Colecção BMW do piloto Henry Schmitt vai a leilão

Mercado 31 Dez 2020

Colecção BMW do piloto Henry Schmitt vai a leilão

Henry Schmitt é um piloto e coleccionador de automóveis, que nutre uma grande paixão pela BMW, mais especificamente por modelos de competição ou desportivos. A marca de Munique sempre teve grande êxito nas pistas, criando mesmo a divisão M, para o desenvolvimento de automóveis de competição e de estrada de alta performance. Agora, Schmitt, através da Stratas Auctions, irá levar sete modelos da sua colecção a leilão, que terá início no próximo dia 19 de Janeiro.

Começamos pelo BMW 2002 Ti Rallye de 1968, que foi convertido para competir em ralis logo após a sua venda. Está actualmente com a decoração da Atlantic Mineralölwerk e uma carroçaria idêntica às da Alpina. O motor de dois litros de cilindrada tem várias alterações, como a injeção Alpina A4. O motor está acoplado a uma caixa de relações curtas C/R, de cinco velocidades. Toda a carroçaria foi reforçada, assim como a suspensão e travagem melhorada.

Continuando nos 2002, o exemplar de 1969, transformado para provas de velocidade de clássicos em 2011 pela Racecraft, equipado com o motor M10 de dois litros de cilindrada, com as mesmas especificações utilizadas em 1968, incluindo os carburadores Weber 48 DCOE. O motor está acoplado a uma caixa do BMW 320i de cinco velocidades.


Passando para as máquinas mais potentes, encontramos um 3.5 CSL IMSA de 1974, desenvolvido para participar nas provas de resistência norte-americanas, inserido na categoria GTO. Este mesmo exemplar venceu as 12 Horas de Sebring de 1975. Esteve 20 anos guardado, até Schmitt o ter adquirido e continuou a competir até 2016, quando ele soube que este era o mesmo automóvel vencedor das 12 Horas de Sebring. Após isso, restaurou-o por completo e deixou de participar activamente em corridas. Está equipado com o motor M49 de 3,5 litros de cilindrada, acoplado a uma caixa manual de cinco velocidades.

Continuando nos 3.5 CSL, Schmitt construiu um de raiz, designando-o de 3.5 CSL Continuation, com base numa carroçaria BMW Motorsport de 1975, que nunca competiu. Foi pintado de preto, com a decoração típica da Alpina, estando equipado com o motor de 3,5 litros original com cabeça do motor S38 de quatro válvulas por cilindro, com aproximadamente 500cv. O motor tem apenas 14 horas de trabalho, efectuadas em testes. O peso é de apenas 816 kg.

Para terminar os automóveis de competição, o mais recente de todos é o BMW M6 GT3, de 2018, com o chassis número 1621, que terminou as 24 Horas de Spa de 2018 em segundo lugar. Este automóvel está equipado com o motor S63 V8 de 4,4 litros e sistema TwinPower Turbo, desenvolvendo 585cv. Acoplado ao motor está uma caixa Ricardo de seis velocidades sequenciais.

Neste leilão estão ainda presentes dois automóveis de estrada, mas ainda assim, com pedigree de competição. O mais raro é o BMW Z1 Alpina RLE de 1991, o exemplar 28 de apenas 66 produzidos. Metade desses exemplares foram para o Japão e este foi um deles, tendo chegado aos E.U.A em 2014. Como curiosidade, RLE significa Roadster Limited Edition. Esta versão conta com um motor de seis cilindros em linha e 2,7 litros de cilindrada, desenvolvendo 200cv, o mesmo que equipava o Alpina B3. Este exemplar conta com apenas 34.908 km percorridos.

Para terminar, o BMW 850 CSi de 1995, equipado com o motor S70 V12 de 5,6 litros de cilindrada, a desenvolver 380cv e acoplado a uma caixa manual de seis velocidades. Este exemplar teve apenas dois proprietários e conta com apenas 60.903 km percorridos.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Alpina BMW BMW 2002 BMW 3.5 CSL Batmobile BMW M6 BMW Serie 8 BMW Z1 Henry Schmitt Stratas Auctions


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment