Este Ferrari é o automóvel mais caro vendido num leilão online

Mercado 21 Ago 2020

Este Ferrari é o automóvel mais caro vendido num leilão online

A nova “normalidade” assim o obriga e agora, os grandes leilões de automóveis de coleccionadores, estão restringidos e decorrem somente online. Na passada semana, a RM Sotheby’s levou a cabo o seu leilão anual na Monterey Week, onde vários foram os automóveis vendidos, com sete a exceder a fasquia de um milhão de dólares.

Com isto e tal como o título indica, o Ferrari 550 GT1 deste artigo foi o automóvel mais caro vendido num leilão online, com um valor de 4.29 milhões de dólares, algo como 3.62 milhões de euros, após uma grande batalha de licitações. Isto demonstra, que os Ferrari 550 GT1 são ícones da era moderna dos desportivos de competição. Foi totalmente restaurado, tendo o certificado da Ferrari Classiche, o livro de manutenções e o registo britânico de Junho de 2000, algo que só aumenta mais a vontade de se juntar a qualquer colecção.


Este Ferrari 550 GT1 de 2001, com o chassis número ZFFZR49B000108418, foi levado a leilão pela própria equipa que promovia o programa desportivo do modelo, a Care Racing Development, a única proprietária do automóvel desde sempre. Com o número de série CRD 002/2001, este foi o segundo de doze exemplares produzidos do Ferrari 550 GT1 pela Prodrive. No seu palmarés de quatro anos no activo, conta com 49 corridas, 15 Pole Positions, 29 pódios e 14 vitórias, incluindo as 24h de Spa, em 2004, decoração que mantém hoje da BMS Scuderia Italia. Fica marcado também, por ter sido o último V12 da Ferrari a vencer uma prova de 24 horas de duração. Foi também o vencedor do FIA GT Championship de 2004, com os pilotos Luca Cappellari e Fabrizio Gollin.

O Ferrari 550 Maranello nunca foi pensado para ser um automóvel de competição, no entanto, várias equipas privadas desenvolveram as suas próprias versões, como é o caso da Prodrive. Este automóvel foi todo construído pela empresa britânica sem qualquer suporte da Ferrari. Após a Prodrive passar ao desenvolvimento do Aston Martin DBR9, o suporte às equipas do Ferrari 550 era feito pela própria Care Racing Development.

Os 550 GT1 foram encomendados à Prodrive por Frederic Dor, dono da Care Racing Development, e viram o seu motor V12 ser alargado dos 5,5 para os 6,0 litros de cilindrada e a caixa de velocidades era substituída por uma Xtrac de seis velocidades sequenciais. Em relação ao modelo de estrada, este era mais leve uns 550 kg. A suspensão foi trabalhada por Peter Stevens, designer do McLaren F1, assim como a carroçaria e a aerodinâmica.

Como curiosidade, o motor que foi utilizado nas 24 Horas de Spa, com o número 510, não está montado no automóvel, no entanto, para ficar totalmente conforme, esse motor está a ser restaurado na Prodrive, onde também irá ser testado em banco de potência, para ser dado ao novo proprietário.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: BMS Scuderia Italia Care Racing Development Ferrari 550 Prodrive RM Sotheby's


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment