Protótipo T7: O Porsche pré-911

Clássicos 15 Nov 2018

Protótipo T7: O Porsche pré-911

Por Bruno Machado

Faz parte da filosofia Porsche fazer evoluir algo já existente. Ainda antes de existir um marca com o seu próprio nome, Ferdinand Porsche era conhecido por criar algo e no dia seguinte já ter uma melhoria, à qual era depois trazida mais uma melhoria…e assim sucessivamente. Esta vontade de aperfeiçoamento permanente manteve-se na Porsche, agora enquanto marca, dirigida pelo filho Ferry: o 968 não é mais do que uma evolução do 944, que por sua vez é uma evolução do 924; quanto ao 911, não parou de evoluir desde 1963, sendo esperada uma nova evolução (992).

 

O próprio Porsche 356 também sofreu várias evoluções ao longo dos anos, desde 1948. No entanto, na segunda metade da década de 50, a Porsche já começa a pensar num verdadeiro sucessor do 356 e não uma mera evolução deste. Trata-se duma tarefa árdua uma vez que o novo modelo deverá ser totalmente inédito e demarcar-se ainda mais do Carocha, mas sem trair o ar de família para não desorientar a clientela. Deverá ainda manter a arquitectura 2+2 e ser mais espaçoso, mas sem prejudicar a vocação desportiva do novo modelo. E sobretudo, o modelo deverá permitir o crescimento da marca. Além dos engenheiros, cabe a Erwin Komenda, o designer da casa e autor do 356 e a Albrecht von Goertz, autor do roadster BMW 507, resolver estas equações.

 

Mas os projectos apresentados não suscitam o entusiasmo. Em 1959, é apresentado o protótipo 754 ou T7 desenhado pelo filho de Ferry Porsche, Ferdinand Alexander Porsche, mais conhecido por Butzi. Se a frente não levanta grande oposição, o mesmo não se pode dizer da secção traseira que, para permitir um maior espaço para os passageiros, abdica da linha fastback criando um pilar que embora confira alguma elegância ao automóvel, não permite a fluidez do futuro 911. Da contestada parte traseira, só as ópticas e o pára-choques é que se aproximam do desenho definitivo.

 

O motor do novo modelo também provoca vários debates entre os técnicos e dirigentes da Porsche. Arrefecimento por ar ou líquido, quatro ou seis cilindros… pelo que foram montados dois motores no T7: o 4 cilindros do 356 B Carrera de 130 cv, sendo depois preterido em função de um 6 cilindros de igual potência, mais simples, com custos de construção mais reduzidos e que veremos no 911.

 

Mas Ferry Porsche não gosta mesmo desta traseira e pede alterações ao filho para que integre a linha fastback, mesmo que sacrifique o espaço para os passageiros. Butzi apresenta-lhe o que será o desenho definitivo do 911, incluindo ainda a grelha característica no capot. Assim, nasceu um ícone da Porsche e do design em geral.

 

 


TAGS: Porsche Protótipo T7


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment