Autopia, a atracção da Disneyland para os pequenos petrolheads

LifeStyle 01 Ago 2020

Autopia, a atracção da Disneyland para os pequenos petrolheads

A 17 de Julho de 1955, Walt Disney realizava um dos seus maiores sonhos, que era criar um parque de diversões, ou como ele lhe chamava “o lugar mais feliz do mundo”, abrindo assim a Disneyland, em Anaheim, na Califórnia. O investimento foi de 17 milhões de dólares, espalhados por várias atracções nos mais de 64 hectares do terreno. No dia de abertura, eram esperadas mais de 15.000 pessoas, no entanto, esse número duplicou devido a várias pessoas que saltaram as cercas e a bilhetes falsificados.

Uma das atracções mais antecipadas da Disneyland e relacionada com automóveis, era a Autopia, com o nome proveniente da conjugação de automobile e utopia. A Autopia consistia numa pista que era utilizada por veículos equipados com o motor Gladden de um cilindro e quatro tempos, 318cc de cilindrada e 7.5cv de potência. O motor montado na traseira, propulsionava a roda traseira esquerda, através de uma correia e uma embraiagem centrífuga. A velocidade máxima estava limitada aos 17 km/h. O peso era de 72 kg e em cada automóvel poderiam sentar-se dois adultos sem grandes problemas, no entanto, foram projectados para crianças dos seis aos 16 anos. Walt Disney tinha um veículo especial para uso próprio.

A locomoção dos automóveis era feita por dois pedais de acelerador, um em cada lado. A travagem era feita com a retirada do pé do acelerador. Exteriormente, havia uma alavanca do lado esquerdo, para travar o automóvel, e para-choques a toda a volta, para uma maior segurança.

Posteriormente, foram adicionados rails na pista, para evitar acidentes, algo que não tinha nos primeiros anos. Além disso, havia automóveis sem limitador de velocidade, para interceptar quem não respeitava as regras.

Originalmente foram produzidos 32 automóveis para serem utilizados na Autopia, mas muitos ficaram destruídos em acidentes. Estes veículos à escala de 5/8 foram desenhados por Bob Gurr, que tinha estado na equipa de design do Lincoln Continental e foi buscar inspiração aos desportivos italianos. Gurr trabalhou mesmo 40 anos com Walt Disney, como Director of Special Vehicular Development, desenhando todo o tipo de automóveis utilizados na Disneyland.

O chassis e a condução dos automóveis estavam a cargo de Johnny Hartman da Hartman Engineering, enquanto as carroçarias de fibra de vidro eram produzidas por Bill Tritt, da Glasspar. A montagem e testes eram executados por Ted Mangels e Ed Martindale da Mameco Engineering. Os pequenos automóveis eram patrocinados pela Richfield Oil.

Antes mesmo do parque abrir, os veículos foram testados, sem os para-choques, mas chegou-se à conclusão que seriam destruídos num instante. Estes primeiros automóveis, utilizados na abertura do parque, eram designados de Mark I. Até 1958, os veículos foram sendo evoluídos, através do Mark II, III e IV, mas sempre com o mesmo design. Em 1959, com a introdução de novas actividades, os automóveis foram remodelados, sendo introduzida a Mark V, já com um design diferente. Em 1964, apareceu o novo desenho nos Mark VI e pouco depois, foi instalado o carril central, que servia de guia aos automóveis. Em 1967, aparecem os novos Mark VII, com um design inspirado nos Corvette Stingray, mantendo-se em serviço até 1999, altura em que foram substituídos pelos Mark VIII, produzidos pela Intermountain Design, com três interpretações diferentes, inspirados nos Chevron Cars.

Em Setembro de 1955, a revista Road and Track foi a primeira a fazer um artigo sobre os pequenos automóveis da Disneyland. Em Outubro do mesmo ano, foi a revista Hot Rod que se seguiu com um teste. No dia da abertura, várias personalidades foram ao recinto e Frank Sinatra e Sammy Davis Jr. foram dos que andaram na Autopia.

A Autopia não existe só na Disneyland da Califórnia, existindo também na Disneyland Paris e existiu, até 2016, na Hong Kong Disneyland. Existem ainda outras versões da Autopia, como a Tomorrowland Speedway, na Magic Kingdom, e a Grand Circuit Raceway na Tokyo Disneyland. Uma versão antiga da Autopia está no Walt Disney Hometown Museum, em Marceline, no estado do Missouri. Como curiosidade, a Autopia é das poucas atrações que se mantém desde 1955, tendo uma grande remodelação em 2000, aumentando o seu tamanho, agora patrocinada pela Chevron até 2012. Actualmente, e desde 2016, o patrocinador é a Honda.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Autopia Disneyland Glasspar Hartman Engineering Intermountain Design Mameco Engineering Richfield Oil


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment