Mecum leva a leilão o primeiro Shelby GT350R a ser produzido

Mercado 20 Mar 2020

Mecum leva a leilão o primeiro Shelby GT350R a ser produzido

Ainda em Janeiro foi a leilão o Mustang GT que Steve McQueen utilizou no filme Bullitt, batendo todos os recordes do modelo, agora segue-se outro Mustang que faz parte da história do modelo, não no grande ecrã, mas nas pistas, criando uma linhagem de automóveis que se estende até aos nosso dias.
 
O Shelby GT350R Prototype, com o número de chassis SFM5R002, foi o primeiro GT350R produzido pela Shelby American para a Ford, que queria uma versão de competição do seu novo modelo. Foi utilizado como automóvel de testes e também para testar componentes que seriam, posteriormente, montados nos restantes 36 GT350R produzidos. Mas, mesmo assim, este mesmo automóvel chegou a competir em várias provas, com pilotos de renome, como Ken Miles, Bob Bondurant, Peter Brock, entre outros.
 
Este Shelby GT350R foi apresentado ao público a 27 de Janeiro de 1965, no circuito Riverside International Raceway, na Califórnia. Na sua primeira prova, duas semanas depois no Green Valley Raceway, em Dallas, com Ken Miles ao volante, este Mustang não só ganhou, como criou um momento que irá ser imortalizado na história, pois o automóvel teve as quatro rodas no ar, ganhando o título de “Flying Mustang”.

 
Até 1966, a Shelby dominou várias corridas da SCCA com este Mustang. A 31 de Março desse ano foi vendido a Bill Clawson, um engenheiro da Ford Performance Division, em Dearborn, que o utilizou na competição com sucesso. Após algumas avarias no motor, Clawson procurou um novo e foi até à Kar Kraft onde lhe esperava um motor para montar no Shelby. Mas este não era um motor qualquer, para além de ser um motor de competição do GT40 era um motor experimental Ford XE, que nunca deveria ter saído das instalações da Ford, para a GM não o obter. Este motor V8 tem origem no motor Windsor de 4735 cc de cilindrada e está acoplado a uma caixa manual de quatro velocidades. Tanto o motor, como os documentos que o comprovam, acompanham o automóvel.
 
Em 1968 foi vendido a Dale Wood e Russell Fish do Texas, que competiram no SCCA Southwest Division. Em 1970 foi de novo vendido, altura em que foi para o México e competiu por dois anos pelas mãos de Luis Blanq-Cacaux, de Monterrey. Foi pintado de cinzento e guardado 17 anos, até que Mark Gillette o descobrir e adquiriu em 1989.
 
Passou por diversas mãos até estar em exposição no Shelby American Museum, em Boulder, Colorado, onde permaneceu durante 14 anos. Posteriormente foi totalmente restaurado, sendo de novo pintado no branco Wimbledon com as duas riscas azuis. Está agora e, pelos menos até dia 12 de Março, na colecção particular de John Atzbach.
 
Este Shelby GT350R Prototype de 1965 será oferecido em leilão pela Mecum Auctions, em Indianapolis, num evento que tem lugar entre os dias 12 e 17 de Maio, podendo tornar-se no Mustang mais valioso até à data. No mesmo leilão e pertencentes à mesma colecção, vão outros modelos icónicos da Shelby, como o único GT350 produzido com compressor, o primeiro GT350 de produção, o primeiro GT350 Convertible produzido, o último GT350 produzido, além de um Cobra 289 e dois Lamborghini.
 

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Ford Mustang Mecum Shelby GT350R


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment