O formato da grelha da Bugatti: Ferradura ou ovo?

Arquivos 11 Jun 2021

O formato da grelha da Bugatti: Ferradura ou ovo?

Por Hélio Valente de Oliveira

Ferradura ou ovo? Não há muitas questões acerca do construtor francês que tenham sido discutidas tão frequentemente como as origens do formato da grelha do radiador.
 
Terá Ettore Bugatti, o fundador da marca e entusiasta de cavalos, procurado inspiração numa ferradura ou noutro objecto? A Bugatti explica a verdadeira origem de um dos mais reconhecidos elementos de design da marca.
 

 
É um facto que Ettore Bugatti era mais do que um entusiasta de cavalos. Também era criador e coleccionador de carruagens. Desenhou arreios e possuía cavalos extraordinariamente belos, alguns dos quais foram considerados os maiores puro-sangue da época. Ettore costumava montar na propriedade da Bugatti em Molsheim e, às vezes até recebia hóspedes enquanto montava um dos seus puro-sangue. Construiu os portões da propriedade de maneira a entrar com o cavalo, sem ter que desmontar. Desenvolveu fechaduras de portas que podiam ser abertas pelo cavalo. Isto requeria um mecanismo de fecho muito próprio construído em latão, que tinha de ser constantemente polido. É evidente que Ettore Bugatti adorava os seus cavalos, tanto os de quatro patas como os que viviam debaixo do capot dos seus automóveis.
 

 
Apesar disto, a forma da grelha do radiador não deriva da ferradura. “Arte, estética e selecção de materiais, acompanhados com design e performance eram, e ainda são, os valores pelos quais a marca de rege”, como explica Achim Anscheidt, o Director de Design da Bugatti. Ettore teve uma forte influência artística. O seu pai, Carlo Bugatti desenhou e construiu peças de mobiliário, com forte inspiração oriental, entre muitas outras coisas. O irmão de Ettore, Rembrandt, criou esculturas de animais como o famoso elefante que mais tarde adornou o radiador do Type 41, ou Royale.
 

 
Carlo Bugatti tinha uma especial predilecção por formas fluidas, eclipses, círculos, curvaturas e outras formas arredondadas, como a oval. Nas suas peças de mobiliário, como cadeiras, mesas ou taças e design de interiores, esta forma pode ser encontrada frequentemente. Carlo considerava a oval a forma geométrica perfeita, superior a todas as outras. Ettore, sempre em permanente troca de ideias com o seu pai, inspirou-se na visão deste e transpôs algumas das suas ideias para os automóveis. A grelha com o formato de ovo foi uma delas.
 

 
Enquanto nos primeiros dois anos, os clientes Bugatti podiam escolher entre uma grelhas oval ou outra mais angular, a partir de 1912 o Type 13 tinha exclusivamente a oval. Depois da Primeira Grande Guerra, o Type 13 foi modificado, com novos materiais e uma grelha diferente. Livre de qualquer ângulo ou aresta, fazia lembrar um ovo plano, pela primeira vez. Ettore Bugatti manteve este formato nos anos e modelos seguintes, como o Type 22, 23, 28 e 30. Só em 1924, com o lendário Type 35, Ettore deixou de a utilizar, para favorecer um novo design, com o fundo plano, por razões aerodinâmicas e um melhor posicionamento do eixo dianteiro. Esta mudança fez a forma oval ter parecenças com uma ferradura. No entanto, no princípio, existiam diferenças entre grelhas. O Type 35 A tinha uma grelha mais pequena que o 35 B. Só em 1928 todas as variantes do modelo começaram a usar a grelha ligeiramente mais larga, que continuou a ser modificada nos anos seguintes.
 

 

 
No princípio, ainda muito pequena, a grelha cresceu em largura por duas razões: para ter uma capacidade de arrefecimento maior, uma vez que os motores eram cada vez mais potentes, e para obter um look mais desportivo. A grelha tornou-se um elemento de design importante e uma imagem de marca da Bugatti.
 

 
Com este design frontal, Ettore Bugatti sublinhou a sua afirmação de construir automóveis como mais ninguém, mas verdadeiros puro-sangue. Os modelos da Bugatti podiam ser encarados como a síntese da arte que reflectia o espírito de Ettore, em design e tecnologia. A frente dominante e motores potentes conjugavam-se na perfeição.
 

 
Também hoje, um Bugatti pode ser identificado pela grelha do radiador. O seu design dá aos automóveis modernos, como o Chiron e o Divo, um visual elegante e desportivo ao mesmo tempo. “Um Bugatti pode ser identificado à distância graças ao design frontal icónico, com a sua grelha única. Esta é a chave para a identidade e reconhecimento da marca”, conclui Achim Anscheidt. Não só na Pascoa, mas todos os dias do ano.


TAGS: Bugatti


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment