Dez protótipos Porsche que nunca soube que existiram

Clássicos 19 Fev 2021

Dez protótipos Porsche que nunca soube que existiram

Quando se fala em Porsche, a primeira coisa que vem à ideia é o 911, ou supercarros como o 959 e o 918 Spyder. A marca produziu dezenas de automóveis icónicos desde que introduziu o 356, no final dos anos 40, mas também desenhou vários protótipos que não chegaram à linha de produção, carros de corrida extremamente raros, e até alguns automóveis estranhos, incluindo carrinhas e automóveis familiares compactos. Segue-se uma lista de dez protótipos Porsche que nunca soube que existiram.


Porsche Type 530 (1953)


O type 530 é um exemplar único, construído pela marca em 1953. Tinha como base o 356, mas tinha uma maior distância entre eixos, portas mais compridas e mais dois bancos para passageiros. O 530 foi a primeira tentativa da Porsche para um automóvel desportivo de quatro verdadeiros lugares, um conceito que levou ao Type 754, em 1959, e depois ao icónico 911.


Porsche Type 542 (1954)


Maior parte das pessoas pensa que a Porsche construiu o seu primeiro protótipo de quatro portas nos anos 80, mas isso não é verdade. A marca explorou inicialmente este conceito no início de 1950, quando lhes foi pedido pela marca americana Studebaker, que criassem uma sedan. Ferry Porsche começou a trabalhar no Type 542 Project em 1952, e enviou quatro protótipos para a fábrica da Studebaker, no estado do Indiana, em 1954.

O Type 542 não se parecia nada com um Porsche, sendo bastante maior que um saloon europeu, mas mantinha a característica do motor instalado na traseira.

Há quem diga que a Studebaker pediu que o motor fosse instalado na frente, e também com tracção frontal, mas Ferry ignorou este pedido. Quando a Porsche entregou os protótipos à marca americana, esta encontrava-se com problemas financeiros, então os automóveis não foram avaliados até 1956. Foram eventualmente testados por John DeLorean, que concluiu que estes tinham “um grande interesse técnico, mas que uma série de detalhes precisam de ser refinados para se tornar num pequeno automóvel com interesse para o povo americano”. O Type 542 acabou por ser rejeitado, uma vez que a Studebaker preferiu os seus modelos Champion e Commander.


Porsche 356 B Abarth Carrera GTL (1959)


A Porsche introduziu o seu primeiro automóvel, o 356, em 1948. O coupé de duas portas foi imediatamente alterado para corridas, e teve uma carreira bastante bem-sucedida nas pistas. Nas 24 Horas de Le Mans de 1951, teve uma vitória na sua categoria, conquistando também prémios em vários eventos por todo o mundo. Nos finais da década de 50, o 356 já não era competitivo, devido ao aparecimento de automóveis com motores mais pequenos, das marcas Alfa Romeo e Lotus. Isto levou a Porsche a unir-se com a Abarth para recriar o 356 com melhor aerodinâmica. Foi assim que nasceu o Porsche 356 B Abarth Carrera GTL, com muito poucas unidades produzidas. Este Carrera GTL era bastante diferente do 356, mas era mais rápido na pista, conquistando vitórias na sua categoria e Le Mans, durante três anos consecutivos.


Porsche RS60 (1960)


Em 1957, a Porsche substituiu o 550 Spyder pelo 718. Construído até 1962, o 718 liderou a investida da marca alemã em várias categorias de corrida como Fórmula 1 e Fórmula 2. Como resultado disso, várias versões foram produzidas, e o RS60 é o mais raro de todas essas.

Com apenas quatro unidades produzidas para a temporada de competição de 1960, que introduziu novas regras, o RS60 estava equipado com uma para-brisas e cockpit diferentes do original 718, um motor de quatro cilindros em linha com 1,6 litros de cilindrada, com 160cv de potência.

O RS60 venceu as 12 Horas de Sebring e a Targa Florio nesse ano, mas também ajudou a Porsche a manter o seu terceiro título consecutivo no Campeonato Europeu de Montanha.


Porsche 909 Bergspyder (1968)


No tópico de provas de subida de montanha, a Porsche manteve o sucesso nesta categoria durante os anos 60 com modelos como o 910, 907 e 908. Tendo vencido o campeonato em 1966 e 1967, a Porsche descobriu que a Ferrari estava a trabalhar num automóvel mais leve para estas provas. Os germânicos começaram a desenvolver um novo modelo para combater a marca italiana, e introduziram o 909 Bergspyder em 1968. O 909 era mais pequeno que o seu antecessor e extremamente leve, a marcar 374 kg na balança. O seu chassis foi construído em alumínio, enquanto que a carroçaria era totalmente em plástico. Era alimentado por um motor com dois litros de cilindrada e 275cv de potência. Devido à sua incrível relação entre peso e potência, o 909 precisava de apenas 2.4 segundos para atingir os 80 km/h, mais rápido que muitos supercarros disponíveis nos dias de hoje.

Apesar de muitos pilotos optarem por correr com o antigo 910, o 909 ajudou a Porsche a vencer mais um Campeonato de Montanha. O 909 foi o último automóvel que a marca alemã produziu para este propósito, e foi retirado das provas depois da temporada de 1968.


Porsche B32 (1983)


Nos finais de 2020, a Porsche revelou vários automóveis que foram construídos durante os anos e que ficaram escondidos do público. Esta lista inclui uma carrinha de apoio, desenvolvida como tributo às carrinhas de serviço que a equipa desportiva da Volkswagen usava na altura. Esta não é a primeira carrinha desenvolvida pela Porsche. Em 1983, a empresa de Estugarda modificou uma Volkswagen T3, de modo a criar um veículo de apoio rápido enquanto testavam o modelo 959, que estavam a desenvolver para o Rally Paris-Dakar.

Apesar de parecer uma Volkswagen T3 normal por fora, a B32 era um 911 por baixo da carroçaria. Estava equipada com um motor de seis cilindros em linha e 3,2 litros de cilindrada, travões maiores, uma suspensão mais desportiva e uma caixa de velocidades do 911 SC. Com 231cv de potência, era mais rápida que uma T3 normal. Precisava de apenas oito segundos para atingir os 99 km/h, com uma velocidade máxima de 217 km/h.

A Porsche construiu cerca de 15 carrinhas, incluindo protótipos. A B32 nunca foi construída com a intenção de seguir para produção, mas algumas foram vendidas a clientes especiais, enquanto que as restantes foram mantidas para transportar os funcionários mais rápido.


Porsche 935 Street (1983)


O 935 Street foi um exemplar único construído para o fundador do Grupo TAG, em 1983. Para contextualizar, a TAG patrocinava a Porsche nos seus esforços no desporto motorizado na época. O 935 Street foi o primeiro projecto da Porsche Exclusive, e não era necessariamente uma versão de estrada do 935 de competição. O exterior era de um 930 altamente modificado, com o capot inclinado, enquanto que base veio de um 934 de corrida. No entanto, o 935 Street tinha algumas características da versão de competição, como a suspensão, sistema de travagem e a traseira mais larga.

Este automóvel único foi leiloado por 400 mil dólares, cerca de 330 mil euros, em 2014, com apenas 20.000 km no odómetro.


Porsche 984 (1984)


O Porsche 984 foi desenvolvido entre 1984 e 1987, como um automóvel desportivo compacto mais acessível. Supostamente inspirado num projecto conduzido pela Porsche para a Seat, era originalmente entendido apresentar o 984 nos finais da década de 80, por 14.000 dólares.

Seria o automóvel mais acessível da marca até à data. A pesar 907 kg, o protótipo apresentava um hard-top retrátil e tracção às quatro rodas. Foi visionado com um motor de quatro cilindros e dois litros de cilindrada, que atingia entre os 120cv e os 150cv de potência. Enquanto que a sua frente foi inspirada no 928, a sua traseira era semelhante à do 914 dos anos 60.

A Porsche testou o 984 extensivamente e os executivos da empresa estavam agradados com a ideia, mas a queda no mercado de acções na década de 80 levou a Porsche a cancelar o projecto. Alguns dos aspectos deste protótipo foram eventualmente usadas no desenvolvimento do Boxster de primeira geração.


Porsche 989 (1988)


O 989 foi desenvolvido entre 1989 e 1991, e foi a primeira tentativa da marca de desenvolver uma sedan de quatro portas. A seguir ao sucesso do 928 no início de 1980, a Porsche começou a pensar introduzir outro modelo maior ao público. A ideia era criar um modelo de quatro portas, mais confortável e práctico, mas com a potência e velocidade do 928. O 989 manteve várias semelhanças com o design do 911, mas apresentava um motor V8 montado na frente do automóvel.

Mas com as vendas do 928 a cair drasticamente no início de 1990, os executivos da Porsche reavaliaram a ideia e consideraram o 989 demasiado arriscado, dado o estado financeiro da empresa. O projecto foi cancelado no início de 1992, e só 17 mais tarde é que a marca iniciou a produção de outra sedan de quatro portas.


Porsche C88 (1993)


Possivelmente o modelo menos conhecido desta lista, o C88 era um pequeno automóvel familiar desenhado pela marca alemã para o mercado chinês. Um projecto subcontratado da Porsche para o governo chinês, que levou vários constructores a propor designs para o seu mercado no início da década de 90. O C88 foi apresentado ao público no Auto Show de Beijing, em 1994. Equipado com um pequeno motor de quatro cilindros e 1,1 litros de cilindrada com 65cv de potência, o C88 foi um candidato muito forte para o mercado chinês. No entanto, o projecto acabou por ser rejeitado, e o protótipo está agora em exposição no Museu Porsche.


TAGS: Porsche 356 B Abarth Carrera GTL Porsche 542 Porsche 909 Bergspyder Porsche 935 Street Porsche 984 Porsche 989 Porsche B32 Porsche C88 Porsche RS60 Porsche Type 530


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment