Sikorsky S-67 Blackhawk, o protótipo destruído num festival aéreo

Clássicos 28 Jun 2020

Sikorsky S-67 Blackhawk, o protótipo destruído num festival aéreo

Por Tiago Nova

O Sikorsky S-67 Blackhawk é um protótipo de um helicóptero de ataque de alta velocidade, construído em 1970, com fundos de pesquisa e desenvolvimento da Sikorsky Aircraft, empresa americana, fundada pelo piloto russo-americano Igor Sikorsky, em 1923. A empresa foi vendida em 2015, à Lockheed Martin.

De volta ao S-67 Blackhawk, este foi construído com base na mecânica do Sikorsky S-61, com dois lugares em tandem, ou seja, um à frente do outro, com o piloto atrás e o copiloto na frente, para assim diminuir o arrasto e melhorar a velocidade. O seu nascimento deveu-se à abertura de proposta para o programa AAFSS, Advanced Aerial Fire Support System, do exército norte americano, a 1 de Agosto de 1964. A Lockheed apresentou o seu CL-840 e a Sikorsky o S-66, um helicóptero capaz de chegar aos 460km/h, equipado com um motor Lycoming T55 de 3.400 cv. O Exército acabou por escolher o Lockheed, por ser mais barato de produzir.

Mas, esse programa acabaria por ser adiado e, no entretanto, a Sikorsky apresentou o SH-3 Sea King mas, logo de seguida, o projecto foi melhorado para ser então apresentado o S-67 Blackhawk. O desenvolvimento do S-67 iniciou-se em Novembro de 1969. A produção do protótipo aconteceu a 15 de Fevereiro de 1970, com o seu primeiro voo a ocorreu a 20 de Agosto do mesmo ano. Em 1971, percorreu 5.633 km através de doze bases militares. Este helicóptero, em conjunto com o Bell 309 KingCobra, foi levado a testes intensivos pelo exército americano, em 1972, mas nenhum dos dois foi seleccionado para substituir o Lockheed AH-56 Cheyenne, em vez disso, o exército abriu um novo programa, o Advanced Attack Helicopter, onde foi escolhido o Boeing AH-64 Apache. A ideia seguinte seria a exportação do S-67 e, dessa forma, percorreu vários países da Europa e do Médio Oriente, com mais de 12.070 km percorridos, mas em encomendas efectuadas, apesar do interesse de Israel.

O S-67 está equipado com um rotor principal de cinco hélices, extraído do S-61, mas com algumas modificações para melhorar a sensibilidade, assim como um outro rotor na cauda. O varrimento de 20 graus das hélices do rotor ajudam ao fenómeno SMOT (sub-multiple oscillating track) de modo a atingir e a manter altas velocidades. Para diminuir o arrasto a alta velocidade, as rodas são retraídas, para criar um melhor fluxo. Estava também equipado com travões de ar, montados nas asas, para diminuir a velocidade e aumentar a manobrabilidade, sendo o primeiro sistema deste tipo montado num helicóptero.

O Sikorsky S-67 Blackhawk estava equipado com dois motores a jacto General Electric T58-GE-5 que podem atingir 1.500 cv cada. Em 1974, continuando o desenvolvimento do S-67, foi instalado um rotor protegido na cauda, ao invés do tradicional rotor até então instalado, mas em Agosto desse ano, voltou à configuração anterior, sendo que, nesta mesma altura, foi instalada uma porta lateral para acesso ao compartimento traseiro e a pintura foi alterada para camuflagem de deserto. O peso em vazio do S-67 era de 5.676 kg, tinha um comprimento de 22,66 metros e uma largura de 8,33 metros.

No interior, o S-67 tinha um mostrador com um mapa e sistema de visão noturna. Ao nível do armamento, estava equipado com uma torre Emerson Electric Company TAT-140 que poderia ser equipado com um canhão de três canos de 20 mm XM197, um M61A2 Vulcan ou um XM188 de 30 mm, e poderia levar ainda 16 misseis TOW, rockets Hydra de 70 mm ou misseis ar-ar AIM-9 Sidewinder. 

Durante a sua vida, o S-67 conseguiu bater dois recordes de velocidade na categoria E-1, a 14 de Dezembro de 1970, pilotado por Kurt Cannon e Byron Graham, atingindo os 348,97 km/h em 3 km e os 355,48 km/h do 15 aos 20 km da pista de testes, este último efectuado no dia 19 de Dezembro do mesmo ano. Estes recordes permaneceram durante oito anos. Em 1974, com o segundo rotor na cauda, conseguiu atingir os 370 km/h de velocidade máxima em mergulho.

Infelizmente, em Setembro de 1974, durante uma manobra acrobática a baixa altitude, no Farnborough Airshow, o S-67 Blackhawk embateu no chão com o nariz e em pouco tempo foi tomado pelas chamas. Para além da destruição do único protótipo construído, os dois pilotos, Stu Craig e Kurt Cannon, faleceram. O desenvolvimento do S-67 foi prontamente cancelado após o acidente.

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Sikorsky S-67 Blackhawk


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment