O fabuloso restauro de um Jaguar E-Type condenado pela ferrugem

Clássicos 15 Abr 2020

O fabuloso restauro de um Jaguar E-Type condenado pela ferrugem

Quando se encontra um automóvel parado há muitos anos, relegado ao esquecimento por diversas razões, é sempre um momento alto para qualquer petrolhead. No entanto, existem automóveis, que pelo avançado estado de degradação já não compensa ser salvo, mas existem outros que será sempre uma pena deixa-los para trás.
 
E este Jaguar E-Type Series I 3.8 FHC de 1964 foi salvo a tempo, pelo especialista E-Type UK, que efectuou um restauro profundo. Estava parado na garagem do seu anterior proprietário desde 1979, ou seja, há mais de 40 anos e, apesar de parecer em bom estado, um olhar mais atento revelou que já estava num avançado estado de degradação, muito devido ao clima do Reino Unido e também devido a reparações mal executadas no passado.
 
O chão e as soleiras das portas tiveram de ser substituídas e foram ainda substituídos painéis que não estavam nas melhores condições, adicionando uma maior rigidez estrutural. Foi ainda adicionado uma suspensão melhorada na traseira, assim como um novo sistema de travagem. O motor também foi completamente restaurado, adicionando cames de perfil maior e cambota aligeirada. A caixa de velocidades foi completamente revista.
 
Por fim, a cor exterior foi substituída pela original Opalescent Silver Blue, contrastando com o interior em Oxblood Red, que combina com o contorno vermelho na grelha frontal. No final, este Jaguar E-Type ficou melhor do que quando saiu de fábrica em 1964.
 

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: E-Type UK Jaguar E-Type


PARTILHAR:

2
Deixe um comentário

Please Login to comment
1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Eduardo Pederneiras de Mello FloresHDSB Recent comment authors
HDSB
Visitante
HDSB

Na minha modesta opinião, sem os “lábios vermelhos” e os interiores em vermelho ficaria com mais classe mas compreendo a opção.

Eduardo Pederneiras de Mello Flores
Visitante
Eduardo Pederneiras de Mello Flores

Concordo plenamente com sua opinião, mas como não é nosso o que vale é que foi restaurado e não ficou perdido em alguma garagem sem que nós pudesse-mos ve-lo.
Abraços, Eduardo