Triumph Stag, há 50 anos nascia o icónico modelo britânico

Clássicos 25 Mai 2020

Triumph Stag, há 50 anos nascia o icónico modelo britânico

Por Tiago Nova

O Triumph Stag foi um automóvel único no seu segmento, pois não havia nenhum concorrente directo. Foi lançado em 1970, após vários adiamentos, visto o desenvolvimento ter começado em 1964, e representava um tipo de automóvel moderno e inovador, sendo um quatro lugares descapotável, com configuração 2+2 e com barra de protecção conectada ao para-brisas, fazendo com que tivesse um T-top. A Triumph já era conhecida por produzir excelentes desportivos e o Stag seguiu esse caminho, sendo uma mistura de uma berlina e um descapotável. Poderia-se constatar que, o Stag ficaria no meio dos desportivos da Leyland, entre o MGB e o Jaguar E-Type.

Como um desportivo de luxo, o seu maior rival seria o Mercedes-Benz SL ou o 280SE, com o seu desenho esteve a cargo do italiano Giovanni Michelotti, que com a base de um Triumph 2000 criou este automóvel único do agrado de Harry Webster, director de engenharia da Triumph. Além do tejadilho de lona, poderia vir equipado com um hard top, na cor na carroçaria e com desembaciador do vidro traseiro.

Este automóvel era apontado como sendo um sucesso de vendas, as próprias revistas da especialidade adoraram o Stag, mas as vendas mostraram-se desapontantes, mesmo estando à venda no mercado norte americano. Isto deveu-se muito pela falta de desenvolvimento do automóvel, por parte da Triumph e por algumas falhas de concepção. Em 1977 acabou por ser descontinuado, com um total de 25.939 unidades produzidas, sem sucessor.



O Stag só estava disponível com motor V8 da Triumph, também ele único, pois não era montado em mais nenhum automóvel e foi o primeiro V8 produzido pela Triumph e também o primeiro do género produzido no Reino Unido, visto que o motor Rover V8 tinha origem num da Buick. Inicialmente, a ideia seria utilizar o motor V8 OHC de 2,5 litros de cilindrada, com injecção de combustível, mas, em 1968, já sob a supervisão de Spen King o motor foi alargado para os 3,0L, com bloco em ferro fundido e cabeças em alumínio. Como o mercado americano era um objectivo fundamental, a necessidade de cumprir com as emissões de poluentes fez com que a injecção de gasolina fosse substituída por dois carburadores Zenith-Stromberg 175 CDSE. Está equipado com duas válvulas por cilindro, 16 no total, operadas por uma árvore de cames em cada cabeça. O motor produz 145 cv às 5.500 rpm e 230 Nm às 3.500 rpm. Houve a ideia de montar o motor Rover V8 em alumínio, com alguns protótipos construídos, mas segundo consta, não cabia no compartimento do motor, sem que houvesse a intenção de melhorar este aspecto, já que na altura da British Leyland havia uma grande rivalidade entre a Rover e a Triumph.

O chassis do Stag é monocoque, algo herdado do Triumph 2000 e está equipado com suspensão independente nas quatro rodas, com MacPherson na frente e semi-trailing arm na traseira. A travagem é de disco na frente e tambores atrás. A direcção é de pinhão e cremalheira, com assistência. O peso cifra-se nos 1.300 kg.

Existem duas séries do Stag, o Mark I, que esteve em produção até 1973, e o Mark II que começou em 1973 até ao final de produção, com algumas diferenças nos pormenores. No entanto, mesmo entre os Mark I e Mark II, existem alguns pormenores diferentes, como nos primeiros Mark I de 1970 e os últimos Mark II, as vezes designados de Mark III. A grande diferença estre os primeiros Mark I de 1970 e os restantes, era a existência de uma janela lateral traseira em cada lado, na capota de lona, eliminada nos restantes automóveis. Os últimos Mark II utilizavam, como opção, a caixa automática BW65 mais longa, que substituiu a BW35, ambas da Borg-Warner, com um eixo mais curto, e utilizavam um sistema de arrefecimento de alta pressão. A partir de 1973 a taxa de compressão do motor passou dos 8.8:1 para os 9.25:1 e, a partir de 1976, a potência subiu 1 cv para os 146 cv. De série vinha com direcção assistida, travões assistidos com servofreio e vidros eléctricos, mas como opção os Stag poderiam vir equipados com ar condicionado Delaney Galley, amortecedores Koni, jantes Rostyle de 14”, rack na tampa da mala e faróis de nevoeiro Lucas Square Eight.


TAGS: Triumph Stag


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment