Onze futuros clássicos dos anos 2000 que serão um bom investimento

Modernos 16 Mai 2020

Onze futuros clássicos dos anos 2000 que serão um bom investimento

Os anos 2000 foram prolíferos em automóveis icónicos, alguns foram ideias pouco convencionais, outros foram automóveis que marcaram um segmento e por esse motivo ficam para a história do automóvel e serão certamente futuros clássicos. Seguem-se onze exemplos de automóveis, que um dia atingirão o estatuto de clássico.
 

BMW M5 E39

 

 
O BMW M5 E39 é no geral um automóvel discreto, no entanto debaixo do capot mora o motor S62 V8 de 4,9L com 400 cv, sendo o primeiro M5 com um motor V8. Foi também o primeiro M5 a utilizar componentes da suspensão da frente em alumínio e suspensão multi-link na traseira. Conjugado com a caixa de seis velocidades manual, torna o M5 E39 um automóvel icónico.
 

Chevrolet Corvette C5 Z06

 

 
O Chevrolet Corvette é o desportivo de topo americano e a quinta geração, lançada em 1996, está numa boa altura para ser adquirira, principalmente a versão Z06, na qual o motor LS6 V8 desenvolve 390 cv ou 405 cv a partir de 2002. Foi no Corvette C5 que reapareceu esta versão, após a primeira ter sido lançada nos anos 60. Além do motor, o Z06 é 17 kg mais leve que o Corvette convencional. O Corvette C5 fica também para a história, por ter sido o primeiro a utilizar os conhecidos motores de performance da General Motors, os LS. Em 2004 foi lançado o Z06 Commemorative Edition, que utiliza um tejadilho em fibra de carbono, para reduzir o peso em 5 kg.
 

Dodge Ram SRT-10

 

 
Este automóvel é outro que fica marcado na história, pelo projecto louco, pois junta uma pickup ao motor do Viper, um V10 de 8,3L de capacidade, que desenvolve 507 cv. Além do motor, tudo o resto foi modificado, desde o exterior, dando ênfase à aerodinâmica, até ao interior, suspensão, transmissão, travagem e sistema de escape. Este modelo só esteve três anos em produção, de 2004 a 2006.
 

Ferrari 360 Challenge Stradale

 

 
O Ferrari 360 Challenge Stradele é o modelo mais focado para pista do Ferrari 360 Modena, com um pequeno aumento de potência, cerca de 20 cv, mas com bastantes modificações, para diminuir o peso e aumentar a sensação de condução. Conta com vários elementos trazidos da competição, principalmente do Ferrari Challenge, como janelas Lexan em acrílico, um uso extensivo da fibra de carbono, equipamento reduzido ao mínimo, menor insonorização e travões em carbono-cerâmica.
 

Honda S2000

 

 
O Honda S2000 foi lançado com o intuito de comemorar os 50 anos da marca nipónica, seguindo a linhagem dos “roadster” dos anos 60. Quando foi lançado, era o modelo com a potência específica maior, com 125 cv por litro, só batido anos mais tarde pelo Ferrari 458 Italia, nos motores naturalmente aspirados. Com uma distribuição de peso perfeita de 50:50, com um motor que ia até às 9000 rpm, tracção traseira, motor frontal, mas montado atrás do eixo da frente, ou seja, acaba por ser um motor central, o S2000 ficou como um marco importante na história automóvel. A primeira versão do S2000, a AP1, lançada em 1999 conta com o motor F20C, de 2.0L com cerca de 250 cv. A segunda versão, a AP2, lançada em 2003, nos mercados americanos e asiáticos, conta com o motor F22C1, de 2.2L, mas com a potência a não se alterar.
 

Jaguar XKR

 

 
O Jaguar XKR é daqueles modelos, que tal como o Corvette, estão numa boa altura de aquisição, pois oferecem boa performance para o preço que custam. O XKR é o modelo mais focado no prazer de condução que o XK8 e utiliza um motor V8 Supercharged com 375 cv nos primeiros motores de 4.0L ou 406 cv nos últimos 4,2L.
 

Lotus Elise Serie 2

 

 
A segunda geração do Lotus Elise foi desenvolvida em conjunto com a GM, e daí resultou também o Opel Speedster e Vauxhall VX220, e com isto a Lotus conseguiu ter fundos para desenvolver a segunda geração do Elise. Com um chassis leve e ágil, com vários motores disponíveis, com origem Rover e Toyota todos com 1.8L, o Elise é um automóvel super divertido de conduzir. O primeiro motor Rover K-Series debitava 120 cv ou 160 cv na versão 111S já com o sistema VVC. A versão 111R está equipada com o motor Toyota ZZ, com cabeça Yamaha, que desenvolve 192 cv. Em 2008 foi lançado o Elise SC, com compressor, para debitar 218 cv.
 

Mercedes-Benz CLK 55 AMG DTM


 
O Mercedes-Benz CLK 55 AMG DTM foi desenvolvido para comemorar a vitória da Mercedes-Benz no DTM de 2003 e, por esse motivo, em 2004 a marca alemã lançou este modelo especial, limitado a 100 unidades. Como a Mercedes-Benz voltou a vencer o campeonato, em 2005 e 2006, em 2007 foi lançado o modelo descapotável, somente 80 exemplares foram construídos. O CLK 55 AMG DTM estava equipado com um motor idêntico ao do SLR McLaren, um V8 de 5,4L com compressor, que debitava 582 cv, que fazia atingir os 100 km/h em quatro segundos. Exteriormente, tem uma estética mais agressiva, com alargamentos das cavas das rodas e um aileron traseiro em carbono.
 

Renault Sport Clio V6

 

 
Este é dos automóveis mais loucos dos anos 2000. Basicamente, o que a Renault Sport fez, foi recriar o Renault 5 Turbo da era moderna, pegando no seu descendente, o Clio. O projecto inicial, era para a promoção do Clio num troféu mono-marca, com a ajuda da Tom Walkinshaw Racing. O resultado, foi um Clio com motor V6 numa posição central traseira, a fazer mover as rodas traseiras e com uma carroçaria bastante diferente, tendo pouco em comum com o Clio “normal”. O Renault Clio V6 esteve presente nas duas series do Clio da segunda geração, com o motor V6 retirado do Laguna a debitar 23 0cv na primeira fase e 255 cv na segunda. Os Clio V6 Phase 1 foram produzidos na TWR e os Phase 2 já foram produzidos na Renault Sport.
 

Subaru Impreza WRX STI “Blob-eye”

 

 
O Subaru Impreza WRX STI é um automóvel icónico da marca nipónica, remetendo logo o pensamento às máquinas de rali que durante anos coloriram as etapas cronometradas. O primeiro facelift da segunda geração do Impreza WRX STI, conhecido por “Blob-eye” marcou uma época, com a sua cor azul e as jantas BBS de 17″ douradas, com as pinças de travão Brembo douradas também. O motor boxer de 2.0L EJ205 debita 265 cv para as quatro rodas, através de uma caixa manual de seis velocidades.
 

Volkswagen Golf R32

 

 
O primeiro Golf R32, com base na quarta geração do Golf, foi dos modelos mais radicais alguma vez lançados pela Volkswagen. Vinha equipado com tracção integral Haldex, sendo o primeiro “hot hatch” da Volkswagen com este sistema, equipado com o motor VR6 de 3,2L, com cabeça de 24 válvulas, debita 241 cv. A carroçaria foi alargada e tinha um aspecto mais agressivo. Além da caixa manual, poderia vir equipado com caixa DSG, sendo o primeiro automóvel de produção com uma embraiagem de duplo disco.



PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment