Modernos 02 Out 2019

O dia em que Elon Musk destruiu o seu McLaren F1

O McLaren F1 é um superdesportivo lançado em 1992, estando em produção até 1998, sendo produzidos somente 106 exemplares. Está equipado com o motor BMW S70, um V12 de 6.1 litros desenvolvendo 627 cv. Todo o automóvel foi desenvolvido com a melhor tecnologia empregue na época e ficou para a história por ser o automóvel mais rápido do mundo quando foi lançado e pela forma invulgar da disposição dos bancos interiores, com três lugares, onde o condutor se senta no meio.
 
Como é óbvio, o McLaren F1 era o automóvel de sonho de qualquer entusiasta automóvel, no entanto, poucos foram os felizardos que puderam adquirir um. Elon Musk foi um deles, vários anos antes de fundar a Tesla, mas o automóvel não acabou da melhor maneira.
 
Em 1999, após vender o PayPal, o jovem milionário decide que queria adquirir um superdesportivo, que seria nada mais nada menos que o McLaren F1. Durante os anos que se seguiram Musk utiliza-o como automóvel diário, fazendo quase 20 mil quilómetros no mesmo.

 
Mas, no ano 2000 Elon Musk e o cofundador do PayPal, Peter Theil, deslocavam-se para um encontro de automóveis por uma estrada de serra. Theil pergunta o que o F1 é capaz, nisto Musk acelera a fundo e o automóvel descontrola-se, fazendo um pião e embatendo de traseira no trânsito que circulava em sentido oposto, posteriormente bateu num morro e levantou, capotando várias vezes no ar, até cair com a rodas no chão, altura em que a suspensão cede. No meio disto tudo, Musk sai do F1 a rir, dizendo a Theil que não tinha seguro. O automóvel ficou no estado que a foto abaixo demonstra, tirada na época.
 


TAGS: Elon Musk McLaren F1


PARTILHAR:

Mais Populares

Deixe um comentário

avatar