Porsche Carrera GT: Uma lenda contemporânea

Arquivos 14 Out 2018

Porsche Carrera GT: Uma lenda contemporânea

O Carrera GT é um dos mais entusiasmantes Porsche de sempre. Este supercarro faz a sua carreira comercial entre 2004 e 2005, mas o seu desenvolvimento remonta a cinco anos antes, bebendo raízes nos carros de corrida 911 GT1 e ao LMP1-98 quando o construtor alemão estava a preparar um novo protótipo de competição para 1999, designadamente para Le Mans.

 

Todavia, por um lado, as alterações aos regulamentos feitas pela FIA e pelo Automobile Club de L’Ouest e, por outro lado, a intenção da Porsche de dar corpo a um SUV, levaram a que o projecto destinado aos circuitos terminasse por ali.

 

Porém, a Porsche decidiu aproveitar parte do trabalho desenvolvido, criando um dos seus ícones mais fulgurantes.

 

Desvendado no salão de Genebra do ano 2000 como protótipo (código do Projecto 980 com um motor de 5,5 litros) e novamente no certame helvético no ano 2003 como veículo de série, o Carrera GT estava destinado a usar um seis cilindros em linha turbo, mas acabaria por acolher um inédito V10 (a 68° de inclinação), curiosamente um bloco que a Porsche tinha gizado para a equipa de Fórmula 1 Footwork em 1992, mas cujo projecto seria adiado.

 

O motor em alumínio, montado numa disposição central traseira, foi, então, recuperado, com a cilindrada a passar de 5,5 para 5,7 cc e a potência transmitida às rodas traseiras a fixar-se em 612 cv às 8.000 rpm. A sua potência específica é de 107 cv/litro.

 

Para reduzir o centro de gravidade do automóvel e melhorar a sua estabilidade, a cambota do motor foi disposta tão perto do solo quanto possível. Este Roadster superava os 330 km/h, enquanto o sprint 0-100 km/h era cumprido em 3,9 segundos e os 0-200 km/h em 9,9 segundos.

 

Este superdesportivo recorria a soluções avançadas como fibra de carbono para a sua estrutura e carroçaria e a alumínio para o chassis. A embraiagem era em compósito à base de cerâmica, os discos de travão eram, igualmente, num compósito à base de carbono e os próprios pneus eram forjadas numa liga de magnésio pela Michelin.

 

Com 4,61 metros de comprimento, o Carrera GT foi produzido até 2007, tendo sido feitas 1.270 unidades, ainda que inicialmente estivessem planeados 1.500 exemplares.

 

Um pormenor: a maneta da caixa de velocidades foi feita em madeira laminada que remete para o clássico 917. Por tudo o que se escreveu pode, com propriedade, afirmar-se que o Carrera GT é evolução de um programa de competição para Le Mans que se concretizou, não nas pistas, mas na estrada.

 

Este e outros modelos icónicos da Porsche podem agora ser vistos na exposição temporária “Porsche: 70 anos de evolução”, patente no Museu do Caramulo.

 

Veja a galeria em baixo com algumas das melhores imagens do Porsche Carrera GT.

 

1
DSC09105
DSC09109
DSC09062
32
DSC09103R
DSC09115
24
DSC09060R
DSC09126
DSC09096
DSC09113
DSC09067R
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
1
DSC09105
DSC09109
DSC09062
32
DSC09103R
DSC09115
24
DSC09060R
DSC09126
DSC09096
DSC09113
DSC09067R
previous arrow
next arrow
Classificados

Deixe um comentário

Please Login to comment

Siga-nos nas Redes Sociais

FacebookInstagramYoutube