14 factos que marcam o centenário da Citroën

Clássicos 12 Jun 2019

14 factos que marcam o centenário da Citroën

No passado dia 4 de Junho a Citroën comemorou 100 anos de existência, fundada em 1919 por André Citroen, um visionário, muito à frente do seu tempo, tendo produzido engrenagens e armas, antes de iniciar a produção de automóveis. A marca francesa pode orgulhar-se de muitos feitos, pois nos seus 100 anos de existência várias foram as inovações implementadas no mercado, através de automóveis Citroën e até mesmo na forma como os publicitava. Seguem-se 14 factos interessantes que marcam os 100 anos da Citroen.

Salão Automóvel de Paris de 1922


 
O Salão Automóvel da capital francesa ficou marcado pela primeira forma inovadora de publicitar a marca Citroën, isto porque, um avião escreveu o nome da marca francesa no céu com fumo, ao longo de cinco quilómetros.

Sinais de trânsito

 
Outra forma inovadora de publicidade, foi os sinais de trânsito de toda a França com o emblema da Citroën, iniciado em 1922, aumentando a sua notoriedade. Em 1926 foi montado o sinal 100.000 com o emblema Citroën.

A Torre Eiffel


 
Esta é uma das formas de publicidade mais conhecidas da marca. Em 1925, o nome Citroën apareceu na Torre Eiffel, composto por 250.000 lâmpadas, era visto por quase toda a cidade. Esta forma de publicidade repetiu-se em 1934.

Carrinhos de brincar

 
Desde dos inícios dos anos 20, André Citroën utilizou outra forma de chegar às famílias. Sempre que lançava um automóvel novo, produzia também miniaturas fiéis ao original, para que a marca chegasse às crianças.

Melhorias sociais

 
André Citroën não era só um visionário na publicidade, mas também quis oferecer melhores condições aos seus trabalhadores. Entre outras coisas, instalou refeitórios, creches, supermercados e clínicas médicas nas suas fábricas. Em 1927, foi o primeiro empresário, em França, a pagar o 13º mês aos seus colaboradores.

Os problemas financeiros

 
A Citroën encontrou os seus primeiros problemas financeiros, em 1934. Devido a esse facto, a Michelin tomou posse da marca até 1976, altura em a participação da marca de pneus passou para a Peugeot, nascendo assim o Grupo PSA.

Citroën Traction Avant


 
Este automóvel, apresentado em Abril de 1934, foi uma enorme revolução, com carroçaria monocoque, travões hidráulicos, suspensão independente e tracção dianteira.

A arte

 
O Citroën DS teve um texto dedicado, no livro Mitologias, de Roland Barthes, de 1959, em que dizia que o DS era “um automóvel perfeito”.

Charles de Gaulle


 
O presidente de francês, sofreu um atentado, em Agosto de 1962, sendo salvo pelo Citroën DS19 e a sua magnifica suspensão pneumática.

No cinema


 
A Citroën teve muitos dos seus modelos a aparecer em filmes, que era uma boa maneira de os publicitar. Para além do filme Sor Citroën, os modelos do fabricante francês apareceram também em muitos outros, como na grande maioria dos filmes de Louis de Funes, nomeadamente no Fantomas.

Faróis giratórios

 
A partir de 1967, o Citroën DS passou a contar com faróis que giravam, consoante o ângulo do volante, iluminando as curvas. Os faróis estavam ligados por um sistema de cabos à coluna de direcção.

A parceria com a Maserati


 
No final dos 60, a Maserati associou-se à Citroën para produzir o topo de gama SM, produzido de 1970 a 1975, equipado com um motor V6 da Maserati. Georges Pompidou, Presidente da República na época, encomendou duas unidades especiais do SM, descapotáveis, convertidos por Chapron.

Anúncios televisivos

 
As ideias de André Citroën perduraram no tempo, e em 1984 foi lançado um anúncio televisivo sobre o Citroen Visa GTI, onde o automóvel se lançou de um porta-aviões e apareceu à superfície em cima de um submarino. Segundo a marca, o anúncio foi feito sem qualquer tipo de truques. Dois anos depois, aparece outro anúncio, no mínimo, extravagante, onde um Citroën AX anda na Grande Muralha da China. Existe ainda outros, de modelos Citroën a circular em três rodas.

O Citroën 2CV mais caro da história


 
Em 2018 foi vendido o Citroën 2CV mais caro de sempre, por 75.600 euros. Trata-se de um 2CV Commands de 1949, onde somente foram produzidas 878 unidades.


TAGS: Citroën


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment