O Honda S800 Coupé e uma história de espiões

Clássicos 05 Jun 2020

O Honda S800 Coupé e uma história de espiões

Por Marcos Santos

Em 2019 tive a oportunidade de visitar o dia da Base Aberta, em Ovar, e por sorte tive a possibilidade de ver uma exposição de automóveis clássicos.

Pude fazer um breve artigo sobre essa mesma exposição, aqui no Jornal dos Clássicos. No entanto, houve um automóvel que me captou o olhar de tal forma que me fez imaginar um sem número de coisas e possíveis histórias. Refiro-me ao Honda S800 Coupé.

A primeira coisa que me passou pelo pensamento foi: “Se o James Bond fosse japonês, este seria o seu fiel companheiro de aventuras”. Pequeno, mas robusto! Compacto, de ar sóbrio! Simples, como os nipónicos sabem ser e com todo o aspecto de ser rebelde, apesar da sua aparente calma.



Depois, foi só imaginar os mísseis a sair dos faróis, os pneus transformarem-se em esquis aquáticos e a sua grelha dianteira passar a ser um escudo à prova de bala!

Passando aos factos descobertos pela curiosidade, é de todo importante revelar que o Honda S800 surge em 1966, como consequência da alta tecnologia desenvolvida na Fórmula 1 por esta marca.

A sua diferença, comparando com o antecessor S600 situava-se ao nível do motor, que tinha uma garantia de dois anos ou 50.000 km. Era algo diferenciador, comparando com os concorrentes e já emblemáticos Mini Cooper, o Triumph Spitfire ou o MG Midget.

De dimensões pequenas, mas pensado para proporcionar a melhor das sensações de condução, o Honda S800 deliciava todos os que o podiam experimentar. Bastava olhar para o conta quilómetros, que marcava 200 km/h e o conta rotações com 11.000 rpm, para o condutor se sentir parte da máquina.

Com um motor relativamente pequeno, de 791 cc e 70 cv, mas com menos de 800 kg, o S800 fazia 13 segundos dos 0-100 km/h, embalado pelo som dos quatro carburadores KEIHIN, até atingir a velocidade máxima de 156 km/h. Poderoso, apesar dos números!

A melhor nota estética vai para o modelo Coupé, que é o que se evidencia neste artigo, existindo ainda o Cabrio.

No início, o S800 era equipado com suspensão independente, mas pouco depois a Honda aplicou um eixo traseiro para uma melhor segurança e eficácia.

O Honda S800 passou por uma série de melhorias e transformações com intuito de entrar no mercado americano, sendo para isso criado o S800M.

Surpreendentemente e atendendo aos “muscle cars” dos EUA, o pequeno, mas poderoso motor do S800, não conseguiu chegar aos padrões de controlo de emissões americanos. Com a entrada no mercado de exportação mais importante do mundo barrado, a Honda silenciosamente encerrou a produção do S800 em 1970, depois de 11.500 veículos terem sido construídos.

O Honda S800 foi o antecessor do S2000, tendo a marca demorado quase 30 anos até encontrar um desportivo digno deste pequeno nipónico, que poderia muito bem ser o bólide do espião mais famoso do Mundo, se ele fosse japonês.


TAGS: Honda S800


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment