50 automóveis clássicos da Lancia desfilaram na cidade do Porto

Eventos 17 Out 2019

50 automóveis clássicos da Lancia desfilaram na cidade do Porto

Por Abílio Santos

Para os apaixonados dos automóveis clássicos em geral, e particularmente para os “tiffosi” dos modelos italianos, o último domingo de Setembro, dia 29, foi um dia de grande deleite sensorial ao ter o privilégio de poder apreciar, ouvir e sentir as vibrações dos motores, dos mais de 50 automóveis da Lancia, todos num incrível estado de conservação, que se apresentaram com toda a legítima vaidade, no centro do Porto. Muitos dos exemplares fizeram milhares de quilómetros desde Itália, a sua pátria, para marcarem presença.
 
O encontro foi organizado pelo Lancia Club de Torino, pela Scuderia Lancia Portugal e pelo Club Lancia Delta HF Integrale Portugal em colaboração com a Associazione Socio-Culturale Italiana del Portogallo Dante Alighieri (ASCIPDA), integrado no programa do referido Lancia Club na visita a Portugal de 28 de Setembro a 4 de Outubro.
 
O objectivo do fundador da Lancia, Vicenzo Lancia, era produzir automóveis para as corridas, deixando uma herança fascinante de modelos desportivos e de competição, com introdução de muitas inovações técnicas.
 
São bem conhecidas as linhas atraentes e ousadas do design dos automóveis italianos, construídos com a paixão de quem ama o que executa, seguindo mais o coração e a emoção. Desta forma surgiram dos nomes mais icónicos e emblemáticos da indústria automóvel mundial como Zagato, Pinin Farina, Abarth, Bertone, Giugiaro, Touring Superleggera.
 
De uma vasta e belíssima lista de automóveis da Lancia, e dando primazia à antiguidade, vou enumerar algumas das máquinas presentes: um raro e impecável Lancia Lambda VIII serie, de 1928, a obra-prima do fundador da Lancia, sendo o primeiro automóvel com carroçaria monobloco, neste caso a versão desportiva construída por Casaro; um vistoso Aprilia Cabriolet de 1940, com matrícula de Roma, o qual foi alvo de muitos olhares e elogios.
 
Marcaram também presença um Lancia Aurelia B 20 GT de 1956, com excelente palmarés em competições como o Rally de Monte Carlo, Targa Florio, Mille Miglia, Le Mans; um Flaminia Sport de 1959, uma versão desportiva da Zagato; Lancia Flaminia GT de 1960; um Flaminia 3C – 2.8 Convertibile de 1963, com uma atraente carroçaria Touring; um luxuoso Flavia Coupé 1800 i de 1967; dois Fulvia Rallye 1.3 S coupé, de 1969 e 1970; um famoso Fulvia 1600 HF, de 1970, vencedor do Rally Monte Carlo em 1972 pilotado por Sandro Munari.
 
Destaque ainda para o aerodinâmico Fulvia Sport 1.3 S de 1971, um Lancia 2000 HF de 1973, com uma elegante carroçaria produzida por Pinin Farina; um Fulvia 3 Coupé de 1974, com design anti-convencional, que lhe valeu bastante sucesso comercial, um invulgar Montecarlo, cujo modelo serviu de base para o Lancia Rally 037, também produzido por Pinin Farina e vários Delta HF Turbo.
 
Neste evento não poderiam faltar os famosos, muito cobiçados e recordistas vencedores dos Campeonatos Mundiais de Rally, Lancia Delta HF Integrale, que se apresentaram nas várias versões com mais de uma dezena de automóveis.
 
Foram os casos das, minhas preferidas , versões 16 V Martini 6, de 1992, com as magníficas cores da Martini Racing, e com as assinaturas de D. Auriol, M. Biason, C. Sainz no respectivo porta luvas. Também se pode apreciar as versões 16 V Evoluzione 1, de 1991, o 16V Evoluzione 2, de 1993, e a última versão, a Dealer’s Collection, de 1994.
 
Neste evento estiveram presentes vários artistas do colectivo Urbansketchers Norte que elaboraram uns belos desenhos dos Lancia expostos, que o numeroso público apreciou bastante.
 
O programa terminou da melhor forma, com a passagem em desfile de todos os automóveis que participaram no evento.
 

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Lancia


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment