Porsche 930 Targa Slantnose: Um guerreiro da estrada

Clássicos 02 Out 2018

Porsche 930 Targa Slantnose: Um guerreiro da estrada

O Porsche 930 foi feito entre 1975 e 1989. O facto de ter sido apelidado como 911 Turbo mostra bem os predicados deste que era o topo da gama 911 na altura.

 

Durante as mais de duas décadas em que foi fabricado, ostentou o título do veículo de produção mais rápido que os alemães podiam adquirir. De resto, o 930 surgiu para permitir que a Porsche tivesse a necessária homologação para disputar a temporada de 1976 da FIA, tendo inicialmente sido feitos 400 exemplares, precisamente para cumprir com o requisito federativo.

 

Ernst Fuhrmann adaptou a tecnologia turbo original do 917/30 CAN-AM para o seis cilindros em linha de três litros do Carrera RS 3.0, criando o 930. O automóvel exibia 260 cv às 5.500 rpm e 329 Nm às 4.000 rpm, havendo versões com quatro e cinco velocidades (em 1978, o 930 passou a ter um 3.3 litros com 300 cv graças a um intercooler).

 

A suspensão foi revista, os travões melhorados e uma generosa cauda de baleia colocada como spoiler traseiro para ajudar o automóvel a ter uma melhor “downforce” e maior estabilidade.

 

E se a Porsche sempre foi uma marca de sonho, este 930 cedo entrou no imaginário, com os preparadores a agarrar no “molde 930” e introduzir-lhe na dianteira um nariz mais aerodinâmico ficando conhecido como “slantnose”.

 

A Porsche viu aqui uma oportunidade de negócio, passando, a partir de 1981 a ter uma versão própria e oficial do 930 “slantnose”, o qual se apresentava como um 930 convencional com um “slantnose” ao estilo do 935, em vez, portanto, da frente normal do 911, bem como os faróis “bug eye” a darem lugar a ópticas escamoteáveis.

 

Aliás, um apontamento interessante é o facto da Porsche, quando apresentou ao mundo este seu 930 “Flachbau”, ter sublinhado o facto de ele ter sido inspirado no 935 vencedor de Le Mans, de 1979. O modelo é, seguramente, dos 911 mais distintivos da história. A marca fez 948 unidades do 930 “Slantnose” (também conhecido como “Flatnose” ou “Flachbau”) o que o torna num dos mais raros 911.

 

O modelo deliciava os seus ocupantes com os seus 335 cv que o levavam a cumprir o desafio dos 0-100 km/h em 5,2 segundos. O 930 “Flachbau” chegou a ter uma versão Cabriolet, da qual foram produzidas 591 unidades. Fruto do êxito desta derivação, o construtor criou formalmente a sua divisão específica de personalização (“Sonderwunsch-program” em alemão, algo como programa de encomendas especiais), em 1986.

 

Este e outros modelos icónicos da Porsche podem agora ser vistos na exposição temporária “Porsche: 70 anos de evolução”, patente no Museu do Caramulo.

 

Veja a galeria em baixo com algumas das melhores imagens do Porsche 911 Turbo Targa.

 

12
18
27
29
34
DSC09195
DSC09201
DSC09225
DSC09203
DSC09229
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
12
18
27
29
34
DSC09195
DSC09201
DSC09225
DSC09203
DSC09229
previous arrow
next arrow

TAGS: Museu do Caramulo Porsche Porsche 911 Turbo Targa Slantnose


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment