AKWEL renova apoio ao Museu do Caramulo

Clássicos 30 Set 2020

AKWEL renova apoio ao Museu do Caramulo

A empresa francesa AKWEL, que conta também com presença em Portugal, “apadrinhou” o Panhard & Levassor 16/18HP de 1927 da colecção permanente do Museu do Caramulo.
 
Este apoio será orientado para a conservação e manutenção do automóvel durante o período de um ano.
 
Sobre o Panhard & Levassor 16/18HP
 
O primeiro Panhard & Levassor foi apresentado em 1889, no Salão de Paris, e tinha motor Daimler por Gottlieb Daimler, cuja licença de comercialização pertencia a René Panhard e Emile Levassor.
 
Em 1901, foi apresentado um novo automóvel, já com motor próprio, montado à frente. Porém, a parceria terminaria tragicamente em 1897 quando, participando numa corrida de automóveis entre Paris e Marselha, Emile Levassor se despistou perto de Avignon, perdendo a vida.
 
René Panhard desenvolveu novos modelos, para uso diário ou para competir, equipados com grande variedade de motores.
 
Em 1909, a Panhard equipou um motor de quatro cilindros com válvulas de manga, uma tecnologia desenvolvida por Charles Knight. A solução foi adoptada para os carros de grandes dimensões. O principal inconveniente era o elevado consumo de óleo, com o característico rasto de fumo azul.
 
Com o final da Primeira Guerra Mundial, a Panhard apresentou motores de 2.280 c.c., 3.178 c.c. e 4.849 c.c., todos equipados com válvulas de manga. Permaneceram em produção até 1930, em simultâneo com modelos mais pequenos, como o 10 CV, com motor de 1.188 c.c..
 
O tempo passou e o final da Segunda Guerra Mundial levou Panhard a produzir modelos de menores dimensões, com motores de dois cilindros refrigerados a ar, abandonando os tempos de luxo que haviam caracterizado a marca.
 
O Panhard & Levassor 16/18 CV, presente hoje em dia no Museu do Caramulo, foi comprado por João de Lacerda em Dezembro de 1955 ao Marquês de Santa Iria, D. José Luiz de Vasconcelos, seu primeiro proprietário. Finalizado, a pedido do próprio Marquês, na Carrosserie Jansen, em Paris, o Panhard & Levassor recebeu uma carroçaria do tipo “brougham” de seis lugares, com a cabine dos passageiros forrada a veludo. O elegante Panhard & Levassor entrou em Portugal a 12 de Abril de 1927.
 
Desde a sua aquisição por parte do museu, o carro francês foi restaurado apenas a nível mecânico e uma pintura exterior. Actualmente, o conta-quilómetros marca apenas 55.000 quilómetros percorridos.
 
Sobre a AKWEL
 
A AKWEL, com operações em mais de 20 países, projecta, desenvolve e distribuí produtos e sistemas eficientes, com um know-how industrial e tecnológico de primeira classe no campo de aplicação e transformação de materiais e integração mecatrónica.
 
Oferece aos seus clientes em todo o mundo soluções cada vez mais competitivas para tornar seus veículos mais fiáveis, mais respeitosos com o meio ambiente e mais agradáveis de conduzir.


TAGS: Museu do Caramulo Panhard & Levassor


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment