RM Sotheby’s tem à venda Tyrrell P34 Continuation por mais de dois milhões de euros

Mercado 11 Jun 2021

RM Sotheby’s tem à venda Tyrrell P34 Continuation por mais de dois milhões de euros

A Fórmula 1 sempre foi utilizada pelos seus fabricantes para o teste e desenvolvimento de tecnologias, tudo para tornar os seus automóveis mais rápidos e eficientes. De todas, a que se destacou mais, devido há seu conceito diferente, foi a Tyrrell, que competiu durante duas temporadas com os P34 de seis rodas, quatro pequenas na frente e duas na traseira. Como curiosidade fica que esse foi o único automóvel de seis rodas a vencer um Grande Prémio.

O conceito do Tyrrell P34 resultou de um grande problema que os construtores enfrentavam, que era a aerodinâmica prejudicada pelas rodas frontais, tudo devido ao limite regulamentar da asa frontal, que fazia com que os pneus ficassem mais fora. A ideia proveio do designer da Tyrrell, Derek Gardner, que solucionou o problema colocando quatro rodas de 10” na frente. Após a equipa convencer a Goodyear para a produção dos pneus especiais, o desenvolvimento do P34 teve início.

As quatro rodas da frente têm discos de travão, mas apenas as duas mais à frente são responsáveis pela direcção. Isso provocava um grande desgaste nos pneus e, para o piloto se aperceber disso, foram instaladas duas janelas na carroçaria que davam visão para os pneus.



Em 1976 a Tyrrell ficou em terceiro nos construtores, atrás da Ferrari e McLaren, e vários foram os pódios conseguidos pelos seus pilotos, além da vitória no Grande Prémio da Suécia, conseguida por Jody Scheckter e o seu colega de equipa, Patrick Depailler, terminou em segundo. Em 1974, a Tyrrell alterou certos pormenores do P34, mas este não foi tão competitivo. Em 1978 voltou a competir com um automóvel de quatro rodas, pois as seis rodas foram banidas da Fórmula 1.

A competição dos Fórmula 1 clássicos tem bastante afluência nos dias que correm, no entanto, um piloto americano, Jonathan Holtzman, sentiu um vazio ao ver que não existia nenhum Tyrrell P34 a competir e nem sequer havia a possibilidade de adquirir um, visto que a sua maioria estão em museus. Ao todo a Tyrrell produziu sete P34, mas apenas cinco exemplares sobreviveram até aos nossos dias.

Qualquer outra pessoa adquiriria outro automóvel, mas esse não foi o caminho seguido por Jonathan. Aproveitando o facto de várias empresas produzirem clássicos novos, nas suas Continuation Series, foram produzidas mais duas unidades do P34, pela britânica CGA Race Engineering, com tudo igual aos originais e seguindo os números de chassis. Com a ajuda da família Tyrrell foi possível ter acesso a todos os projectos do P34. A mecânica como não poderia deixar de ser é o motor V8 Cosworth DFV acoplado a uma caixa Hewland.

A carroçaria foi construída com alumínio da Boeing, pois era a única empresa das redondezas que conseguia fornecer folhas de alumínio grandes o suficiente. A única alteração que estes “novos” P34 têm é o rollbar em aço ao invés de titânio por questões de segurança. O primeiro chassis, o P34/09 foi terminado o ano passado onde competiu pela primeira vez.

Um segundo exemplar foi construído, com o chassis número P34/10, seguindo as especificações do automóvel vencedor do Grande Prémio da Suécia, sendo esse que agora a RM Sotheby’s tem para venda. O preço pedido situa-se nas 1.750.000 libras, cerca de 2.037.000 euros. Além disso, é ainda elegível para todas as provas de Fórmula 1 históricos.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: CGA Race Engineering Jonathan Holtzman RM Sotheby's Tyrrell P34


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment