Porsche 993: A quarta geração da dinastia 911

Clássicos 24 Set 2018

Porsche 993: A quarta geração da dinastia 911

O 993 foi a versão do 911 produzida pela Porsche desde o final de 1993 até ao início de 1998, substituindo o 964. Tratou-se da quarta geração do 911, revestindo-se de uma relevância histórica acrescida, pois o 993 assinala o último exemplar dos modelos Porsche motores refrigerados a ar, vindos desde 1964 com o 911.

 

Com efeito, com o 911 que se seguiu a este Type 993, o 996, o construtor passou a adoptar a solução vigente até aos dias actuais, a refrigeração a água para os seus propulsores. O 993 dispunha, assim, de um motor boxer de seis cilindros, tendo-se tornado um dos modelos mais apreciados pelos seguidores da marca, até porque foi alvo de significativas melhorias do ponto de vista técnico. Para muitos é mesmo o melhor 911 de sempre. De resto, face ao 964 (1989-1993), o 993 conservou apenas as portas e o portão da bagageira. Tudo o resto era novo, designadamente a plataforma, sobre a qual assentava uma carroçaria muito mais aerodinâmica e musculada, sem acrescentar peso extra.

 

Realce para a nova suspensão traseira multibraço em liga leve, bem como para a sua transmissão, pois o 993, se excluirmos o Porsche 959, foi a primeira geração de 911 a ter uma caixa de seis velocidades como equipamento standard.
 
O seu desenho técnico era uma derivação do projecto 989 (protótipo de uma berlina de quatro portas que nunca foi produzido em série e cujo sucessor pode considerar-se como sendo o Porsche Panamera).
 
O 993 foi feito nas carroçarias Coupé e Cabriolet e nas variações Carrera (272 cv), Turbo (408 cv) e Turbo S (450 cv), isto com o bloco 3,6 litros. Com o motor boxer de seis cilindros de 3,8 litros, a Porsche disponibilizou o 993 nas opções mais radicais Carrera RS (300 cv) e GT2 (430 cv).

 

Do 993 Carrera RS Coupé fizeram-se 1.014 unidades, estando desprovido de bancos traseiros, distinguindo-se visualmente pelo seu aileron traseiro fixo. Para torná-lo mais leve, até os limpa-vidros dos faróis foram retirados e o isolamento acústico foi reduzido. A sua aceleração dos 0-100 km/h é em cinco segundos.

 

Curiosamente, apesar de ser um veículo aprovado e homologado para circular pelas estradas do dia-a-dia na Europa, o Carrera RS viu, contudo, a sua exportação ser-lhe recusada para os EUA. Isto levou muitos proprietários de 911 a tentar modificar o Carrera para uma versão RS, usando componentes RS fornecidos pela Porsche. O Carrera RS Clubsport (também conhecido como RSR) foi outra variante do RS, ainda mais vocacionada para os circuitos.

 

Este e outros modelos icónicos da Porsche podem agora ser vistos na exposição temporária “Porsche: 70 anos de evolução”, patente no Museu do Caramulo.

 

Veja a galeria em baixo com algumas das melhores imagens do Porsche 911 RS.

 

dsc09171
dsc09186
6
dsc09167
12
dsc09180
29
hm0a0829
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
dsc09171
dsc09186
6
dsc09167
12
dsc09180
29
hm0a0829
previous arrow
next arrow

 


TAGS: Museu do Caramulo Porsche Porsche 911 RS


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment