Arno XI, o Ferrari dos mares está à venda

Mercado 08 Out 2020

Arno XI, o Ferrari dos mares está à venda

A Ferrari é, sem dúvida alguma, conhecida pelos seus formidáveis automóveis, no entanto, na sua história, estão presentes outros veículos, como as motos e os barcos. Décadas antes da colaboração entre a Riva e a Ferrari, que resultou na produção de 40 exemplares do Riva-Ferrari 32 em 1990, já havia um barco a ostentar o nome da marca de Maranello.

Com um único objectivo, que era estabelecer um novo recorde de velocidade na água, o hidroplano Arno XI foi construído em 1952 pela Cantieri Timossi, a pedido do piloto Achille Castoldi. O objectivo foi cumprido, atingindo os 242km/h, um novo recorde para a categoria dos 800kg e que se mantém até hoje, executado no Lago de Iseo a 15 de Outubro de 1953. No entanto, isto nunca teria acontecido, se não fosse a ajuda de um tal de Enzo Ferrari, que deu o nome ao barco de GP 52/1 Nautico.

A estrutura do barco é construída em madeira bastante resistente, com uma subestrutura em alumínio e exterior em Mogno, uma madeira tropical. Para propulsionar o Arno XI, Castoldi tinha adquirido um motor V12 de 4,7L idêntico ao utilizado pelo Ferrari 375, pintando o barco em Rosso Corsa. Ao saber do projecto, Enzo Ferrari fica entusiasmado e envia a Castoldi um motor muito mais potente e preparado para as provas de Grande Prémio, assim como cedeu os serviços do engenheiro chefe Stefano Meazza, para a sua preparação.

A equipa da Scuderia Ferrari quase duplicou a taxa de compressão, podendo utilizar metanol como combustível, e substituíram os distribuidores e cabos por dois magnetos, para assim poder aguentar uma faísca mais quente. Além disso, dotaram os cilindros de duas velas cada, para uma queima de combustível melhorada. Por fim, adicionaram ainda dois compressores volumétricos, que comprimiam o ar para alimentar os dois carburadores Weber de quadruplo corpo, para elevar a potência até aos 600cv.

Após estabelecer o recorde, Castoldi construiu outro barco, para uma categoria diferente, mas o motor acabaria por explodir e Castoldi retirou-se da competição pouco depois. O Arno XI, acabaria por ser vendido a Nando dell’Orto, que competiu em várias provas da Fórmula 1 da água, vencendo muitas delas, cruzando o caminho com os automóveis de competição da Ferrari. Ele acabaria por alterar a aerodinâmica e competia agora na categoria de 900 kg, terminando em segundo, numa prova em 1965, a última do Arno XI.

O Arno XI seria completamente restaurado e certificado pela Ferrari Classiche. Agora, esta magnífica peça da história da Ferrari está para venda, na duPont Registry, na Flórida, com preço sob consulta. A acompanhar o barco, seguem imensas fotografias da época, assim como manuscritos elaborados pelos membros da Scuderia Ferrari. Recorde-se que em 2012, a RM Sotheby’s levou o Arno XI a leilão, no Mónaco, tendo sido vendido por pouco mais de 933 mil euros.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Achille Castoldi Arno XI Cantieri Timossi duPont Registry Enzo Ferrari Ferrari Nando dell’Orto RM Sotheby's Scuderia Ferrari


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment