As 15 mascotes de automóveis mais emblemáticas

Clássicos 08 Jun 2021

As 15 mascotes de automóveis mais emblemáticas

Por Hélio Valente de Oliveira

No início, todos os automóveis com motores de combustão tinham o radiador exposto. O circuito de liquido de refrigeração era aberto e não-pressurizado e dependia fortemente do ponto de ebulição da água para ser eficiente.
 
Numa primeira fase, os construtores começaram por montar, na tampa do radiador, indicadores de temperatura, que tinham de ser obrigatoriamente visíveis pelo condutor. Com o avançar da tecnologia estes mostradores passaram para o interior do automóvel, onde ainda estão hoje, deixando livre um espaço que, pelos padrões da época, era importante e de uma enorme visibilidade. A personalização, pelo menos entre construtores, tomou conta e assim nasceram as mascotes de radiadores.
 
Algumas marcas usavam sempre a mesma, outras tinham mascotes específicas para alguns modelos, outras só as usavam em modelos de mais prestígio. Havia ainda clientes que tinham a sua própria mascote, mas este seria um tema completamente diferente, tal a quantidade e variedade.
 
Foram muito populares entre os anos 20 e a década de 50. A partir daí entraram em vigor uma serie de normas de segurança que praticamente ditaram o final destas, contando-se pelos dedos de uma mão as que subsistem nos dias de hoje…e ainda bem, porque alguns designs são autenticas armas apontadas aos transeuntes.
 
Assim, fiz uma selecção de algumas mascotes, algumas ainda actuais, que considero as mais emblemáticas e importantes. Assim, organizadas por ordem alfabética e por fabricante:
 

1) Bentley

 

 
O B alado foi utilizado pela primeira vez em 1919, o “B” simboliza a marca e as asas, a velocidade que lhe deu notoriedade.
 

2) Bugatti 

 

 
O Elefante, concebido por Rembrandt Bugatti, foi usado exclusivamente no Tipo 41, mais conhecido por Royale. Ainda hoje é considerado um dos símbolos da marca.
 

3) Buick

 

 
The Goddess (A Deusa) – Diz-se que simboliza a famosa dançarina Isadora Duncan. Não sei se será verdade, mas a figura aparece nua com um cachecol… detalhe importante na morte desta, em 1927.
 

4) Cadillac 

 

 
The Heron, ou a Garça – Não confundir com outra mascote, que veremos mais à frente. A Garça tem o recorde para a mascote mais delicada alguma vez usada. A altura das asas chegava aos 15 cm acima do capot do motor. Usada nos modelos LaSalle e Cadillac como o célebre V16.
 

5) Hispano-Suiza 

 

 
La Cigogne – Depois da Primeira Guerra Mundial, foi adoptado o símbolo da famosa Esquadrilha das Cegonhas, para a qual a Hispano fornecia os motores do SPAD, o famoso caça. Provavelmente a mascote mais elegante de sempre.
 

6) Isotta-Fraschini 

 

 
Spirit of Triumph – Embora a Isotta não fosse a proprietária desta mascote, esta era montada nos automóveis da marca exportados para os EUA. Desenhada por F. Bazin, influenciou o design de muitas outras mascotes, como a utilizada pela Packard.
 

7) Jaguar

 

 
The Leaping Cat – Inicialmente produzida como um acessório, rapidamente de tornou a norma para qualquer Jaguar. Em 1938, tinha um custo de dois guinéus. Foi proibida na Europa nos anos de 1970, embora pudesse ser adquirida nos EUA e instalada posteriormente.
 

8) Mercedes-Benz 

 

 
A Estrela de três pontas – Talvez a mais conhecida e identificável de todas as mascotes. Simboliza a presença da marca em terra, ar e água.
 

9) Packard

 

 
Goddess of Speed – Influenciada pelo design de Bazin, adoptado pela Isotta-Fraschini, o nome desta mascote explica tudo.
 

10) Peugeot

 

 
Utilizada no 403, era uma representação estilizada do símbolo da marca, o leão.
 

11) Pierce-Arrow 

 

 
The Archer – Desenhado por Herbert Dawley em 1928, foram utilizadas outras versões mais estilizadas até 1938.
 

12) Pontiac

 

 
Chief Pontiac – Com inspiração na Historia Norte-Americana, esta mascote recebeu o nome do Chefe Pontiac da tribo de Ottawa. Várias versões foram produzidas de 1926 até 1955. Talvez a mascote mais icónica nos EUA.
 

13) Duesenberg 

 

 
Duesenbird – Um design Art Déco muito simples, mas eficaz, que projecta a velocidade nos carros mais exclusivos, caros e mais rápidos na era da Depressão, nos EUA.
 

14) Rolls-Royce 

 

 
Spirit of Ecstasy – A mais celebre de todas as mascotes. Diz-se que foi inspirada na secretária de Lord Montagu, pioneiro do movimento automóvel e editor da revista “The Car Illustrated”. O design original foi modificado para ser usado pela Rolls-Royce, apesar de Henry Royce nunca a ter aprovado por achar que não beneficiava o produto final. Raramente era visto a conduzir um dos seus automóveis adornados com esta.
 

15) Voisin

 

 
La Cocotte – Para Gabriel Voisin, um homem com princípios de design racional, não faria qualquer sentido colocar uma ave em tamanho natural na tampa do radiador. No entanto, era inevitável. Mascotes eram a moda na época, e os proprietários colocavam todos os tipos de animais, santos e figuras mitológicas nos seus automóveis. Para evitar o pior, Voisin não teve alternativa senão fazer a sua própria mascote. Os seus sentimentos por este ornamento estão bem reflectidos no nome escolhido: nada tão poético como “Spirit of Ecstasy” mas sim “La Cocotte”. Francês para “frango” ou (bastante comum na época) “prostituta”. Esta prostituta tinha cerca de 23 centímetros de altura (embora variassem em tamanho) e era feita de alguns pedaços de alumínio e um par de rebites.


TAGS: Bentley Bugatti Buick Cadillac Hispano Suiza Isotta Fraschini Jaguar Mercedes-Benz Packard Peugeot Pierce-Arrow Pontiac Rolls-Royce Voisin


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment