Campeonato Português de Velocidade volta cheia de emoção nos clássicos

Competição 26 Abr 2021

Campeonato Português de Velocidade volta cheia de emoção nos clássicos

João Macedo Silva aos comandos do seu Porsche 911 RSR rubricou a “pole position” superiorizando-se de forma categórica na qualificação para as corridas do Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos.

Rui Costa e João Cruz, ambos em Ford Escort, procuraram acompanhar o homem da “pole” nos treinos livres e depois nos treinos cronometrados para as corridas de domingo, 25 de Abril.

Disputado no Circuito Vasco Sameiro, em Braga, o Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos arranca este fim de semana a temporada de 2021 com o ANPAC Racing Weekend, competição que desce à pista do traçado bracarense com uma vontade férrea dos pilotos em cumprir um calendário de cinco jornadas depois de uma época francamente afetada como foi a de 2020 por via do contexto pandémico da Covid-19.


Nos treinos livres bem como nas qualificações, a luta pelos melhores tempos permitiu, como era de esperar, emoção desde a abertura da pista com total entrega dos pilotos nos treinos livres e nas qualificações.

João Macedo Silva (Porsche 911 RSR) foi superior ao longo da qualificação, face aos homens dos Ford Escort, Rui Costa e João Cruz, que tiveram que se contentar com as posições seguintes às da “pole position”, numa sessão cronometrada em que a chuva que foi ameaçando acabaria por não aparecer, permitindo prestações a todos os pilotos bem mais tranquilas do que as previsões climactéricas faziam antever.


Nos treinos livres e qualificações, tudo decorreu dentro da normalidade num traçado bracarense em que o asfalto exigiu boas prestações dos pneus, das diferentes máquinas para corridas e em que ficou apenas o senão de não terem sido acompanhadas pelo público que certamente daria outro colorido a este segundo dia de competição em Braga.

Para o dia 25 de Abril, domingo, e porque nunca é demais lembrar, a ANPAC apelou à responsabilidade de todos para o cumprimento das regras básicas de segurança como o uso de máscara todo o tempo em que estiverem no Circuito Vasco Sameiro, mantendo o distanciamento social de dois metros, sempre que possível, e evitando a circulação pelas instalações do complexo desde que não sejam de absoluta necessidade.

No dia seguinte, 25 de Abril, foram realizadas as duas corridas do Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos, respectivamente às 11 horas e 35 minutos e 16:00 horas, ambas com a duração de 25 minutos. A previsão meteorológica, tal como acontecia para hoje, indica apesar de tudo forte possibilidade de chuva.

Depois de vencer a primeira corrida do dia referente ao programa do Campeonato Portugal de Velocidade Clássicos, Rui Costa (Ford Escort) voltou a vencer na segunda corrida, desta feita com maior tranquilidade por força dos acontecimentos logo no arranque da prova que “aliviou” o pelotão de três dos potenciais candidatos ao triunfo final

Uma carambola entre três pilotos, logo na aproximação à primeira curva após a largada, deixou fora de prova João Cruz e Rómulo Mineiro que não evitaram um primeiro toque entre os seus Ford Escort RS 1600, mas também João Macedo Silva que viu o seu Porsche 911 envolvido e arrastado para fora de pista


Na segunda corrida do CPV Clássicos apenas dois pilotos terminaram na mesma volta acabando quase todos os demais por terminar com menos uma volta, havendo mesmo quem terminasse com menos duas e menos quatro voltas que o vencedor final

Para a segunda e última corrida referente ao Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos, disputada no fim de semana de 24 e 25 de Abril no Circuito Vasco Sameiro, em Braga, no âmbito do ANPAC Racing Weekend, um toque entre os Ford Escort de João Cruz e Rómulo Mineiro, que viria a envolver também o Porsche 911 RSR de João Macedo Silva, obrigou desde logo ao abandono destes três homens, eles que haviam sido dos mais rápidos do pelotão no fim de semana. Passando sem consequências por este incidente verificado nos primeiros metros logo depois da largada, na aproximação do pelotão à primeira curva, Rui Costa (Ford Escort 1300) assumiu o comando da corrida a partir daí e jamais o largaria, acabando por levar o triunfo até à bandeirada de xadrez, somando assim duas vitórias em igual número de corridas este fim de semana.

Num início de tarde em que o sol se fez sentir na região de Braga, de forma bem distinta do que acontecera durante a manhã, os pilotos em prova acabaram por permitir uma competição de algum modo tranquila em que Rui Costa, o líder, mas também Rui Alves, em carro idêntico, ambos da categoria H75, foram os únicos que terminaram na mesma volta. Todos os demais terminaram a prova com pelo menos uma volta de atraso, havendo mesmo quem terminasse com menos duas e menos quatro voltas.

Por categorias, e para além dos resultados já referidos para o vencedor à geral e consequente vencedor entre os H75, nota para o triunfo de Jorge Cruz que foi o terceiro à geral com o BMW 323 i nos H81, também de João Paulo Lima com o seu Alfa Romeo 1750 GTAm entre os H71, ainda de Rui Azevedo ao volante do Ford Escort RS 2000 em Grupo 1 e de Marco Pinto com o seu BMW 320 Ti, vencedor entre os Grupo 5. Aliás, se a luta pelo triunfo à geral não empolgou, o mesmo não se pode dizer de algumas lutas no meio do pelotão que mantiveram viva a corrida até ao final.

À geral, Rui Costa acabou assim por garantir o segundo triunfo da tarde no Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos, competição que regressa no último fim de semana de Junho em Vila Real.


TAGS: Campeonato Português de Velocidade


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment