A forma do tempo: 60 anos de influência italiana no design Mazda

Clássicos 03 Mai 2021

A forma do tempo: 60 anos de influência italiana no design Mazda

A 26 de Abril de 2021, um novo documentário da Mazda, sob o título de The Shape of Time, foi disponibilizado para visualização na plataforma europeia do YouTube. Comissionado pela Mazda Itália e produzido pela Lungta Film, o vídeo de 13 minutos conta a história do futurista MX-81, o primeiro concept-car da Mazda, 40 anos após a sua estreia no Salão Automóvel de Tóquio, de 1981.

Pequeno coupé em forma de cunha desenhado por Marc Dechamps para o carroçador turinense Bertone, o MX-81 foi o primeiro Mazda a ostentar o badge “MX” – referência a “Mazda eXperimental” – um acrónimo destinado aos seus veículos mais desafiantes, criadores de novos valores, sem vínculos a convenções, qualquer que fosse o tipo de veículo.

A maioria dos protótipos usados em acções de promoção são destruídos uma vez terminados os eventos onde são exibidos mas, em 2019, Nobuhiro Yamamoto, responsável pelo motor rotativo e Gestor do Programa MX-5 ao longo de mais de 40 anos, descobriu o MX-81 guardado num armazém, na sede da Mazda, em Hiroshima. O concept-car foi, então, enviado para a Mazda Itália, para uma acção de restauração, processo que foi entregue à SuperStile, em Turim, sob a coordenação de Flávio Gallizio. A sua conclusão foi celebrada com uma reconstituição da famosa sessão fotográfica desse mesmo MX-81, frente à Catedral de Milão, tal como há cerca de 40 anos.


Este restauro viu-se acompanhado pelo desenvolvimento de um novo documentário, que examina tudo o que está por detrás do MX-81 e o papel que desempenhou na crescente relação entre o talento do design italiano e a engenharia artesanal japonesa, colaboração que se iniciou, quase por um acaso, cerca de 20 anos antes do nascimento desse primeiro concept da Mazda.

O design italiano ao encontro da tecnologia japonesa

Em 1960, Hideyuki Miyakawa, então um jovem escritor do mundo automóvel, viajou para Itália e ali conheceu Giorgetto Giugiaro, à altura já Responsável de Design na Bertone, por ocasião do Salão Automóvel de Turim. Conheceria, também nessa mesma altura, Marisa Bassano, uma intérprete de japonês/italiano que nutria uma paixão pelos automóveis, com quem viria a casar-se. Em 1961, por ocasião de uma viagem de formação a Hiroshima, Hideyuki conheceria Tsuneji Matsuda, então Presidente da Mazda, tendo os dois discutido a importância do design na indústria automóvel japonesa.

Uma vez de regresso a Turim, Hideyuki e Marisa começaram a trabalhar como intermediários entre os lendários estúdios de design italianos Bertone, Ghia e Pinifarina e os fabricantes japoneses de automóveis. A colaboração entre a Mazda e a Bertone levou ao surgimento do Mazda Familia e do Mazda Luce, ambos desenhados por Giugiaro na década de 1960, tendo depois continuado mesmo após o designer italiano ter-se transferido para a Ghia, levando à criação do concept MX-81, em 1981.

O badge “MX”: a juventude dos 40

A combinação de letras “MX” já foi usada mais de uma dezena de vezes, vendo-se aplicada numa grande variedade de automóveis Mazda, de produção a concept-cars e até mesmo automóveis de competição. Quando, em 2010, Ikuo Maeda, Responsável de Design da Mazda – e também filho do designer Matasaburo Maeda, que havia trabalhado com os italianos na era do modelo Luce – assumiu o comando do projecto, para repensar e redefinir o design da Mazda, as colaborações anteriores com Giugiaro e Bertone mantinham-se bem vivas da sua mente. Assim, é hoje mais do que justo que o MX-30, aquele que é o primeiro modelo 100% elétrico produzido em massa pela Mazda, reconheça a força dos laços de seis décadas estabelecidos entre a Mazda e o design italiano, usando, também ele, o icónico acrónimo “MX”.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider


TAGS: mazda Mazda MX-81


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment