McLaren M30, um Fórmula 1 construído para testar o efeito solo

Competição 08 Mai 2020

McLaren M30, um Fórmula 1 construído para testar o efeito solo

Por Tiago Nova

O McLaren M30 é um automóvel de Fórmula 1, que alinhou somente nos últimos quatro Grande Prémios da temporada de 1980, pela equipa Marlboro Team McLaren, conduzido por Alain Prost. O único propósito da construção do M30 foi o desenvolvimento do efeito solo, de modo a melhorar a competitividade da equipa britânica, uma vez que o M29 estava obsoleto.

Somente um exemplar foi construído, com o número de chassis M30/1, com Prost a conseguir um sexto lugar no GP da Holanda e um sétimo no GP de Itália. No GP do Canadá desistiu e no GP dos EUA, o último da temporada, Prost teve um grande acidente nos treinos, não alinhando na corrida. No final da temporada, a McLaren conseguiu ficar em nono lugar, à frente da Ferrari e da Alfa Romeo, mas só um ponto foi conseguido com o M30. Na temporada de 1981, a McLaren volta a competir com o M29, numa versão melhorada.

O McLaren M30 fica também para a história da marca, pois foi o último desenvolvido antes da fusão da equipa de Fórmula 2, Project 4 Racing, de Ron Dennis, que assumiu a liderança da equipa no ano seguinte. O M30 utilizou sempre pneus Goodyear.

Tal como vários Fórmula 1 da época, o M30 utiliza um chassis monocoque em alumínio, desenhado por Gordon Coppuck, com um peso total de 600 kg. O motor é o Ford-Cosworth DFV V8 de 2.993 cc, acoplado a uma caixa manual de cinco velocidades McLaren-Hewland FG400.

O automóvel foi reparado e vendido, sendo adquirido pelo piloto irlandês Alo Lawler, que competiu com o M30 no campeonato britânico Formule Libre, de 1984 a 1989. Foi vendido, posteriormente a George Nuse, que competiu em vários eventos históricos nos EUA e, em 2004, passou para a posse de Sean Allen. Actualmente, o M30 está com Tony Nicholson, da Robin Automotive, na Califórnia.


TAGS: McLaren M30


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment