Petrolicious à venda depois de comentários polémicos do seu fundador

Clássicos 13 Jul 2020

Petrolicious à venda depois de comentários polémicos do seu fundador

Qualquer entusiasta por automóveis conhece a Petrolicious, uma plataforma que ao longo dos anos tem vindo a crescer a olhos vistos, seja pelos seus magníficos artigos, seja pelo seu canal de Youtube, com filmagens e histórias soberbas.

Afshin Behnia imigrou do Irão para os EUA em 1979, iniciando a sua carreira na área da tecnologia. Em 2011 vendeu a sua startup e, em conjunto com a sua mulher Kika Vigo-Behnia, antiga executiva da Disney, iniciou a sua nova marca, perseguindo a sua paixão por automóveis da Alfa Romeo. Construiu a Petrolicious, inicialmente como um simples site, para produzir conteúdo de automóveis clássicos, com um crescimento muito rápido, ajudado pelo facto de ter nascido o canal de Youtube, com um conteúdo diferente. Pouco tempo depois, inicia-se a plataforma de venda de automóveis clássicos, seguindo-se os produtos da marca, patrocínios e organização de eventos.

Mas agora, Behnia colocou a marca à venda, tudo devido a alguns comentários polémicos, e acusados de racistas, nas redes sociais. Além disso, a repercussão do problema levou a que várias marcas deixassem de patrocinar a Petrolicious, como é o caso da Turtle Wax e o eBay Motors, assim como a Hagerty, além de muitos seguidores que desistiram da subscrição. Assim, a Petrolicious está à procura de um novo CEO, tendo Behnia admitido que já anda em conversações há cerca de 12 meses com potenciais compradores, indicando que pretende manter-se na companhia.



Não só o site em si está a ter consequências, a Petrolicious mandou um email a todos os seus fornecedores dizendo que não aceitará mais encomendas dos seus produtos, estando as vendas suspensas até existir um novo CEO.

Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube