TVR Griffith, o leve desportivo britânico com motor V8

Clássicos 02 Set 2021

TVR Griffith, o leve desportivo britânico com motor V8

Por Tiago Nova

Fundada em 1946 por Trevor Wilkinson, a TVR foi uma empresa britânica com grande história na produção de automóveis desportivos. Infelizmente, a produção terminou em 2006, no entanto, espera-se que recomece brevemente, até porque já foi apresentado o protótipo do futuro TVR Griffith, que se pensa que arrancará a produção em 2022.

O nome Griffith provém de um modelo lançado em 1964, sendo que em alguns mercados o nome Griffith era mesmo a marca. Em 1991 a TVR, já nas mãos de Peter Wheeler, decide reavivar de novo o nome Griffith com um novo desportivo de dois lugares, descapotável e de baixo peso, com apenas 1.060kg, muito devido à carroçaria construída em fibra de vidro assente no chassis tubular derivado do Tuscan Racer, conjugado com uma distribuição de peso quase perfeita de 51/49, para a frente e traseira, respectivamente.

O motor utilizado era o Rover V8 construído em alumínio, com uma árvore de cames posicionada no bloco a e 16 válvulas no total. Inicialmente, estava disponível apenas com o motor de 4,0L de cilindrada, que desenvolvia 243cv, ou poderia vir equipado com árvores de cames mais agressivas, opção conhecida por um High-lift Cam, elevando a potência para os 279cv. Logo em 1992 passou a contar com o motor de 4,3L de cilindrada com 284cv, que poderia vir equipado com uma cabeça de motor com válvulas maiores, e, pouco tempo depois, apareceu o motor de 4,5L e 289cv. Em 1993, com base no motor Rover V8, a TVR desenvolveu um motor de 5,0L de cilindrada com a potência a atingir os 345cv, sendo esta versão conhecida por Griffith 500. Acoplado ao motor, poderia estar duas caixas manuais de cinco velocidades, primeiro estava disponível a Rover LT77 e, posteriormente, a Tremec T5.



A suspensão é independente de triângulos sobrepostos nas quatro rodas, com barra estabilizadora na frente e traseira. Os travões são de discos ventilados de 260mm nas quatro rodas também. No que diz respeito às jantes, utiliza uma de 15” na frente e de 16” na traseira.

O mercado nipónico recebeu duas edições especiais e limitadas do TVR Griffith, a Blackpool B340, com base no Griffith 500 e a Blackpool B275, com base no Griffith 4.0, ambas vinham com bastante equipamento de série, como o tablier em alumínio.

Em 2000, a TVR anunciou que a produção do Griffith iria terminar e lançou a última versão especial do modelo designada Griffith SE. Esta produção foi limitada a 100 unidades, com base no Griffith 500, apresentada no Salão de Birmingham. O interior passou a contar com pormenores extraídos dos modelos Chimaera e Cerbera, além dos farolins traseiros e espelhos diferentes, luzes com maior intensidade e piscas incolores. Alguns contavam ainda com jantes de 16”. Esta versão tem ainda o emblema na traseira e uma placa com o número de série do automóvel.

A produção terminaria em 2002, com o último exemplar a ser registado em 2003, ao fim de 2.351 unidades produzidas.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: TVR Griffith


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment