Celica ST162 Turbo GTO, a máquina que defendeu as cores da Toyota no IMSA

Competição 31 Jan 2021

Celica ST162 Turbo GTO, a máquina que defendeu as cores da Toyota no IMSA

Por Tiago Nova

A All American Racers, conhecida também por AAR, foi fundada por Dan Gurney e Carroll Shelby, em 1964, em Santa Ana, Orange Country, Califórnia, com a ajuda da Goodyear Tire Company. Foi a única fabricante de automóveis de competição dos EUA que construiu um automóvel de Fórmula 1 e da Indy 500, ambos ganhadores. A AAR teve o apoio da Toyota, para desenvolver modelos da marca nipónica, para as categorias GTU, GTO e GTP do IMSA GT Championship, de 1983 a 1989.
 
Em 1986, a AAR construiu três automóveis de competição, com base no Toyota Celica ST162, para combater na categoria GTO (Grand Touring Over 2.5L) do IMSA, com a ajuda do designer de automóveis da Indy, Roman Slobodinsky.
 
Estes Celica estavam equipados com os motores 4T-GTE de quatro cilindros em linha e de 2090 cc de cilindrada, equipados com duas árvores de cames, oito válvulas, turbo KKK, ignição Nippondenso e duas velas por cilindro, mas tinham de competir com automóveis de cilindrada entre os 5000 e os 5900 cc. Ainda assim, mesmo com os Celica a desenvolver somente 450 cv, quando comprado com os 600 cv dos motores V8, o seu andamento impressionou, devido à sua boa aerodinâmica, estabilidade a alta velocidade e tecnologia de construção bastante avançada. O peso é de somente 970 kg, o que faz ser um automóvel bastante rápido. A suspensão é independente nas quatro rodas de triângulos sobrepostos.
 
O chassis é tubular em crómio-molibdénio, com um túnel de transmissão a meio, pois este automóvel é de tracção traseira, através de uma caixa transaxle Hewland VGC de cinco velocidades manual e um eixo em carbono.
 
O interior é todo focado na competição, com um volante em alcântara, tablier em fibra de carbono, painéis em fibra de vidro e alumínio e tubagens de arrefecimento para o piloto com filtro. Os mostradores só mostram o essencial, estando presente o conta-rotações ligeiramente inclinado, pressão e temperatura do óleo, temperatura da água e velocímetro, todos desenvolvidos pelo Nippondenso e TRD.
 
A carroçaria foi alargada, principalmente na zona das cavas das rodas, para aumentar a largura de vias e, assim, aumentar a estabilidade, tudo estudo em túnel de vento, mantendo só o tejadilho e portas do modelo original. Na traseira tinha ainda condutas atrás das rodas e por debaixo da carroçaria, para canalizar o ar de modo a adquirir a melhor eficiência aerodinâmica, ajudado também pelo spoiler traseiro, produzindo força descendente. O escape sai logo atrás da roda da frente. Utiliza jantes MOMO de 16”, com o look idêntico às utilizadas no NASCAR, com pneus slick Goodyear Eagle.
 
Estes Celica, com os números 98 e 99, conseguiram várias vitórias na categoria, vencendo o campeonato na classe GTO em 1987, com o piloto Chris Cord. Competiram de 1986 a 1989, altura em que o projecto centrou-se no desenvolvimento dos protótipos.
 

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Toyota Celica ST162 Turbo GTO


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment