Porsche 924 Carrera GT: De órfão a herói

Clássicos 18 Out 2018

Porsche 924 Carrera GT: De órfão a herói

O Porsche 924 nasceu como um projecto de design concebido pela Porsche para um desportivo de bandeira para a VW/Audi (“Project 425”) que foi abandonado pelo cliente, acabando por regressar à origem, com a Porsche a acordar construir o modelo na sua fábrica de Neckarsulm, Alemanha.

 

O construtor de Zuffenhausen não poderia ter decidido melhor, pois o 924 foi um sucesso de vendas, permitindo a entrada de dinheiro, numa altura em que apresentava alguns números mais difíceis no contexto da crise do petróleo da década de 1970. Ao todo, entre 1976 e 1985, saíram das linhas de montagem 125 mil modelos 924 aos quais importa ainda acrescentar 14 mil exemplares do 924 Turbo (oficialmente designado como Porsche 931).

 

Aliás, o 944 era suposto render o 924, mas a produção deste último manteve-se durante 1985, tendo havido, inclusivamente, um 924S em 1988. Mais ainda: as críticas que por vezes foram tecidas às suas performances mais modestas (o automóvel tinha um bloco de quatro cilindros de dois litros a gasolina que na versão aspirada de base da gama garantia 125 cv) face aos mais musculados modelos Porsche não beliscaram, em nada, a sua carreira comercial.

 

O Coupé 2+2 que era o 924 destinou-se a substituir o 914 como o modelo de entrada da marca, conferindo-lhe, de forma justa, um lugar na história do próprio emblema alemão, porquanto foi o primeiro Porsche de estrada a ter uma configuração de tracção traseira de motor dianteiro.

 

E se a maioria das vezes, os fabricantes escolhem os grandes salões automóveis para darem a conhecer as suas novidades, a Porsche optou por fazer algo diferente com este seu 924 – o veículo foi desvendado em Novembro de 1975, à imprensa, no porto turístico de La Grande Motte, Camargue, no sul de França (entre Nimes e Montpellier).

 

Em 1979, a Porsche quis testar a reacção das pessoas, levando ao salão de Frankfurt um protótipo que continha os traços do futuro 944. Em 1980, a marca entrou em Le Mans com o 924 e para conseguir a homologação do carro de corrida para o Grupo 4, concebeu o 924 Carrera GT que mais não era do que um 924 Turbo mais desenvolvido, com uma frente mais larga e asas traseiras parecidas com o concept mostrado em Frankfurt.

 

Com a inclusão de um intercooler, a potência passou então para 210 cv, uma cifra muito mais interessante que tornava o apelo da condução maior, ainda para mais quando se tinha uma distribuição de peso 49/51.

 

Do Porsche 924 Carrera GT foram feitas 406 unidades, em 1981, incluindo seis protótipos: 331 exemplares com volante à esquerda (designado de Type 937) e 75 unidades com volante à direita (Type 938). Um dos trunfos do 924 (e da sua versão Carrera GT também) é a fiabilidade dos seus componentes e a sua manutenção relativamente barata.

 

O 924 foi igualmente o primeiro automóvel da história a recorrer à técnica de galvanização a quente da sua carroçaria. Outras versões que o 924 teve foram o 924 Carrera GTS (245 cv), o 924 Carrera GTS CS (270 cv) e o 924 Carrera GTR (mais de 380 cv).

 

Este e outros modelos icónicos da Porsche podem agora ser vistos na exposição temporária “Porsche: 70 anos de evolução”, patente no Museu do Caramulo.

 

Veja a galeria em baixo com algumas das melhores imagens do Porsche 924 Carrera GT.

 

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
previous arrownext arrow
Slider

TAGS: Museu do Caramulo Porsche Porsche 924 Carrera GT


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment