O meu clássico com história: A paixão pelo Escort

Clássicos 08 Nov 2019

O meu clássico com história: A paixão pelo Escort

Por Francisco Lemos Ferreira

No imaginário dos amantes dos ralis em Portugal está sempre o Ford Escort RS 1800 da eterna dupla Joaquim Santos e Miguel Oliveira. A geração que os viu correr ficou irremediavelmente marcada com o fantástico desempenho do Escort MK2 nos ralis em Portugal e no Campeonato do Mundo.
 
Pedro Soares foi um deles e que o levou a restaurar o seu Ford Escort ao pormenor, participando actualmente em várias provas navegado pelo seu amigo Egas Bastos, a dupla conhecida por Pif Paf Boys.
 
Pedro descreve-nos o percurso do seu Escort até hoje:

 
“A história começa com a paixão dos rallyes e dos carros de rallye. Desde criança adorava ver aqueles carros barulhentos com carroçarias alargadas a andar de lado. Daí a idolatrar os pilotos e a pensar como era possível conseguir fazer aquilo com um carro é um passo muito rápido. Assim nasce uma grande paixão.
 
Apesar de ter alguns clássicos, o MK2 foi sempre a paixão e em 2010 o destino quis que o meu sonho se realizasse e comprei o meu MK2. O carro já tinha um passado de provas, tinha sido recuperado de chapa e pintura, mas tudo o resto por montar: mecânica, eléctrica e faltava muito material. Tinha acabado de comprar um projecto que tinha estagnado nas mãos do anterior dono e duas opções eram possíveis: começar a montar o carro com o material que trazia e ter um “carro de corridas” a fingir ou fazer um verdadeiro grupo IV. Optei pela mais difícil, construir um carro de corridas de verdade e de raiz.
 
Apesar de conhecer o modelo, foi um mundo novo que tive a feliz oportunidade de conhecer ao pormenor. Li muito, passei muitas horas à frente do computador a pesquisar sobre coisas que até aí me eram desconhecidas com tamanho detalhe. Chassis, motores, suspensão, travagem, relações finais e de caixas, materiais e tantos outros pormenores. Depois de ter conhecimento suficiente para perceber o que fazer e como fazer, foi delinear o caminho a seguir, os materiais a escolher e os profissionais que iriam fazer parte do projecto.
 
Posto isto e tudo definido, mãos à obra! Desmontar um carro pronto a montar para começar a cortar e soldar reforços e todo o material de grupo IV. Apesar do carro estar sem podres nenhuns, já tinha tido algumas reparações e remendos, mas não estavam com a qualidade que eu queria e decidi levar o carro ao jacto de areia para começar do zero. Como esperado, nenhuma surpresa mas sobressaíram os detalhes que queria resolver. Fundos novos para ter um acabamento final desejado, reforços, alargamentos, torres, esticadores e tudo de grupo IV que iriam ser aplicados. Um processo que acompanhei de perto e que me fez perceber muitas das coisas que tinha lido e entender como iriam influenciar o comportamento do carro. Este foi o processo mais moroso, mais de 3 anos para a sua conclusão, mas ficou com a qualidade que desejava e que elevou os meus conhecimentos. Depois veio a pintura que foi um processo rápido e com qualidade que já conhecia.
 
Chegada a parte da montagem final, definitivamente a mais importante, tive a sorte de contar com a ajuda de bons profissionais, salvo uma excepção, a de um amador mas que rapidamente foi encontrada uma solução.Esta parte foi a parte em que honestamente me deu mais gozo, 99% do material aplicado no Escort foi totalmente novo, um processo prazeroso em escolher as peças e poder começar a montar o “puzzle”. Suspensões, direcção, travões, transmissões, eixo traseiro, motor, bukets, cintos, jantes, pneus, escape, sistema eléctrico novo ,de raiz e à medida, tudo o que possam imaginar, novo e pronto a montar. Claro que parece simples mas não é, há muitos detalhes e opções a tomar e aí tive a enorme sorte em me cruzar com o Fernando Martins, que foi uma ajuda preciosa em elevar o nível do meu Escort. Os pormenores foram executados com uma qualidade enorme e com uma disponibilidade sem fim que agradeço e a quem hoje tenho o prazer de ter como Amigo e que me continua a aturar nos meus devaneios. Finalmente o Escort voltava à estrada, passados sete anos, mais forte e melhor que novo!
 
Sendo que o Escort foi feito de raiz para fazer provas, em 2018 estreiam-se carro e “piloto” no Rallye Legends Luso Bussaco, onde surgiram alguns problemas “normais” da juventude do carro em provas e da falta de kms de testes mas que facilmente foram sanados. Segue-se uma prova à qual fiquei fã desde o início, o Almada Extreme Sprint também em 2018.Uma prova que se realiza nas antigas instalações da Lisnave e que é simplesmente fantástica pelo cenário industrial e do rio Tejo e onde fizemos um 2º lugar na classe e 7º na geral. Um resultado excelente para um início de “carreira” e juventude do projecto. Já em 2019 voltamos ao Almada Extreme Sprint agora com zonas novas e ainda mais espectacular. Um problema com os pneus traseiros que o piso muito abrasivo da Lisnave provocou, fez com que eles ficassem literalmente nas lonas, tendo de colocar pneus novos a meio da prova mas que me ajudou a fazer um tempo final, que me deixou muito contente e com excelentes sinais da evolução constante que tenho desenvolvido no Escort.
 
Já em Setembro deste ano lancei-me num enorme desafio, participar numa Rampa do Campeonato Nacional, desta feita na Rampa Pêquêpê Arrábida 2019, na categoria Regional. Era uma prova do Nacional que exigia mais de mim e do Escort, pelo que tivemos de nos preparar para estar à altura. Umas semanas de muito trabalho em afinações e testes mas que me deixaram com um sorriso enorme cada vez que chegava ao topo da rampa. Acabei em 7º da geral no Regional a milésimos do 6º lugar e com confiança que na próxima prova o resultado vai ser ainda melhor. No fim de semana seguinte já estávamos novamente em prova e presentes no Legends Luso Bussaco 2019.Contudo o imprevisível aconteceu, ao final do dia, antes da cerimonia de abertura foi-nos comunicado que o rallye não se iria realizar pois a protecção civil e o alerta vermelho dos fogos não iriam permitir que a prova decorresse. Mas este ano ainda não fechou em termos de provas e ainda faremos mais uma prova a definir em Dezembro, que neste momento está dependente de alguns patrocínios, que são fundamentais e nunca são demais.”
 

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Ralis; Ford Escort: MK2; Pedro Soares


PARTILHAR:

Mais Populares

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Paulo Araújo Recent comment authors
Paulo Araújo
Visitante
Paulo Araújo

Bom dia,
Tenho para venda um Ford Escort MK II de 1976, se souber de alguém que queira um carro destes agradeço que me contacte.