Porsche 356 Carrera 2000 GS: Uma flecha saída de Estugarda

Clássicos 30 Ago 2018

Porsche 356 Carrera 2000 GS: Uma flecha saída de Estugarda

Anunciado em Setembro de 1961, no salão de Frankfurt, o Carrera 2 foi o mais rápido dos 356 construídos à data, acelerando dos 0-100 km/h em 8,6 segundos e alcançando os 160 km/h em 27,2 segundos em vez dos 33,5 segundos que o 356 original necessitava.

 

O Carrera 2 usava como base o motor naturalmente aspirado Type 547, numa versão revista reclassificada como Type 587/1. Possuía quatro cilindros opostos com duplo carburador Solex e, em vez do 1,6 litros do primeiro 356, dispunha de um bloco de dois litros (1.966 cc), que debitava 130 cv de potência às 6.200 rpm (em vez de 95 cv do Carrera original) e um binário de 161 Nm às 4.600 rpm. A sua velocidade máxima era de 201 km/h.

 

O motor mantinha a assinatura de concepção do prestigiado engenheiro Ernst Fuhrmann e a complexidade da construção era tal que mesmo um experiente mecânico na fábrica necessitava de perto de 100 horas para o montar.

 

Ao contrário do 356 Carrera (mostrado no salão de Frankfurt de 1955) que foi produzido como Coupé, Cabrio e Speedster, a actualização do 356, traduzida neste 356 Carrera 2, foi concebida como Coupé e Cabrio (muito raro).

 

Internamente apelidado de GS 2000, o 356 Carrera 2 apresentava uma tampa do compartimento do motor com duas grelhas de refrigeração, o que, visto de trás, o assemelhava ao Porsche 356 B, não fossem as duplas saídas de escape na zona central do Carrera 2 a vincar a diferença.

 

O Carrera 2 começou por ser disponibilizado com travões de tambor, mas bem cedo, para o model year 1963 e com o advento do 356 C, toda a linha foi alvo de uma evolução, de modo a colocar o veículo equipado com travões de disco nas quatro rodas.

 

Apenas 310 Carrera 2 foram feitos, dos quais uns ainda mais reduzidos 27 exemplares saíram de fábrica com tecto panorâmico eléctrico (era um opcional).

 

O Carrera 2 foi fabricado tanto numa variante De Luxe, como numa versão GT até ao final da sua produção, tendo havido versões mais desportivas (usados em ralis e com o interior despido de itens acessórios para a competição), oferecendo 140 a 155 cv. Com efeito, dotado de suspensão independente nas quatro rodas e barras de torsão transversais, o 356 Carrera 2 foi um dos últimos 356 a ser produzido, o que lhe empresta também por essa via um valor histórico e patrimonial acrescido – os derradeiros exemplares da linhagem 356 deixaram de sair das linhas de montagem em 1966, dando espaço ao 911 que foi apresentado em 1963, no salão de Frankfurt.

 

Este e outros modelos icónicos da Porsche podem agora ser vistos na exposição temporária “Porsche: 70 anos de evolução”, patente no Museu do Caramulo.

 

Veja a galeria em baixo com algumas das melhores imagens do Porsche 356 Carrera 2000 GS.

 

dsc09453
11
10
dsc09420
dsc09314
hm0a0729
hm0a0747
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
dsc09453
11
10
dsc09420
dsc09314
hm0a0729
hm0a0747
previous arrow
next arrow

TAGS: Museu do Caramulo Porsche Porsche 356 Carrera 2000 GS


PARTILHAR:

Deixe um comentário

Please Login to comment