Os mais excêntricos modelos da Volkswagen e Porsche da colecção de Taj Ma Garaj

Mercado 10 Jul 2019

Os mais excêntricos modelos da Volkswagen e Porsche da colecção de Taj Ma Garaj

A 28 de Setembro de 2019 a RM Sotheby’s realizará a venda dos automóveis com motor boxer da colecção Taj Ma Garaj. Existem vários automóveis totalmente originais e em estado de concurso e, depois, existem os automóveis alterados e únicos. É nesses que nos vamos debruçar neste artigo, apresentando-lhe os oito automóveis com motores boxer arrefecidos a ar mais radicais da colecção.

BMW-Volkswagen 1500 Fikobike (1967)


 
Os motores boxer nos motociclos da BMW estão intimamente ligados, tal como estes nos Porsche e Volkswagen. Nas décadas de 50 e 60, a BMW lançou várias motas com motores bicilíndricos com 500 e 600 cc, debitando cerca de 40cv de potência. Mas e quando se junta uma mota BMW e um motor boxer de quatro cilindros Volkswagen de 1500cc? Aí nasce a Fikobike que apesar de ter o triplo da cilindrada, debita apenas 44 cv. As tampas das válvulas foram personalizadas por Thomas Tomahawk.

Porsche 356 Limousine Custom de 1953


 
Este automóvel já foi alvo de um artigo no Jornal dos Clássicos, em maior detalhe. Mas um automóvel que foi pensado para tirar o maior partido da velocidade e sensações, transformado em limousine, é algo quase inacreditável. Na traseira foram adicionadas duas portas, com abertura inversa. Na traseira tem um amplo espaço para os ocupantes e, tal como numa limousine normal, existe uma divisória entre o condutor e a parte traseira.

Porsche 356 Speedster Dragster (1956)


 
Um modelo idealizado para atacar as curvas da maneira mais rápida, como o 356, não é comum ver um exemplar a atacar os 400 metros em linha recta. Foi construído com base num chassis tubular e uma carroçaria em fibra. O compartimento do motor ficou na traseira, como não poderia deixar de ser, mas em cima do eixo, para uma maior aderência no arranque.

Porsche 356 A Custom Sedan Delivery (1958)


 
Ora, já vimos uma limousine e um Dragster com base num 356 e que tal uma carrinha comercial? Esta criação, apesar da transformação em carrinha, mantém as linhas desportivas e a própria porta traseira foi inspirada na original, com a grelha e uma pequena janela. Inclusivamente, tem uma luz que indica “Please Pass”. No interior, tem um belo banco do condutor, estufado em pele vermelha, mas no lugar do passageiro tem o que parece uma cadeira de casa, em madeira.

Volkswagen Beetle Outlaw Death by Franz Muhr (1956)


 
Este Carocha “Split Window” foi transformado seguindo a veia “hot rod”, com a carroçaria em metal exposto e sem guarda lamas, tendo também várias marcas do uso e do rebaixamento do tejadilho. O motor está exposto, na traseira, saltando à vista os dois carburadores invertidos e as quatro cornetas de admissão de ar. O interior está despido de qualquer luxo, incluindo os bancos traseiros, estando o volante do lado direito.

Volkswagen Beetle “Casa Linda Lace” by Rafael Esparza-Prieto e Jose Barajas (1970)


 
Este automóvel com mais de 5000 soldas e 2500 remoinhos, idênticos aos utilizados em grades de jardim, foi produzido por Rafael Esparza-Prieto e Jose Barajas, num chassis original de um “Carocha”. Apesar da “carroçaria” este modelo é totalmente conduzível. Este automóvel foi produzido para o Restaurante Casa Linda, em Montecito, na Califórnia.

Volkswagen Beetle Jungle Bug (1971)


 
Este Carocha foi modificado, seguindo muito o estilo europeu. A pintura foi baseada na de um tigre. O automóvel foi rebaixado, foram instaladas umas jantes mais actuais e as linhas da carroçaria foram suavizadas, eliminando os para-choques, puxadores e espelhos. Os farolins originais foram retirados e foram instalados uns LED’s. No compartimento da frente, foram instalados os amplificadores para o sistema de som.

Volkswagen Beetle Última Edición (2004)


 
O final de produção dos Carocha, no México, foi anunciado em Junho de 2003 e, ao mesmo tempo, foi lançada a edição especial, para comemorar o fim deste modelo. Estava disponível em duas cores, Aquarius Blue e Harvest Beige. Este último modelo já tinha algumas modernidades implementadas no motor, como os sensores na borboleta do acelerador, onde deveria estar o carburador. O interior também era mais moderno, principalmente os bancos, mais confortáveis e seguros.

Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube