lutando entre si e com um fantástico Jacky ickx com o Ferrari 512S que partilhava com John Surtees.
 
Seriam talvez os três melhores pilotos de endurance do mundo. Ou mesmo os três melhores pilotos do mundo. O que não há dúvida é que eram homens capazes de um nível de pilotagem superlativo.
 
Nos primeiros “stints” houve algumas trocas de posições e os Porsche acabariam por ir às boxes montar pneus mais estreitos: ao verificarem os seus pilotos que com a pista húmida, as rodas patinavam… a mais de 300 km/h!
 
Resolvido esse problema, a meio da prova, um pneu do carro de Rodriguez iria desfazer-se e o piloto mexicano foi obrigado a parar na box. Depois de mudar a roda voltou à pista na terceira posição, completamente ao ataque como se não houvesse amanhã.
 
Com Siffert e Ickx na frente, começou o festival Rodriguez, com este a bater sucessivamente o recorde da volta (que já era seu) e o tempo da “pole position” (que também lhe pertencia) para fixar o cronómetro nos 3:16.5, cerca de 14 segundos mais rápido que o tempo mais rápido de um Fórmula 1 no circuito de SPA!
 
Chegando ao limite de tempo de condução, Rodriguez passou o carro a Leo Kinnunen para este parar perto do final, com a caixa de velocidades partida. Na frente, o companheiro de Siffert (Brian Redman) era mais rápido que John Surtees e ganhava algum avanço ao Ferrari, definindo assim a classificação.
 
Desse modo, no final, ganharia o Porsche de Siffert / Redman e em segundo iria ficar o Ferrari de Ickx e Surtees.
 
Um duelo de gigantes que iria ter continuidade no ano seguinte. E adivinhem quem iria bater novamente o recorde da volta em 1971?
 
Imagem de Jacques Breuer colorida por Ricardo Grilo


TAGS: Ferrari Porsche Spa-Francorchamps


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment