Toyota MR2 MK1, o compacto que desperta fortes emoções

Clássicos 20 Jul 2021

Toyota MR2 MK1, o compacto que desperta fortes emoções

Por Tiago Ferreira

O Toyota MR2 é, desde a sua primeira geração, uma referência mundial no mundo dos pequenos desportivos. O desenvolvimento do seu projecto foi iniciado pela Toyota durante a segunda metade da década de 70 para vir a ser, mais tarde, o primeiro carro com motor central transversal a ser produzido em série pela marca japonesa. O seu protótipo, designado pela sigla SV-3, foi mostrado ao mundo pela primeira vez no ano de 1983 na exposição automóvel de Tokyo. O sucesso foi tanto que a sua comercialização se iniciou no ano seguinte, em 1984, sob a sigla MR2, diminutivo para ‘Midship Runabout 2-seater’. A geração MK1 deste pequeno ícone foi um tremendo sucesso de vendas, tanto no Japão como no mercado internacional, ultrapassando a maioria dos seus rivais directos daquela época.

Com este projecto a Toyota mostrou ao mundo que era possível aliar-se um design moderno e arrojado a um pequeno bloco de quatro litros com prestações dignas de um verdadeiro automóvel desportivo, com um preço de compra acessível ao trabalhador da classe média e, não menos importante, especialmente numa época em que se atravessava uma crise de petróleo, muita eficiência. A marca anunciava consumos médios inferiores a 8l/100 km.


Dotado de linhas expressivas e arrojadas, com recurso a formas planas, ângulos rectos e outros mais fechados, características do design japonês daquela época, este modelo apresenta alguns detalhes de carroçaria muito interessantes dos quais se destacam os faróis frontais escamoteáveis sobre uma frente agressiva que mergulha convictamente sobre o eixo dianteiro. As duas entradas de ar salientes nas laterais do carro que promovem eficazmente o arrefecimento do motor central de quatro litros, e uma traseira plana dotada de um spoiler imponente sobre a pequena tampa da bagageira, e um outro mais discreto sobre o vidro traseiro, que conferem a este pequeno desportivo uma presença que não viria a passar despercebida nas estradas que percorria, e que percorre ainda nos dias de hoje.

Outra característica da carroçaria deste modelo que merece um destaque especial é o seu tecto amovível, que era opção na compra do MR2 e que permitiria ao condutor um contacto mais directo com o ambiente externo enquanto desfrutava do prazer da condução deste pequeno guerreiro japonês.

A primeira geração do MR2 foi lançada para o mercado com duas motorizações distintas. Aquela que se tornou mais conhecida foi sem dúvida a de 1.6 litros TWIN CAM 16v, também conhecida como 4A-GE ou AW11, com provas já dadas numa versão ligeiramente menos evoluída a bordo do tão conhecido Corolla AE86. Foi lançada no Japão e no Reino Unido na sua versão mais potente de 128cv, na Europa nas versões intermédias de 114 e 122cv, consoante estivesse ou não dotado de conversor catalítico (catalisador) e nas suas versões menos potentes nos mercados australiano e americano, com 118 e 112cv.

Os 1600cc produzidos por um bloco de quatro cilindros em linha e um pouco mais de 100cv, posicionados entre o eixo traseiro e os dois assentos do condutor e passageiro (rácio 44:56 trás-frente) numa carroçaria robusta e peso total de apenas 977 kg, empurrada pelo eixo de tracção traseiro, conferem ao MR2 de 1984 um comportamento ágil e muito divertido. Capaz de atingir os 0-100 km/h em menos de 8.5 segundos, rivalizando neste campo com outras grandes máquinas da época, nomeadamente algumas versões do Porsche 944, Mazda RX7, Fiat X1/9, entre outros.


Foi também lançada uma motorização menos potente do MR2, com 1.5 litros e 82cv, também conhecida como 3A-LU ou AW10, direccionada para um público que pretendesse um automóvel um pouco mais contido nos consumos e por consequência no comportamento e nas prestações. Esta motorização viria a ser lançada, numa fase inicial, apenas no mercado doméstico mas ao longo dos anos várias unidades desta motorização acabaram por ser exportadas para fora do Japão.

Em 1986, volvidos apenas dois anos do lançamento do primeiro MR2, a Toyota apresentou ao mundo o 4A-GZE que, em traços muito gerais, tem como base o já conhecido 4A 1.6 litros, desta vez sobrealimentado e dotado de um robusto intercooler. Esta nova versão do 4A consegue produzir uns entusiasmantes 145cv e percorrer dos 0-100 km/h em menos de 6.5 segundos. Esta modificação da motorização 4A posicionou o MR2 MK1 num patamar de performance pouco comum, naquela época, neste segmento de carros. Com prestações bastante superiores às dos seus irmãos mais velhos, o MR2 faria agora frente às versões menos potentes de alguns ‘super carros’ da época.

Todas as versões e motorizações ofereciam a opção de caixa manual ágil de cinco velocidades ou caixa automática, um pouco mais calma, com apenas quatro velocidades, ideal para uma utilização mais tranquila e menos desportiva.


A elevada competência e capacidade de inovação da Toyota, expressa naquela época através do ágil e económico MR2, levou à eleição deste modelo como automóvel do ano no Japão por dois anos consecutivos, em 1984 e 1985, à frente dos seus rivais directos das marcas Nissan e Honda. O MR2 foi comercializado pela Toyota entre 1984 e 2007, ao longo deste período foram desenvolvidas de três gerações deste modelo, sendo hoje um ícone e uma referência incontornável no mundo dos pequenos desportivos clássicos.


Créditos das imagens: Wikimedia Commons.


TAGS: Toyota Toyota MR2 MK1


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment