Automóveis clássicos como investimento é um statement

Arquivos 28 Jun 2020

Automóveis clássicos como investimento é um statement

Por Paulo Ramos

A Bitcoin constitui actualmente uma tendência no universo dos investimentos, certo é que um investimento seguro passa por escolhas acertadas e inteligentes. Compreende-se, por isso, que um automóvel clássico seja considerado por muitos como um investimento seguro, dada a sua valorização ao longo do tempo, o seu carácter exclusivo e o crescimento significativo do mercado desses veículos.

 

Ser proprietário de um clássico é, certamente, nutrir uma paixão, que alia o investimento racional ao “sonho de menino”, é um verdadeiro alimento do ego que, naturalmente, combina a aquisição de um activo com a possibilidade de o desfrutar pelo país fora, e não só. Se falarmos em termos meramente financeiros, investir eficazmente passa pela diversificação de um portefólio. E o que a aquisição de um clássico tem quer ver com isso?

 

Um automóvel clássico é muito mais do que valor monetário, é dos poucos investimentos em que o rendimento final não se quantifica exclusivamente pelo lucro, pela valorização do veículo ou pela mais valia financeira que proporciona. Trata-se de uma afirmação, um statement, do proprietário de um clássico, pois quando passeia pela cidade vira cabeças, atrai a atenção de homens e mulheres, jovens e adultos; onde estaciona desperta a curiosidade de outros amantes do veículo; quando leva a família ganha sorrisos e a cumplicidade dos que mais gosta; quando passeia com amigos as conversas são mais animadas, nunca falta tema de conversa, sejam recordações do modelo, sejam histórias de alguém próximo que teve uma aventura com aquele ou outro clássico, ou simplesmente porque se está dentro de algo mais que um automóvel, está-se dentro de um veículo com uma história própria e única.

 

A aquisição de veículos clássicos como investimento é claramente uma opção dos amantes desse tipo de automóveis, pois só esses conseguirão efectivamente valorizar os inúmeros benefícios que lhe estão associados, que em nada se comparam com os de ver um quadro na parede, uma jóia que passa despercebida na roupa, o ouro fechado num cofre ou a moeda electrónica Bitcoin, que devido a oscilação do seu valor pode conduzir à desvalorização e perda de capital.

 

Quem pensa em investir analisa, pondera, compara e percebe que existem investimentos que, apesar de adoptarem a designação de investimento, o retorno final é reduzido ou mesmo inexistente, isto é, tomemos acções como exemplo: a compra de X acções pelo valor Y, ainda que de uma empresa sólida, não pressupõe um investimento rentável à partida. O mercado de acções é regulado pela entidade competente, o que pressupõe alguma credibilidade e estabilidade, mas o retorno de uma conta poupança é, em média, tão ou mais vantajoso financeiramente.

 

Um veículo clássico, consoante o ano de compra e o da venda, o modelo e, ainda, a oportunidade, de acordo com as circunstâncias da altura e o mercado, pode ser muito mais rentável do que uma conta poupança. E, sem dúvida, para os apaixonados por clássicos, acrescenta benefícios que vão muito além mais de uma poupança, com experiências inexplicáveis e inigualáveis.

 

A aposta em veículos clássicos como investimento tem que ver com o fazer renascer a criança, com o poder de ver o mundo de outra forma e deixar que o mundo nos conheça de forma diferente. É poder pertencer a um “clube” exclusivo, é poder estar presente em eventos como participante e desfrutar de experiências enriquecedoras a nível cultural, social e pessoal, que perduram no tempo.

 

Em termos absolutos e concretos, o investimento valoriza de forma constante ano após ano, mas as emoções para o indivíduo, família e amigos têm um valor incalculável, que acrescenta ainda mais valor a esse investimento e que, por isso, deve ser considerado na altura de determinar o destino do seu dinheiro.

 

A escolha do ano, da cor, da marca, do modelo, do tipo de veículo, do país de origem, entre tantos outros aspectos, é determinada pelas preferências pessoais de quem os adquire, contudo há aspectos a ponderar que podem determinar uma maior ou menor valorização num futuro próximo.

 

No mercado abundam marcas e modelos com enorme potencial, porém, há marcas que são mais desejadas do que outras. Temos sempre como aposta segura o VW “Carocha” e o Mini Cooper, contudo para maximizar potencial, e para quem possa realmente dispor de uma quantia mais significativa, marcas como Jaguar, Porsche e Ferrari são sempre uma aposta segura. Naturalmente, entre as opções intermédias poder-se-á considerar BMW e Mercedes. Actualmente, no que concerne ao mercado Todo o Terreno, marcas como a Land Rover, Toyota e mesmo o UMM estão a ganhar um destaque inesperado no mercado, devido aos entusiastas de diversas faixas etárias que passaram a valorizar esses tipos de automóveis.

 

Em conclusão, os automóveis clássicos são claramente uma opção segura de investimento a todos os níveis, é só necessário fazer boas escolhas, isto é, tem em conta a data de matrícula, já que viaturas anteriores a 1960 são as de maior valor, contudo para um investimento a médio e longo prazo, as que foram matriculadas entre 1960 e 1980 são as que apresentam maior potencial de rentabilização.

 

E agora, qual a desculpa para não ter os prazeres de um automóvel clássico, um clássico descapotável ou mesmo de um clássico 4×4?

 

Boas aventuras.

 

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment