Citroën 2CV Charleston celebra 40 anos

Clássicos 01 Nov 2020

Citroën 2CV Charleston celebra 40 anos

Há 40 anos, em 1980, a Citroën lançava uma Série Especial de 8.000 unidades do seu 2CV designada “Charleston”, que em França tinha um preço de 24.800 francos franceses. Como o Comunicado de Imprensa então afirmava na época, “Para satisfazer os ‘puristas’ do 2CV, os faróis são redondos com as respetivas carcaças em vermelho.”

Simultaneamente chic e original, o 2CV 6 Charleston incorporava o mais elevado patamar de conteúdos e de potência de sempre para um 2CV. Após o 2CV Spot de 1976, o 2CV 6 Charleston dominou o novo fenómeno das séries limitadas. Com base no nível de equipamento Club, o 2CV 6 Charleston distingue-se pelos seus revestimentos interiores específicos e os faróis redondos, à semelhança do 2CV Spécial.

O sucesso foi tal, que no ano seguinte, em Julho de 1981, a série limitada passou a ilimitada, passando a produzir-se em série na fábrica de Levallois e a integrar o catálogo da gama de modelos Citroën. A versão de produção em série diferia da edição limitada pela adoção de faróis cromados e revestimentos interiores cinza, com decorações em formato de losango.




Inicialmente proposto com uma pintura bicolor Vermelho Delage e Preto, o 2CV Charleston ver-se-ia, em Julho de 1982, complementado por uma versão em Amarelo Hélios e Preto, substituída em Julho do ano seguinte por outra em dois tons Cinza, Nocturne e Cormoran.

A partir de 1988, a produção passou a ser assegurada pela fábrica de Mangualde, em Portugal. Os modelos produzidos nesta unidade são identificáveis pela presença da marca do fabricante de vidros “Covina”, inserida nas diferentes superfícies vidradas do veículo.

A 27 de Julho de 1990, às 16h30, saiu das linhas de produção de Mangualde o último 2CV, uma unidade 2CV 6 Charleston em Cinza Nocturne e Cinza Cormoran. Foi a unidade nº 5.114. 969, e última, do “2 Cavalos” (“Deuche” para os franceses).

O “2 Cavalos” tornou-se num dos ícones da história do automóvel e congrega uma imensidão de coleccionadores em todo o mundo. O Charleston contribuiu para este sucesso, tendo reforçado a imagem do modelo durante os últimos 10 anos de produção.


2 CV Charleston: Um charme assumidamente rétro

O 2CV 6 Charleston apresenta todo o charme e simplicidade do 2CV, adicionando, em total harmonia, um toque extra de jovialidade e elegância. É revestido por uma pintura inconfundível bicolor cujas tonalidades são separadas por um recorte arredondado fazendo lembrar as linhas do protótipo 2CV de 1939.

A tonalidade mais escura cobre a parte inferior da carroçaria, os guarda-lamas e o tejadilho até a parte superior do para-brisas. A tonalidade mais clara cobre a porta da bagageira, o capô, a moldura das janelas e a moldura do para-brisas, bem como as jantes. Um rebordo composto por duas listas brancas contorna a parte superior das janelas, seguindo o seu formato arredondado, e na zona superior, uma ripa cromada adorna as calhas de escoamento de água em volta das portas.


Enquanto a edição limitada Charleston recebe faróis em vermelho Delage, as versões normais, de produção em série, contam com faróis cromados. Os para-choques são em cor cinza metalizada e a porta da bagageira apresenta um monograma adesivo em forma quadrada, com a designação da versão. As longarinas da carroçaria possuem ripas cromadas e as rodas possuem embelezadores cromados herdados do Dyane.

Adoptando o nível de acabamento do 2CV 6 Club, o painel de instrumentos é equipado com um velocímetro de grandes dimensões e botões de premir de forma retangular, para accionamento dos comandos do limpa para-brisas, piscas e a luz do nível de fluido dos travões. Conta ainda com volante monobraço que, desde 1976, equipa os 2CV topo de gama. O equipamento de conforto inclui também palas para-sol, com espelho de cortesia para o passageiro. Atrás das palas estão alojados os dois ganchos de desbloqueio da capota, para abertura da mesma a partir do interior.

O interior das portas é revestido por um tecido cinza e uma faixa em plástico preto, incluindo, na sua estrutura, uma alça para ajudar a fechar as portas, e revestimento do punho de abertura e do sistema de fecho. O 2CV 6 Charleston recebeu, na sua edição limitada, bancos com revestimento “Pieds de Coq“, enquanto as unidades produzidas em série apresentam revestimentos em cinzento com motivos em formato de losango.


Ao contrário dos 2CV 6 Club e Special, a opção de embraiagem centrífuga não esteve disponível. Aquando do seu lançamento e ao longo da sua carreira, o motor do 2CV 6 Charleston não sofreria quaisquer alterações significativas. Assim, esta versão dispõe do motor A06/635 com uma potência de 29cv DIN às 5.750 rpm, nível de performance possível graças à adopção, em 1978, de um carburador de duplo corpo Solex 26/35 CSIC. No restante, este motor de 602 cm3, ao serviço desde fevereiro de 1970, mantém as suas principais características. O diâmetro e o curso foram sempre de 74 x 70 mm, resultando numa taxa de compressão de 8,5 e num binário de 4 mkg às 3.500 rpm.

O equipamento elétrico de 12V conta com um alternador 28A acionado por correia a uma polia que aciona também a ventoinha de refrigeração de 9 lâminas. A suspensão funciona em interação entre os dois eixos e dispõe de molas helicoidais. Os travões são de tambor à frente e atrás, comandados por um cilindro mestre simples.


TAGS: Citroën 2CV


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment