Roarin’ Rat, um Chevrolet Bel Air com história nas provas de drag racing

Competição 12 Jul 2020

Roarin’ Rat, um Chevrolet Bel Air com história nas provas de drag racing

Por Tiago Nova

As provas de drag ou de arranques como se chama por cá, são muito populares nos EUA, no Reino Unido e na Austrália, onde há famílias inteiras que competem e fazem dos fins de semana de provas uma verdadeira festa. As competições de drag são quase tão antigas como o nascimento dos automóveis, mas sempre foram ilegais e eram executadas na estrada, até à formação da NHRA, em 1951, para tirar as competições da rua e leva-las para locais próprios. Na Europa, este tipo de competição foi importado pelas tropas americanas durante a Guerra Fria, começando em Alemanha e Reino Unido, utilizando aeródromos, até à criação da primeira pista para o efeito, a Santa Pod Raceway, no Reino Unido, em 1966.

Este Chevrolet Bel Air de 1957 foi construído em 1978, ou seja, já com 21 anos, para a provas de drag. Foi dado o nome de Roarin’ Rat e competiu desde então, e sim ainda hoje faz provas, no Reino Unido com o seu proprietário Ken Brookes. Brooks começou a competir nas provas de arranques em 1972, no aeródromo Blackbushe, já com automóveis americanos, pois estes sempre o fascinaram.

O Bel Air chegou ao Reino Unido em 1976, na cor amarela, passando a preto, antes de ser transformado no Roarin’ Rat, por Slick Tricks. Brookes adquiriu-o em 1996, quando estava à venda na Pop Browns, no entanto, o aspecto tinha sido alterado significativamente e estava sem a mecânica e sem o eixo traseiro original. O objectivo de Brookes sempre foi trazer de volta o Roarin’ Rat à sua glória e assim foi.

O Roarin’ Rat está equipado com um motor V8 Big Block, de 7,5 litros de cilindrada, com cabeça em alumínio Merlin, compressor 4/71, dois carburadores duplos Holley e ignição MSD, debitando 700 cv. Acoplado ao motor está uma caixa automática Art Carr Turbo 400, construía especificamente para o automóvel. O eixo traseiro proveio de um Ford.

Apesar do seu aspecto e peso de 1580 kg, consegue fazer os 400 m em menos de dez segundos. A suspensão está exactamente igual à utilizada em 1978. A travagem está a cargo de discos na frente da Jaguar e tambores na traseira da Ford. Brookes adicionou ainda uma rollcage, pois originalmente não tinha e assim aumenta a sua segurança e rigidez. O exterior é completado com jantes American Racing de 15” com pneus Mickey Thompson.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider



Fotografias: Bryn Musselwhite


TAGS: Chevrolet Bel Air


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment